26 de dez de 2013

maquiavel entre trotskistas e militares

o primeiro maquiavel entre nós é  o príncipe, lançado no mesmo ano de 1933 por duas editoras, ambas de importante papel na história da esquerda brasileira.
pela calvino filho, em tradução de elias davidovich, da qual não restou muita memória:

pela unitas, em tradução de lívio xavier, a qual se tornou a mais amplamente difundida e constantemente reeditada até a data de hoje:


a athena, outra importante editora de esquerda dos anos 30 aos anos 50, a partir de c.1938 relançou o príncipe na tradução de lívio xavier em várias reedições; em 1940, também em tradução de lívio, publicou  escritos políticos de maquiavel.

em curioso contraste, a arte da guerra de maquiavel é lançada pela primeira vez no brasil em 1944, na coleção "biblioteca clássica de cultura militar", a cargo do coronel j.b. magalhães, da editorial peixoto, em tradução do também coronel renato b. nunes:



sobre maquiavel, em especial o príncipe, no brasil, ver aqui.

22 de dez de 2013

emily dickinson no brasil



para a dickinsoniana brasileira, a referência é, sem dúvida nenhuma, o magnífico arquivo que carlos daghlian mantém no site da unesp, aqui. belíssimo trabalho, de fato.



21 de dez de 2013

presentaço




O selo Latus, da Editora da UEPB (Universidade Estadual da Paraíba), em Campina Grande, lançou neste fim de ano o livro A Idade da Ignorância, uma coletânea de cem textos de Bráulio Tavares, publicados no Jornal da Paraíba e depois reeditados no blog Mundo Fantasmo.



Bráulio me enviou o PDF, um presentão de Natal que me deu uma alegria que se multiplica ainda mais por poder eu também presenteá-lo a todos: disponível aqui.

votos


felizes festas, feliz 2014!

paul klee, fila de árvores no parque (1928)


18 de dez de 2013

tardio, porém viçoso

a revista tradterm, da usp, publicou em seu último número, v. 22/1 (2013), meu artigo "tardio, porém viçoso: poe contista no brasil". o artigo apresenta a trajetória da ficção de poe traduzida e publicada em livro entre nós, e está disponível aqui.

sobre poe no brasil, visite também meu blog edgar allan poe, aqui.


14 de dez de 2013

prêmio paulo rónai de tradução 2013



fiquei muito contente com a escolha de mrs. dalloway, de virginia woolf para o prêmio paulo rónai de tradução, pela fundação biblioteca nacional, em 2013.




a relação completa dos ganhadores deste ano está aqui. parabéns, viva, a todos!




uma coisa muito interessante a se notar é o destaque que a tradução literária vem recebendo nos últimos anos. ainda quanto à premiação deste ano na biblioteca nacional, o escolhido na categoria de ensaios foi a tradução literária, de paulo henriques britto. creio que assim se vai firmando a consciência de que a tradução também faz parte do sistema literário do país.

11 de dez de 2013

"não existe frase fácil", bráulio tavares

Mundo Fantasmo: 3366) A mãe do Estrangeiro (11.12.2013): (foto: J. Henri Lartigue) “Mãe morreu hoje. Ou pode ter sido ontem, sei lá.” É assim que eu traduziria, usando meu estilo pessoal de ...

27 de out de 2013

bibliografia russa no brasil (1900-1950), primeiras parciais


até o momento, estou com um total de 212 livros levantados, de 77 autores. desses 212 livros, catorze são antologias de vários autores. dessas catorze antologias de vários autores, onze são de contos exclusivamente russos, enquanto três são antologias mundiais, que incluem um ou outro conto russo.

esse total de 212 títulos traz ao todo cerca de 350 textos, entre contos, novelas e romances de, como disse, 77 autores, excluídas dessa contagem diferentes traduções de um mesmo texto.

a distribuição temporal desses 212 volumes é a seguinte: entre 1900 e 1929, dez títulos; de 1930 a 1939, 87 títulos; de 1940 a 1950, 115 títulos - aí incluídas diferentes traduções da mesma obra.

algumas poucas traduções (mais ou menos uns trinta textos, ou seja, menos de 10% do total) foram feitas a partir do original russo, por ivan emilianovitch, georges selzoff, evandro pequeno, boris schnaiderman. a maioria se dá por interposição do francês, mas também um pouco pelo inglês e também pelo espanhol.

um fator a ponderar nessa distribuição temporal é a concentração das antologias variadas nos anos 40. isso significa que, embora a distribuição temporal anos 30/ anos 40 seja relativamente equilibrada (até me surpreendi bastante com isso!), a quantidade de textos nos anos 40 será proporcionalmente bem maior, por causa da quantidade de contos presentes nas ditas antologias.

a frequência de publicação de antologias russas na década de 1940 levanta uma questão interessante sobre a recepção brasileira, e mereceria uma análise à parte. por outro lado, especial análise mereceria também o amplo leque de publicações nos anos 1930, que se concentram sobre cada autor individual.




