15 de jul de 2010

o céu que se cuide!



o leitor thiago perguntava, em coup de grâce, de onde eu extraí a citação do inacreditável "se tirar nota zero, eu furo o céu" para were it aught to me i bore the canopy, o verso inicial do soneto 125 de shakespeare.

pois é, thiago: saiu do volume acima, o qual, acredite ou não, existe! é uma edição particular, custeada pelo próprio tradutor, de 2005, pela gráfica fac form, de recife. não está disponível no circuito comercial, pois, até onde consegui entender, são tiragens pequenas para distribuição entre amigos e conhecidos. mas há alguns exemplares à venda em sebos da rede estantevirtual.

fico até com dó de milton lins pela arapuca que os imortais marcos vilaça, ivan junqueira, carlos nejar e evanildo bechara lhe montaram. ao lhe darem um prêmio de imensa visibilidade pública, lançaram luz pública sobre obras que se destinavam à circulação restrita e privada. que constrangimento! e que constrangimento para nós brasileiros, em primeiro lugar, por termos de arcar com a presença e a memória desses despautérios da abl!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.