6 de jul de 2010

legal!

fiquei contente com a fbn. quem acompanha o nãogostodeplágio sabe quantos acessos de raiva tive com a displicência da agência do isbn ao cadastrar, por exemplo, machado de assis traduzido para o português por pietro nassetti, pela editora martin claret, e dezenas de pérolas que tais. veja zumbi trapalhares.

tenho acompanhado as notícias sobre o projeto mais cultura, do minc com a fbn, e fiquei aborrecida quando a comissão de seleção escolheu a origem das espécies publicada pela martin claret, que é uma colcha de retalhos misturando trechos da tradução de joaquim dá mesquita paul (1913, lello & irmãos - bem ruinzinha, diga-se de passagem) e grande parte da tradução de eugênio amado (1985, edusp/itatiaia).


publiquei meus protestos e a carta da fbn dando conta de suas providências. veja chiliques.

então escrevi à fbn agradecendo as providências e alertando de um problema, que era o seguinte: ela tinha publicado em seu site os relatórios com as centenas de livros selecionados numa planilha excel, divididos em abas por áreas de conhecimento. eu vi a origem das espécies espúria porque era a única aba (a de ciências biológicas) que, além do título da obra e do nome do autor, informava editora, ano e edição.

em meu e-mail à fbn, portanto, avisei:
"em tempo: um problema dos relatórios da comissão de seleção das obras para o projeto mais cultura é que apenas a primeira aba traz o nome da editora responsável pela publicação. vi vários títulos em ciências humanas e literatura que foram publicados em edições espúrias no país. mas como o relatório nas demais abas da planilha não indica o nome das editoras, não dá para saber se por algum azar foram escolhidas justamente algumas das edições ilegais."

isso foi em começo de junho. a resposta foi o silêncio, o que me deixou meio assim, pois afinal é um bem público etc.etc., e justo ontem tinha até decidido voltar à carga quando recebi uma notícia que realmente me comoveu:

Prezada Denise,

informo que a relação de obras selecionadas para o Programa Mais Cultura está divulgada no portal da FBN, com as respectivas editoras.

Cordialmente,
Jean Souza
Assessor de Imprensa
Fundação Biblioteca Nacional

fui ao site http://www.bn.br/ e, pimba, lá estavam os três relatórios das três ações do programa - implantação de bibliotecas; modernização de bibliotecas; bibliotecas itinerantes - completos, com título, autor e editora.

quero agradecer de público ao pessoal da fbn e do programa mais cultura, pois deve ter dado um certo trabalhinho refazer os relatórios complementando os dados: afinal, são centenas e centenas de obras, acho que somam mais de mil títulos! fiquei emocionada, e são essas coisas que me fazem sentir cidadã.

neste caso em particular, como o programa mais cultura vai adquirir várias centenas de exemplares de cada título selecionado para a implantação e modernização de bibliotecas no país, além das bibliotecas itinerantes, serão várias centenas de uma edição plagiada a menos para conspurcar os acervos.

quanto aos relatórios propriamente ditos, agora indicando as editoras, vou ver com calma se há mais alguma barbaridade ;-)

Um comentário:

  1. Levei ano e meio pra conseguir registro duma tradução inédita no EDA/FBN -- exigiram a autorização da editora de origem, depois quiseram tradução juramentada (do francês) da autorização, tudo na maior delonga.
    Quando ligava pra lá, imaginava-os pensando na "Praia da Barra, mó solzão...". E não davam informações sobre "pedidos em andamento".

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.