18 de out de 2013

bibliografia de tolstói

"bibliografia de tolstói no brasil", apêndice a tolstói, a biografia de rosamund bartlett, em tradução de renato marques, que foi publicada pela biblioteca azul da editora globo:





por um engano inexplicável e um lapso imperdoável, incluí entre os escritos de tolstói um conto de gogol: “A carta extraviada”. Trad. Frederico dos Reys Coutinho. In: Os colossos do conto da velha e da nova Rússia. Rio de Janeiro: Mundo Latino, 1944 [Reed. in: Os mais belos contos russos dos mais famosos autores. Segunda Série. Rio de Janeiro: Vecchi, 1945].

a biblioteca azul já foi avisada e a correção será feita na próxima reimpressão. por ora, fica aqui feita a retificação, com meu pedido de desculpas.


17 de out de 2013

jabuti 2013

nas duas categorias de tradução, os vencedores do jabuti deste ano foram:

Tradução
1) "Ulysses" (Companhia das Letras), por Caetano Waldrigues Galindo
2) "Grandes Esperanças" (Companhia das Letras), por Paulo Henriques Britto
3) "Mrs Dalloway" (Autêntica), por Tomaz Tadeu

Tradução de obra de ficção alemão-português
1) "Retrato da Mãe Quando Jovem" (Tordesilhas), por Luis S. Krausz
2) "Cada Dia, Cada Hora" (Record), por Kristina Michahelles
3) "Penumbras" (Record), por Marcelo Backes

viva, parabéns a todos!

1 de out de 2013

tradução em revista: "georges selzoff, uma crônica"

saiu a tradução em revista n. 14, da puc-rio, disponível aqui.


o número traz meu artigo sobre georges selzoff e a bibliotheca de auctores russos, 1930-1932, com as primeiras obras traduzidas diretamente do russo publicadas no brasil.


30 de set de 2013

dia do tradutor; seis anos de blog

viva, mais um 30 de setembro, dia de são jerônimo, padroeiro dos tradutores!


é também a data de nascimento deste blog, comemorando seis anos de existência, com quase 800 mil visitas desde a sua criação.

27 de set de 2013

literatura tcheca traduzida no brasil

indicação de rodrigo conçole (bastante incompleta a lista; acho que vale a pena colaborar):




Títulos da literatura tcheca traduzidos para português e publicados no Brasil


autores e títuloseditoras
Božena Němcová
  • A Avó - Lembranças de uma Vida de Menina (Babička, 1855) 
  • [NEMCOVA, Bozena , 1820-1862 — A avó [Babick ] romance ; trad . de Ruth Salles; pref. de Antonio Houaiss. Rio de Janeiro, O Cruzeiro, 1958. 325 p . ilus. (Coleção Romances eternos, 2) - DB]

Edições de Ouro, ???
Bohumil Hrabal
  • Eu Servi o Rei da Inglaterra (Obsluhoval jsem anglického krále, 1971)

Nova Cultural, 1971, 1989; Caminho, 1990; BEST SELLER, 1988, 2000; Companhia das Letras, 2002
  • Comboios Rigorosamente Vigiados (Ostře sledované vlaky, 1964)
Caminho, 1990
  • Um Artista da Fome e A Construção  (Ein Hungerkünstler, 1922, em tcheco Umělec v hladovění)

