15 de jun de 2009

a extraordinária máquina do tempo, poe IX

o equívoco que eu mencionei em extra & extra e em grotesco arabesco parece ter percorrido um caminho meio sinuoso. vamos tentar reconstituir por partes.

a inventiva frase que encerra a apresentação de poe nas histórias extraordinárias da abril cultural, sob licença da civilização brasileira, diz: "Em 1848, Contos do Grotesco e do Arabesco foi publicado na França como Histórias Extraordinárias, por Baudelaire".

são várias inverdades. por ora, já sabemos que baudelaire publicou histoires extraordinaires em 1856, não em 1848.

a única razão que consigo imaginar para esse recuo de oito anos na fantasiosa informação é que o escriba dessa edição da abril deve ter lido meio por cima em algum lugar "baudelaire ... 1848 ... histoires extraordinaires", e se deu por satisfeito.

eu preencheria as lacunas dessa leitura dinâmica assim: "baudelaire traduziu um conto de poe pela primeira vez em 1848. depois de traduzir vários outros contos, ele os reuniu e publicou num volume chamado histoires extraordinaires".

faria sentido e estaria mais de acordo com a realidade.

para quem se interessar, o primeiro conto de poe que baudelaire traduziu - em 1848 - foi mesmeric revelation, publicado em 15 de julho do mesmo ano em la liberté de penser com o nome de révélation magnétique (ver eapoe.org).

imagem: www.macvirtual.usp.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.