13 de fev de 2012

thoreau traduzido no brasil

Os textos de Henry David Thoreau traduzidos no Brasil são os seguintes, por ordem alfabética dos títulos em português:
  • "A escravidão em Massachusetts" - traduções de José Augusto Drummond, José Geraldo Couto
  • "A vida sem princípio" - traduções de E. C. Caldas, José Paulo Paes, José Augusto Drummond,  José Luiz Perota, José Geraldo Couto
  • "Andar a pé" (também como  "A arte de caminhar", "Caminhada", "Caminhando", "O pequeno livro da sabedoria", novamente "Caminhando", novamente "Caminhada") - traduções respectivas de Sarmento de Beires e José Duarte,  E. C. Caldas,  Aydano Arruda, José Augusto Drummond, Vera Renoldi, Roberto Muggiati, Davi Araújo, José Geraldo Couto
  • "Cartas familiares selecionadas" - tradução de Aydano Arruda
  • "Desobediência civil" (ou "Resistência ao governo civil") - traduções de E. C. Caldas, Aydano Arruda, José Paulo Paes, David Jardim Jr., José Augusto Drummond, Astrid Cabral, Sergio Karam, José Geraldo Couto
  • "Domingo" (segundo dia de A Week on the Concord and Merrimack Rivers) - tradução de Aydano Arruda
  • "O naufrágio" (primeiro capítulo de Cape Cod) - tradução de Aydano Arruda
  • "Onde vivi e a razão por que vivi" (segundo capítulo de Walden) - traduções de Aydano Arruda, José Geraldo Couto
  • "Os lagos Allegash" (terceira parte de The Maine Woods) - tradução de E. C. Caldas
  • "Paraíso (a ser) recobrado" - tradução de José Paulo Paes
  • "Três excertos de A Week on the Concord e Merrimack Rivers" - tradução de José Augusto Drummond
  • "Um apelo em prol do Capitão John Brown" - tradução de José Paulo Paes
  • Excertos variados por Theodore Dreiser - tradução de Lauro Escorel
  • Walden - traduções de E. C. Caldas, Astrid Cabral, Denise Bottmann

As referências bibliográficas são, por ordem cronológica da primeira edição no Brasil:

O pensamento vivo de Thoreau

O pensamento vivo de Thoreau. Coleção Biblioteca do Pensamento Vivo, vol. 15. Seleção, organização e introdução de Theodore Dreiser. Tradução de Lauro Escorel. Contém excertos variados. São Paulo: Livraria Martins, 1939. 181 p.


Ensaístas americanos. Coleção Clássicos Jackson, vol. XXXIII. Tradução de Sarmento de Beires e José Duarte. Contém “Andar a pé”. São Paulo: W. M. Jackson, 1950. 360 p.









Walden e outros escritos. 2 volumes. Introdução de Brooks Atkinson. Tradução de E. C. Caldas. Contém Walden, “Os lagos Allegash”, “A arte de caminhar”, “Desobediência civil”, “Vida sem princípio”. Rio de Janeiro: Revista Branca, 1953. 184 p. (aqui capa do vol. II)


Escritos Selecionados Sobre Natureza e Liberdade






Escritos selecionados sobre natureza e liberdade. Série Clássicos da Democracia, vol. 25. Tradução de Aydano Arruda. Contém: “Desobediência Civil”, “Onde vivi e a razão por que vivi”, “Naufrágio”, “Domingo”, “Caminhada”, "Cartas familiares selecionadas". São Paulo: IBRASA, 1964. 167 p.









A desobediência civil e outros ensaios. Seleção, introdução, tradução e notas de José Paulo Paes. Contém: “A desobediência civil”, “A vida sem princípio”, "Paraíso (a ser) recobrado", "Um apelo em prol do Capitão John Brown". São Paulo: Cultrix, 1968. 130 p.






Walden. Introdução de Brooks Atkinson. Tradução de E. C. Caldas. Rio de Janeiro: Edições de Ouro, 1968. 350 p. Não localizei imagem de capa.



Desobedecendo. A desobediência civil & outros escritos. Apresentação de Fernando Gabeira. Seleção, introdução, tradução e notas de José Augusto Drummond. Contém: “A desobediência civil”, “A vida sem princípio”, “Caminhando”, “A escravidão em Massachusetts” e trechos escolhidos de Uma semana nos rios Concord e Merrimack. Rio de Janeiro: Rocco, 1984. 167 p.








