26 de ago de 2009

1 = 2

retomando o milagre da multiplicação dos verbetes que se operou no dicionário filosófico da martin claret: no original, há um que se chama "bornes de l'esprit humain".

"hmmm, 'fronteiras' e 'limites' são coisas muito diferentes", deve ter pensado pietro nassetti ou quem por ele, ao folhear as traduções em português que estavam dando sopa por ali. e mandou ver.

assim o verbete "fronteiras do espírito humano" na tradução de líbero rangel de tarso reaparece ipsis litteris no "capítulo" 61 nassetti-plagetiano do dicionário filosófico.

já o verbete "limites do espírito humano" da tradução de bruno da ponte e joão lopes alves ressurge toscamente arremedado no "capítulo" 89 da edição plagetiana.

- fronteiras do espírito humano

estão em toda parte, meu pobre doutor. queres saber por que teus pés obedecem a tua vontade e teu fígado não? desejas saber como se forma o pensamento em teu miserável entendimento e esta criança no útero desta mulher? (líbero rangel, atena, p. 182)
estão em toda parte, meu pobre doutor. queres saber por que teus pés obedecem a tua vontade e teu fígado não? desejas saber como se forma o pensamento em teu miserável entendimento e esta criança no útero desta mulher? (pietro nassetti, claret, p. 245)

- limites do espírito humano

surgem de todos os lados, pobre doutor. queres saber por que o teu braço e o pé obedecem à tua vontade e por que o fígado não te obedece? indagas como o pensamento se forma no teu tímido entendimento e como se gera aquela criança no útero da mãe? (bruno da ponte e joão lopes alves, abril, p. 241)
estes limites surgem de todos os lados, pobre doutor. queres saber por que o teu braço e o pé obedecem à uma vontade e por que o fígado é diferente? queres saber como o pensamento se forma no teu simples entendimento e como se gera aquela criança no útero da mãe? (pietro nassetti, claret, p. 357)

imagem: 10-feet-under.blogspot.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.