Companhia das Letras, 1998
  • Castelo (Das Schloß, 1922, em tcheco Zámek)
Companhia das Letras, 2000; Companhia das Letras (edição de Bolso), 2008; Nova Cultural, 2003; Martin Claret, 2006
  • Carta ao Pai (Brief an den Vater, 1918, em tcheco Dopis otci)
Companhia das Letras, 1997
  • Contemplação(Betrachtung, 1913, em tcheco Rozjímání)
Brasiliense, 1991, 1994; Companhia das Letras, 1999, 2008
  • Diário Íntimo(Jeho soukromý deník, 1902 – 1924)
Nova Crítica, 1964; Nova Época Editorial
  • Foguista (Der Heizer, 1913 em tcheco Topič)
Companhia das Letras, 1999
  • Um Médico Rural(Ein Landarzt, 1918, em tcheco Venkovský lékař)
Companhia das Letras, 1999
  • A Metamorfose (Die Verwandlung, 1915, em tcheco Proměna)
Companhia das Letras, 1997
  • Narrativas do Espólio(???, 1914-1924)
Companhia das Letras, 2002
  • Processo (Der Prozeß, 1914 – 1915, em tcheco Proces)
Companhia das Letras,1997;Companhia das Letras (edição de Bolso), 2005
  • Sonhos (???)
  • Veredicto / Na Colônia Penal (Das Urteil, 1913, em tcheco Ortel)
Companhia das Letras, 1998
Gustav Janouch
  • Conversas com Kafka (???)

Novo Século, ???; Nova Fronteira, 1983
textotexto
Ivan Klíma
  • Nem Santos Nem Anjos (Ani svatí, ani andělé, 1999)

Record, 2006
  • Amor e Lixo(Láska a smetí, 1987) – também como Amor e Desencanto
Bertrand Brasil, 1991; Record, 1993; Bestbolso, 2007
Jan Amos Komenský
  • Didática Magna (Didactica magna em latim, em tcheco Velká didaktika)

Martins Fontes, 1997, 2006;
Jaroslav Hašek
  • Aventuras do Bravo Soldado Schveik (Osudy dobrého vojáka Švejka za světové války 1921–1923)

Civilização Brasileira, 1967
  • O Valente Soldado Schveik ou também como O Bravo Soldado Schweik
Teatro Carioca de Arte, 1967
Jiří Hájek
  • Antologia de Contos Tchecoslovacos
Jiří Pražák, Dušan Hamsík
  • Atentado Contra Heydrich (Bomba pro Heydricha, ???)

Civilização Brasileira, 1967
Josef Bor
  • Requiem em Terezin (Terezínské rekviem, 1963)

Publicações Europa-america, 1963; Brasil América, 1987
Josef Hromádka
  • Para Que Eu Vivo? (???)
Paz e Terra, 1971
Josef Nesvadba
  • O Cérebro de Einstein (Einsteinův mozek, 1960)

Biblioteca Universal Popular, 1967
Josef Škvorecký
  • Dois Assassinatos em Minha Vida Dupla (Dvě vraždy v mém dvojím životě,1996)]

Record, 2002
  • A República das Putas (???)
Record, 1999
  • O Saxofone Baixo(Bassaxofon, 1967)
Record, 1980, 1999
  • O Engenheiro das Almas (Příběh inženýra lidských duší 1977)
Record, 2002, 2003
  • A História do Saxofonista (Povídky tenorsaxofonisty, 1954 – 1955)
Imago, 1998
  • Histórias Apócrifas (Kniha apokryfů, 1932)

Editora 34, 1994, 2009
  • A Guerra das Salamandras (Válka s mloky, 1936)
Brasiliense, 1988
resenha
  • Dachenca: A História de Uma Cachoeirinha (Dášenka čili život štěněte, 1933)
Veradas, 2003, 2007
  • A Doença Branca (Bílá nemoc, 1937)
Z. Valverde, 1942
Karel Havlíček Borovský
  • La Bapto de Caro Vladimir - em esperanto (O Batismo de São Vladimir) (Křest Svatého Vladimíra, 1855)

J. Rugulo-eldonisto-la Laguna, 1953
Karel Kosík
  • Dialética do Concreto (Dialektika konkrétního, 1963)
Ludvík Vaculík
  • As Cobaias (Morčata, 1970), editora: Imago, 1977

