1 de jan de 2009

não gosto de plágio


quem mais não gosta de plágio:

abílio guerra
adriana lisboa
agenor soares dos santos
alba olmi
alberto da costa e silva
aldo dinucci
alessandra allegri
alexandre barbosa de souza
alice xavier
allison roberto
ana resende
ana rüsche
ana suzuki
ana carolina cunha lima
ana lúcia brandão
ana maria ramiro
ana miriam wuensch
ana paula alves ribeiro
anderson braga horta
andré gazola
andré medina carone
andré ripari
andrei soares
angela xavier de brito
anita di marco
ann charlotte barbosa
anna magdalena machado bracher
antivan mendes
artur neves teixeira
aurora bernardini
beatriz viégas-faria
bruno costa
bruno drago
carla hilst
carla kurrle
carlos angelo
carlos daghlian
carlos nelson coutinho
carmen zink bolognini
caroline chang
cássio de arantes leite
cecília campello
celina portocarrero
celso mauro paciornik
chrys chrystello
claudia martinelli gama (in memoriam)
cláudia berliner
cláudio daniel
cláudio murilo leal
cláudio willer
clicio barroso filho
cristian fernandes
daniel aço
danilo augusto
davi arrigucci jr.
desidério murcho
dilma machado
doralice lima
ebréia de castro alves
eduardo rivail ribeiro
eduardo sterzi
eide sandra azevedo abreu
eleonora guimarães bottmann
elyzabeth thompson
emiliano unzer macedo
erick ramalho
ernando cabral
etelmiro castilho
eugênio vinci de moraes
euler frança belém
everardo norões
fábio fernandes
fal azevedo
fátima vasco
fátima aparecida de oliveira abbate
federico carotti
felipe melo rezende
flávia nascimento
flavio deny steffen
francis h. aubert
francisco araújo da costa
francisco césar manhães monteiro
francisco foot hardman
galeno amorim
gabriel perissé
geraldo holanda cavalcanti
giovani iemini
guilherme solari
haroldo cantanhede
helena londres
heloísa gonçalves barbosa
heloísa jahn
heloísa mafra ferdinandt
heloísa velloso
hélio de mello filho
ivan cortez
ivo barroso
ivone c. benedetti
jacqueline prates rocha
james emanuel albuquerque
janaína castilho marcoantonio
janaína pietroluongo
jean cristtus portela
joana canêdo
joão esteves alves
joão roque dias
joão paulo monteiro
joão tomaz parreira
joão ângelo oliva neto
joice elias costa
jorge coli
jorge furtado
jorio dauster
josé lira
josé antônio arantes
josé augusto drummond
josé roberto balestra
josé veríssimo teixeira da matta
josely vianna baptista
julián fuks
juliana saul
julieta sueldo boedo
jussara simões
lai pereira
laura barreto
leda tenório da motta
lenita rimoli esteves
leo gonçalves
leonardo fróes
letícia braun
letícia rodrigues
lina cerejo
lívia gomes
lívio oliveira
lucas petry bender
lucia singer
luciano codato
luis dolhnikoff
luiz costa lima
luma rosa
lylian coltrinari
mamede jarouche
marcelle warth
marcelo backes
marcelo villela gusmão
marcelo jacques de moraes
marco haurélio
marco lucchesi
marco aurélio antunes gondim
marco túlio de barros e castro
marcos siscar
marcus mazzari
maria betânia amoroso
maria constança pires pissarra
maria cristina pires pereira
maria de lourdes sette
maria helena nery garcez
mário luiz frungillo
marion luiza pfeffer
martha gouveia da cruz
mauri furlan
mauro gama
mauro pinheiro
maurício ayer
maurício mendonça cardozo
maurício santana dias
milton ribeiro
moacyr scliar
myriam campello
natalício barroso
nelson goro
nythamar fernandes de oliveira
olívia niemeyer
oséias silas ferraz
pablo vilela
patrícia reuillard
paula aryana de sena
paulo bezerra
paulo henriques britto
paulo wengorski
pedro du bois
pedro maciel
pedro reis
peterso rissatti
priscila manhães
priscila santos
rafael cavalcanti
rafael mantovani
raimundo moura
raquel sallaberry
rejane janowitzer
renata bottino
renata faria
renato aguiar
renato pontual
ricardo ferreira
ricardo terra
rico s. correa
robert ewing finnegan
roberto gomes
roberto rangel
rogério bettoni
rosa freire d'aguiar
salma tannus muchail
sandra biondo
sarah rebecca kersley
saulo von randow jr.
sávio resende
sérgio bath
sergio flaksman
sérgio freire
sérgio pachá
sheyla barretto de carvalho
solange ribeiro de oliveira
suellen pareico
tatiana miranda
thereza christina motta
thiago cardoso
tiago pavan
vera pereira
vera ribeiro
virna teixeira
wellington vinnícius fochetto jr.
wladir dupont
ygor goulart
zahidé lupinacci muzart

