21 de jul de 2010

"o gesto de premiar"

Anotemos que entre os premiados há valores de muitos brasis e de diferentes gerações, selecionados em votação nas Comissões e no Plenário, a partir de pareceres subscritos por Acadêmicos.
discurso de marcos vilaça, presidente da academia brasileira de letras, ontem, em cerimônia para a entrega de, entre outros, o prêmio abl de tradução 2010.

aliás, a que vêm tais considerações abaixo?
Informações recentes dão conta de que no Reino Unido o emprego na Cultura cresce 2% e só 1% no restante da economia; a riqueza gerada avança 5% contra 5% nos demais seguimentos [sic]. E esses efeitos têm correlação vária: onde estações do metrô destinam mais espaços a artistas pobres do que ali? onde o Parlamento Nacional discute a ação de cambistas com igual peso que os problemas de saúde e de educação?
finalmente:
A perpetuidade se alcançará pela verossimilhança por mais que inverossímil pareça o nosso papel. Afinal de contas, Nabuco esperava que o nosso papel se densificasse ao atingirmos, pelo convívio com os mistérios, a solenidade e a antiguidade.
seja como for, densificado ou não, misterioso ou não, a meu ver o papel da abl não deveria ser de papelão.

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.