24 de jun de 2009

variedades, poe XVII

o porão da casa onde poe morou em 1843-44,
referência tão macabramente central em o gato preto.


poe e baudelaire

fascinante toque dado por joana canêdo: o primeiro contato de baudelaire com a obra de poe foi justamente o gato preto.

em janeiro de 1847, uma moça chamada isabelle meunier (uma inglesa casada com um periodista francês, e adepta de fourier) publicou sua tradução de the black cat no jornal fourierista la démocratie pacifique. baudelaire ficou fascinado, e quase quinze anos depois ainda descrevia a seu amigo armand fraisse "la commotion singulière" que se apossou dele. já em 1848 põe-se a traduzir poe, o que vai resultar em 1856 na publicação de suas histoires extraordinaires, que deram azo a tanta confusão de datas, títulos e obras de poe aqui no brasil.

depois da tradução de isabelle meunier, saíram:
- a tradução de william l. hugues, em journal des faits, em 18 de abril de 1851;
- um trecho do conto que baudelaire inseriu no artigo "edgar allan poe, sa vie et ses ouvrages", em la revue de paris, março-abril de 1852;
- a tradução de paul roger em chronique de france, 16 de novembro de 1853;
- sendo que dois dias antes tinha saído a tradução de baudelaire em le paris, em duas partes, em 13 e 14 de novembro de 1853;
- reeditada em le pays em 31 de julho e 01 de agosto de 1854;
- por fim compilada nas nouvelles histoires extraordinaires de edgar allan poe, pela michel lévy, em 1857. em sua tradução, baudelaire usou a versão definitiva do conto, de 1845.

veja toda a sequência da pesquisa poe/brasil clicando na coluna à direita, desde poe I a poe XVI.

aqui a fonte de referências. imagem: clique sobre ela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.