Walden, ou a vida nos bosques. Coleção Armazém do Tempo. Introdução e tradução de Astrid Cabral. Contém em apêndice “A desobediência civil”. São Paulo: Global, 1986. 331 p. Reed. Aquariana, 2001 (346 p.); Novo Século, 2007 (288 p.).




Desobediência civil (Resistência ao governo civil) e Walden. Coleção Universidade de Bolso. Introdução de Brooks Atkinson. Traduções respectivas de David Jardim Jr. e E. C. Caldas. Rio de Janeiro: Ediouro, c. 1987. 217 p.


pequeno livro da sabedoria, o






O pequeno livro da sabedoria. Tradução de Vera Maria Renoldi. São Paulo: BestSeller (C.L.C.), 1996; Rio de Janeiro: BestSeller (Record), 2005. 81 p.








A desobediência civil. Coleção L&PM Pocket. Tradução de Sergio Karam. Porto Alegre: L&PM, 1997. 80 p.









Caminhando. Coleção Sabor Literário. Introdução e tradução de Roberto Muggiati. Rio de Janeiro: José Olympio, 2006. 126 p.




Walden. Coleção L&PM Pocket. Apresentação de Eduardo Bueno. Tradução de Denise Bottmann. Contém em apêndice "Thoreau", necrológio de Ralph Waldo Emerson. Porto Alegre: L&PM, 2010. 335 p.








Caminhada. Tradução de Davi Araújo. Içara: Dracaena. 56 p.










Vida sem princípio. Tradução de José Luiz Perota. Içara: Dracaena, 2011. 48 p.


A desobediência civil. Tradução de José Geraldo Couto. Contém "A desobediência civil", "Onde vivi, e para quê", "A escravidão em Massachusetts", "Caminhar", "Vida sem princípios". São Paulo: Penguin/ Companhia, 2012. 152 p.








Online encontram-se disponíveis: "Andar a pé" (Beires/Duarte) e "A desobediência civil" (Drummond) no EbooksBrasil, a coletânea Desobedecendo (Drummond) e Walden ou a vida nos bosques (Cabral) no Scribd.

Existe uma edição da Martin Claret que, a meu ver, não merece consideração e é indigna de constar em qualquer bibliografia séria. Ver aqui, aqui e aqui.

6 comentários:

  1. Thiago Dias7.4.12

    Denise, muito obrigado pelo trabalho que você tem feito!! Parabéns pelo blog, que visito intermitentemente.

    ResponderExcluir
  2. olá, thiago, muito obrigada! fico contente que você aprecie :-)

    ResponderExcluir
  3. Denise, talvez esse não seja o melhor lugar para o comentário, mas anyway:
    seu blog merece muito uma versão em livro impresso. Seria maravilhoso ter em mãos um "guia" das traduções brasileiras de importantes autores da literatura mundial. Fica a ideia... Grande abraço e muito obrigado pelo blog, é um presente para todos que amam literatura e línguas.

    ResponderExcluir
  4. que coisa mais gentil de se dizer, alex, muito obrigada! talvez tipos "cinquenta autores no brasil", algo assim, já tem 26... o que vc acha?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ficarei torcendo para que venha o livro! Se tiver as mesmas qualidades do blog - como a honestidade e o rigor -, teremos uma obra fundamental tanto para leitores quanto para pesquisadores.

      Excluir
  5. Anônimo11.6.13

    Esse seu blog é essencial como fonte de informação a respeito dos autores e suas obras traduzidas no Brasil. Parabéns por seu trabalho, Denise. Foi bom saber das traduções de Thoreau, ainda que se perceba um tratamento um tanto desleixado com Thoreau no Brasil. A se lamentar profundamente que outras obras suas importantes como Cape Cod e Maine Woods ainda não tenham recebido a devida atenção por parte de editores brasileiros sérios. Aproveito, ainda, esse espaço para manifestar minha indignação com a execrável capa feita pela tal editora Dracaena para "Vida sem princípio". Esse não é um livro de auto-ajuda para executivos! Quem a fez não sabe nada sobre o livro! Acho que a capa dos livros deve merecer cuidado e respeito pela obra e seu autor, e saber do que está se tratando. Me pergunto se essa tradução seria confiável a ponto de levar alguém a investir nela seu sofrido dinheiro...

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.