Imago, 1977
Max Brod
  • Kafka (Franz Kafka, eine Biographie, 1937, em tcheco Franz Kafka: Životopis)
  • A Arte do Romance (Umění románu,1986)
  • A Brincadeira (Žert, 1965)
Companhia das Letras (1999)Editora Nova Fronteira, 1986
  • A Cortina (Opona,2005)
Companhia das Letras (2006)
  • A Insustentável Leveza do Ser (Nesnesitelná lehkost bytí, 1984)
Record / Altaya, 1983; Editora Nova Fronteira, 1985; Círculo do Livro, 1988
  • A Lentidão(La Lenteur, Pomalost, 1993)
Editora Nova Fronteira, 1995
  • A Valsa dos Adeuses(Valčík na rozloučenou, 1972)
Nova Fronteira, 1989
  • A Vida Está em Outro Lugar (Život je jinde, 1973)
Círculo do Livro, 1973, 1995
  • Ignorância (Nevědomost,2000)
Companhia das Letras, 2002
  • O Livro do Riso e do Esquecido (Kniha smíchu a zapomnění, 1978)
Círculo do Livro, 1978
  • Risíveis Amores (Směšné lásky, 1970)
Editora Nova Fronteira, 1985, 1986
  • A Identidade (Totožnost,1998)
Companhia das Letras, 1998
  • A Imortalidade (Nesmrtelnost, 1987-1988)
Circulo do Livro, ???
  • Jacques e Seu Amo(Jakub a jeho pán: Pocta Denisu Diderotovi, 1971)
Nova Fronteira, 1988
  • Os Testamentos Traidos (Zrazené testamenty, 1992)
Nova Fronteira, 1994
Pavel Tigrid
  • A Primavera de Praga (???)

Laudes, 1968; Bibliex, 1968; Biblioteca do Exército, 1970
Rudolf Ströbinger
  • A - 54 - o Espião das 3 Faces (???)

Civilização Brasileira, 1967
Václav Havel
  • Cartas a Olga(Dopisy Olze, 1983)

Estação Liberdade, 1992
  • Audiência, Vernissage e Petição (Audience, 1975, Vernisáž, 1975, Protest, 1978)
Relógio D´água, 2000
  • A Entrevista a Distância (Dálkový výslech – Rozhovor s Karlem Hvížďalou, 1986)
Siciliano, 1991
  • Ensaios Políticos
Bertrand Brasil, ???
Vladimír Škutina
  • No Castelo Cheio de Malucos (Prezidentův vězeň na hradě plném bláznů, ???)

Litteris, 1995

fonte: aqui

23 de set de 2013

flap 2013

a mesa redonda "o silêncio do tradutor", com mario rocha, rodrigo garcia lopes e eu, tendo vera helena rossi como moderadora, no dia 21 de setembro, em são paulo, foi muito legal. adiante darei detalhes.


7 de set de 2013

kafka, nova época editorial

na esteira da livraria exposição do livro (posteriormente rebatizada como hemus) e suas traduções de kafka feitas por torrieri guimarães por interposição do espanhol, nos anos 60, temos na década seguinte a nova época editorial, de são paulo, com traduções feitas a partir das edições da schocken em inglês. não excluo que houvesse participação de mário graciotti (responsável pelo clube do livro) na editora.

a nova época, infelizmente, não trazia data de publicação. só posso afirmar que os lançamentos de kafka são posteriores a 1971, visto constar código de endereçamento postal no endereço da editora em seus volumes (e o cep foi criado pelos correios apenas em maio de 1971). posso afirmar também que foi na mesma época em que a telefônica fez a transição dos números de telefone de seis para sete dígitos em são paulo, visto constarem dois números de telefone da editora, um ainda com seis, outro já com sete dígitos (a saber, 826-8751 e 66-7423) - mas não sei quando se deu essa transição, que nos permitiria afunilar melhor o período de publicação.

por ora, fiquem registradas as obras de kafka lançadas pela nova época com seus respectivos tradutores:
a metamorfose, syomara cajado
o processo, syomara cajado
a colônia penal, syomara cajado
o castelo, d. p. skroski, com prefácio de thomas mann
américa, d. p. skroski
carta a meu pai, osvaldo da purificação
cartas aos meus amigos, osvaldo da purificação
o diário íntimo de kafka, osvaldo da purificação
a muralha da china: contos e máximas, sem créditos de tradução
as edições eram bastante rústicas e pobrezinhas, com paratextos desencontrados e contraditórios. de todo modo, vinham como uma alternativa à livraria exposição do livro (hemus), que na época praticamente monopolizava as publicações de kafka no brasil, sem qualquer contrato autoral com os detentores dos direitos sobre a obra de kafka (a schocken) e valendo-se de traduções existentes em espanhol, muito provavelmente também sem qualquer licença de uso. assim se explicaria a ênfase da nova época em estampar na quarta capa um comunicado anunciando ter adquirido "os direitos autorais de tradução, para o brasil, portugal e todos os países de língua portuguesa, das obras de franz kafka".

eis algumas capas e o recorte de uma contracapa, ilustrando a afirmação acima: