14 de ago de 2009

guilherme de almeida e o vampiro

deu alguns dias atrás no estadão:

Casa Guilherme de Almeida será reaberta como museu e Centro de Estudos de Tradução Literária. "Aqui discutiremos teoria da tradução, tanto de prosa quanto de poesia", adianta o poeta Marcelo Tápia, diretor da instituição. "Também servirá para estimular o interesse pela obra de Guilherme de Almeida."

isso é ótimo, é maravilhoso.

tenho esperanças de que a casa guilherme de almeida venha a proteger vigorosamente as traduções dele contra a sanha indébito-apropriativa da martin claret. a sra. maria isabel, neta do poeta e responsável pela guarda dos direitos de sua obra, afirma em correspondência pessoal dirigida a mim que não autorizou a publicação e muito menos transferiu para a martin claret o copyright do gitanjali traduzido por seu avô.


isso não obsta, porém, que a claret o publique declarando com todas as letras que o copyright da tradução é seu.


o detalhe do dedão sinistro da abdr é de um acinte único, diga-se de passagem. "cópia não autorizada é crime", "respeite o direito autoral": que moral tem a editora martin claret para dizer isso?

2 comentários:

  1. Faz tempo; não compro mais volume algum desse livreiro... E os que comprei olho-os com cara de "marido traído"; uma puta raiva! mas me contenho. Sinto-me muito mal quando vejo obras dele nas prateleiras, todas "baratinhas"... Também pudera! Assim até ELE... (eu nunca!)

    ResponderExcluir
  2. pois é, caro josé roberto, que desplante! também fico com a maior raiva. o pior é que, por força da caça aos plágios, tenho uns 200 títulos da claret aqui em casa!!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.