veja outras mensagens em pela memória e pela história.

imagem: matisse, vigne, maglm fr, flickr

92 comentários:

  1. Gostar de plagio? Impossivel! Nem é uma questao de gosto; é mais grave, em muitos e amplos sentidos.... e dominios da vida (criativa) humana....

    Laura Barreto

    ResponderExcluir
  2. Prudencio17.5.09

    Nunca tinha escutado nada a respeito desta prática absurdas de algumas editoras.
    E confesso ter alguns exemplares da MC, que apesar da arte de gosto duvidoso das capas, oferecia um preço razoável. Mais uma vez o barato saí caro e o desrespeito, a falta de ética e o crime rolam soltos sem que ninguém se responsabilize ou seja responsabilizado.

    Enfim: To passada!!!

    Por minha conta não compro mais livros da referida editora, bem como passo adiante estas informações.

    ResponderExcluir
  3. Já escrevei sobre esse tema no meu blog e com certeza... SOU COMPLETAMENTO CONTRA! Se as pessoas usassem mais a cabeça e a inteligencia para criar, não teriam tempo de viver como "sombras" de outros que só querem mostrar seu trabalho!

    Á quem interessar... taí o link bo blog!

    http://escreverpramentender.blogspot.com/2009/04/plagio-nao-creditossim.html

    Grande abraço a todos!

    ResponderExcluir
  4. Olá Denise,
    Já te apoiava no outro blog e agora continuo te apoiando por aqui também. Eu também NÃO GOSTO DE PLÁGIO!!!!!
    Julieta Sueldo Boedo

    ResponderExcluir
  5. Parabéns pelo "não gosto de plágio", Denise! Agradeço por entrar na lista dos que não gostam de plágio e gostariam que bibliotecas, universidades, portais etc. excluíssem do acervo as editoras plagiadoras.

    Luciano Codato

    ResponderExcluir
  6. Um abraço de Portugal. Também detesto plágio, que é coisa de ladrões de segunda categoria.
    E há-os em todo o lado, desde o casebre mais imundo, até aos salões mais académicos por esse mundo fora.

    ResponderExcluir
  7. Nelson Goro26.6.09

    Plágio é uma pobreza cultural. O plagiador é um incapaz que sobrevive apropriando-se do trabalho de terceiros. Um incompetente !!

    ResponderExcluir
  8. Venho só espessar modestamente a lista dos detestadores de plágio e parabenizar você por este blog de que tive conhecimento por acaso, em andanças pela blogosfera. Pretendo ler mais aqui. Sou tradutor também.

    ResponderExcluir
  9. Merece destaque e ampla publicidade os esforços da autora do Blog no combate a essa chaga cuja maioria das pessoas nunca ouviu falar. Meus parabéns pelo esforço e pelos resultados alcançados até o momento!

    ResponderExcluir
  10. Sinceramente... Pesquisei bastante pela web. Fiquei frustrado. Comprava os livros -- foram "só" oito, "só" oito... -- da Martin Claret (Martin "Plagiet"), pensando assim: "Pôxa, agora vou ter material decente para prosseguir com meus estudos em Filosofia e Sociologia... Bah! Dinheiro jogado fora!!! Quero -- e muito -- fazer parte da lista de quem odeia plágio. E farsa. Disse a um amigo sobre a reportagem, mostrando a ele o jornal, ontem, dia 26/06. Perguntei a ele -- um amigo filósofo -- o que ele faria com tanto material. "Primeiro, leria tudo. Depois, jogaria numa fogueira, em honra a Dionísio." Disse isso rindo. E da minha cara. Até eu rio agora -- por que já cansei de chorar...

    ResponderExcluir
  11. Lucas Petry Bender7.8.09

    Fundamental serviço de utilidade pública este, de zelar pela integridade do nosso patrimônio literário. Bom trabalho!

    ResponderExcluir
  12. Moacyr Scliar23.8.09

    Como autor plagiado, posso dizer que também não gosto de plágio... Abrs. Moacyr

    ResponderExcluir
  13. Com um plagiado eventual, também não gosto de plágio... Estou na sua lista. Um abraço. Sérgio Freire.

    ResponderExcluir
  14. Anônimo10.9.09

    Cara Denise,

    Cheguei a seu blog por meio do Tradutor Profissional. Amei o que encontrei - não os casos de plágio, mas uma pessoa disposta a fazer algo a respeito.

    Infelizmente, trata-se de um problema que não se restringe a autores ou tradutores. O plágio vive bem, obrigado, nas escolas, universidades e academias. Integridade acadêmica virou démodé

    Ha muito eu pensava em criar um blog contra a cultura do plágio nas instituições de ensino. Agora, acho que vou fazê-lo.

    Parabéns

    Andrei Soares

    ResponderExcluir
  15. Parabéns, Denise, pelo blog.
    Cheguei até aqui por intermédio de "livros e afins".
    Não gosto e não concordo com o plágio.
    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Anônimo14.9.09

    Denise:

    Cometer plágio é como raptar um filho nosso.
    Mesmo quando não saibamos que "raptaram uma tradução nossa", isso machuca nosos corações.
    Como autor de um livro técnico na área de informática, eu me sentiria roubado se desobrisse que alguém mais tenha usado minha obra ou parte dela em algum trabalho, ocultando a autoria ou citação.

    Flavio Deny Steffen

    ResponderExcluir
  17. Denise, estou feliz de ver que você não esmorece na sua luta e que tanta gente foi alertada por você e pelo Saulo.

    Conte sempre comigo nessa campanha, pois estou tão indignada como você. Nada justifica essa desonestidade.

    Com grande admiração e respeito, um abraço

    Marion Luiza Pfeffer
    marion.luiza@gmail.com

    ResponderExcluir
  18. Denise, só agora, depois de tanto tempo, paro e olho com atenção este seu blogue. Trabalho monumental. Parabéns. Por favor, inclua meu nome na lista dos que não gostam de plágio. E conte comigo para ajudá-la no que precisar, eventuais cotejos, divulgação, por exemplo. Mais uma vez, parabéns.
    Ivone C Benedetti

    ResponderExcluir
  19. Heloisa Velloso27.9.09

    Nossa,Denise! Que absurdo essa história de plágio! Que caras de pau, chupando impunemente texto, pesquisa, trabalho dos outros...
    Sobre o 1984 que meu pai traduziu, estou só pensando como devo agir. Biblioteca do Exército, é? Eles vão ver só!
    Por favor, ponha meu nome na lista, sim?
    Obrigada por me avisar, Denise!

    ResponderExcluir
  20. Impossível Gostar de Plágio, que é uma forma desumana de agir com o intelecto de quem produziu o trabalho. Quanto suor perdido para alguém chegar, pegar e dizer que foi seu suor!
    E por favor, coloque meu Nominho aí! Plágio além de crime é atestado de incapacidade de fazer os seus próprios!
    Letícia Rodrigues - Dois Caminhos

    ResponderExcluir
  21. Prezada Denise, enquanto pesquisadora de tradução, encontrei o conto Zadig de Votaire, publicado por uma editora mineira, cujo tradutor é Galeão Coutinho. No entanto, ela é idêntica, sem nenhuma alteração, inclusive nas notas, àquela feita por Mário Quintana, em 1951, como está assinalado no seu Blog, dentro da obra Contos de Voltaire. Como vc acredita que eu deva proceder à verificação de um possível plágio de tradutor, já que os dois escritores existiram e têm muita importancia na sociedade brasileira?
    Agradeceria enormemente se pudesse trocar uma idéia comigo pois enriqueceria em muito minha tese de doutorado. Não havia dado muita importânica ao fato, mas qdo vi seu blog, me encantei pelo assunto.
    att.
    mayra guedes

    ResponderExcluir
  22. olá, mayra: sugiro que vc entre em contato com a editora e peça informações sobre a edição de onde extraíram a tradução de galeão coutinho: data, nome da editora, se possível um exemplar da época. ele fez o cândido em 1944 para a saraiva, se não me engano. vc encontra meu e-mail no perfil, à direita. se quiser me escrever, será um prazer. aliás, fiquei curiosa em conhecer essa nova edição. qual é a editora?

    ResponderExcluir
  23. Denise, eu também não gosto de plágio e, menos ainda, de ler uma tradução plagiada e/ou adulterada.

    ResponderExcluir
  24. Luiz Henrique8.11.09

    Fiquei boquiaberto com a extensão do problema. Confesso que sempre desconfiei da Martins Claret.
    Denise, estou catalogando os livros de meu pai e me deparei com três nomes que não tenho certeza se se referem a mesma pessoa. São todas Ligia Junqueira que também aparece com sobrenome (a mais) Smith e Caiuby. Você poderia me esclarecer, se souber?

    ResponderExcluir
  25. olá, luiz henrique, de fato a extensão das fraudes é terrível.
    sim, lygia (ligia) junqueira, lygia junqueira caiuby e lygia junqueira smith são a mesma pessoa. o nome de casada é lygia junqueira smith.

    ResponderExcluir
  26. Olá Denise,
    Parabéns por tudo neste excelente e importante site. O Urso de Óculos também não gosta de plágio!
    Sarah - Urso de Óculos livraria internacional - Itacaré, Bahia.

    ResponderExcluir
  27. Eu, Tiago Pavan, livreiro, repudio com veemência qualquer tipo de plágio literário.

    ResponderExcluir
  28. Anônimo16.11.09

    Ei, eu também não gosto de plágio!

    Janaína Castilho Marcoantonio

    ResponderExcluir
  29. Celso Mauro Paciornik25.11.09

    Na condição de quem vive de tradução há quase 30 anos, de quem sabe o suor que custa "extrair a palavra essencial das profundezas artesianas do homem" no verso de Maiakóvski (na tradução de Boris Schneiderman e Haroldo de Campos), e de quem nas vezes (poucas, diga-se) em que pinçou alguma palavra avulsa emprestada na tradução de um colega (vivo ou morto) o fez cheio de respeito, gratidão e pudor, quero me solidarizar com os mentores e executores deste blog pela generosa caçada que fazem aos folgados salteadores do trabalho alheio.
    Celso Mauro Paciornik

    ResponderExcluir
  30. Anônimo6.12.09

    Eu não gosto de plágio. E obrigado pelo trabalho digno que vem fazendo. Abraço. Thiago Cardoso.

    ResponderExcluir
  31. Ana Maria Dolce Braga de Oliveira-advogada10.12.09

    A propósito das supostas acusações de plágio das traduções das obras: A Origem das Especies e a Seleção Natural de Darwin;A Cabana do Pai Tomás de Harriet Beecher Stowe e Seleções de Flavius Josephus, de Flávio Josephus,apontadas por este blog, a signatária, representante dos interesses de Caroline Kazue Ramos Furakawa, esclarece que não realizou quaisquer trabalhos de tradução das referidas obras e que está tomando as providencias judiciais contra a Editora Madras pelo uso indevido de seu nome.

    ResponderExcluir
  32. ana maria dolce braga de oliveira14.12.09

    Na qualidade de advogada de Caroline Kazue Ramos Furukawa, vimos silicitar o seguinte:
    Na indicação das obras: A origem das Especies e a Seleção Natural de Darwin; A cabana do Pai Tomás de Harriet Beecher Stowe e Seleções de Flavius Josephus, de Flávio Josephus acusadas de plágio,que seja retirado o nome de Caroline Kazue Ramos Furukawa, como sendo a tradutora, para evitar prejuízos que a ela estão sendo causados, em face da divulgação do referido fato nesse blog.

    ResponderExcluir
  33. Absurdo! Absurdo Total!
    A ABDR solicitou a retirada de "A Cidade Antiga" (1864) , de Fustel de Coulanges (1830-1889), tradução de Frederico Ozanan Pessoa de Moraes, da estante virtual do eBooksBrasil.org no Scribd. Absurdo! A obra é de dominio público e a tradução publicada foi autorizada pelo tradutor. Absurdo! Entrei em contato com a ABDR e fui informado que estaria ferindo direitos autorais da Martin Claret! Absurdo! O Frederico nunca! autorizou sua tradução para a Martin Claret... e na Martin Claret me informaram que não estariam mais (sic) usando a tradução de Frederico Ozanan Pessoa de Barros. - A tradução, AUTORIZADA pelo tradutor, continua disponível no eBooksBrasil.org - Teotonio Simões - eBooksBrasil

    ResponderExcluir
  34. ana maria dolce braga de oliveira18.12.09

    na qualidade de advogada de Caroline Kazue Ramos Furukawa, vimos confirmar todas as afirmações anteriores e dizer que estamos certas de que nos procedimentos que ajuizaremos para o caso, a responsabilidade será esclarecida.

    Ana Maria Dolce Braga de Oliveira

    ResponderExcluir
  35. Anônimo29.1.10

    Puxa! Que bom encontrar um blog como esse. Trabalho lendo a produção dita infanto-juvenil há por volta de quinze anos. A produção dobrou de tamnho e a quantidade de resenhadores se manteve. Coisas dos órgãos públicos que não sabem se adaptar a mudanças. Mas graças a isso, já me aconteceu de na produção de um mesmo ano ler três ou quatro traduções diferentes feitas para Pinóquio ou Robinson Crusoé. Como a publicação é seletiva, escolho a melhor entre elas e só resenho uma. Mas sempre ficam dúvidas que não tenho com que esclarecer. Por exemplo: achei a tradução de Alice feita por Lobato muito ruim. Eu tenho impressão que o "nonsense" demorou muito tempo para ser compreendido no Brasil, onde o humor burlesco sempre fez mais sucesso. Pego livros antigos e percebo uma verdadeira mixórdia entre os termos "adaptação", "reconto" e "tradução". Há traduções, segundo a ficha catalográfica, que são na realidade "resumos" da obra. Descobri o texto integral de Robinson Crusoé por meio da Cia Ed. Nacional. A obra foi cortada em dois terços por todas as outras editoras que publicam adaptações do texto. Isso é muito doido. Enfim, adorei conhecer vocês e voltarei mais vezes e com mais calma. Abs. Ana Lúcia Brandão

    ResponderExcluir
  36. Eu não gosto de plágio, e não gosto de traduções feitas automaticamente por programas eletrônicos.
    É o que parece ter acontecido em um livro técnico que adquiri recentemente, para meu espanto.
    Postei um queixume em meu blog:

    Abraços e parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  37. http://revistagalileu.globo.com/Revista/Common/0,,EMI122369-17770,00-VEJA+AS+OBRAS+QUE+AVATAR+E+ACUSADO+DE+PLAGIAR.html

    Olha, não sei se é plágio mesmo, mas que tem semelhança tem...

    abs

    ResponderExcluir
  38. Peço sua atenção para o que considero o mais escancarado caso de plágio da internet brasileira! Está tudo em http://butecodoedu.blogspot.com/2010/02/mais-sobre-roberto-chalita-o-plagiador.html

    Obrigado.

    ResponderExcluir
  39. Denise, parabéns por seu blog! É fantástico o trabalho que você vem realizando. Denunciar essa indústria editorial corrupta e totalmente descompromissada com a verdade é um ato de coragem e respeito com aqueles que a anos são lesados com a prática do plágio e do pirateamento, os tradutores e os leitores. Eu estou extremamente perplexo e me sentindo lesado com as denúncias que eu econtro aqui, principalmente por ser um bibliotecário e ter estudado de cabo a rabo princípios de direito autoral e a produção editorial no Brasil. Na qualidade de consumidor, cidadão e por minha ética profissional digo que SOU CONTRA O PLÁGIO!!!

    ResponderExcluir
  40. Milton Ribeiro

    http://miltonribeiro.opsblog.org/

    ResponderExcluir
  41. Se a senhora acordar, eu gostaria de traduzir esse artigo ao inglês (o pelo menos, partes dele) e publicar algo no meu blog (http://baldwinsoftware.com/blog/) ao respeito (publicidade restrito, sabe). O meu blog tem como tema central a tradução, tecnologia, software livre, e a liberdade de informações (além de outros assuntos).

    ResponderExcluir
  42. prezado tony, be my guest and pls just let me know if u do it.

    ResponderExcluir
  43. Carla Hilst23.2.10

    Eu não gosto de plágios! Detesto saber que uma obra foi licenciada, principalmente no caso de seriados. Não é raro encontrar traduções feitas pelos fãs e usadas pela empresa sem autorização, na maior cara-de-pau! Antes fazia traduções pra outros fãs de livros, séries e música, mas parei. Não quero encontrar meu trabalho por aí e saber que tem alguma empresa lucrando em cima disso sem me dar os devidos créditos.
    Bela iniciativa!

    ResponderExcluir
  44. Denise,
    Apoio TOTAL!
    Continua mandando notícias.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  45. Madison23.2.10

    Oi Denise,
    Conte com meu total apoio, algumas empresas não têm vergonha...

    Madison

    ResponderExcluir
  46. muito apoiada!
    abraços e parabéns

    ResponderExcluir
  47. Luana24.2.10

    Li hj que a Landmark quer nao soh processa-la-e sem explicar os mesmos erros de traducao-e ainda por cima tira-la do ar???
    Eh o caso de se fazer um escandalo internacional! Nao pode ficar assim! Eh o fim!!! Sucesso pra voce!

    ResponderExcluir
  48. Denise, por favor me inclua na lista dos que não gostam. Desculpe o atraso.
    Jussara Simões

    ResponderExcluir
  49. Parabéns Denise, pelo trabalho e pela coragem. Plágio também é pirataria.

    ResponderExcluir
  50. Também não gosto de plágio!!! E quem pode gostar???
    Podemos nos tornar vítimas dessas cópias a qualquer momento.
    Sou a favor de pessoas que se inspiram na arte, que imaginam, que se esforçam, que pensam, que CRIAM!

    A justiça deve estar do lado do que é justo!!!

    ResponderExcluir
  51. Quero meu nome nessa lista, por favor :)

    ResponderExcluir
  52. Meu nome na lista tb, por favor.
    Apoio total à essa causa!

    ResponderExcluir
  53. Anônimo25.2.10

    Se o assunto é plágio, deem uma olhada em
    http://www.extraderondonia.com.br/modules/smartsection/item.php?itemid=159

    Os denunciantes tem sido perseguidos, caçados,acossados.

    ResponderExcluir
  54. Eide Sandra Azevedo Abreu25.2.10

    Meu nome também, por favor.

    ResponderExcluir
  55. ae tenho um blog também e dá muita raiva. :)

    Ygor Goulart

    ResponderExcluir
  56. Eu tb não gosto de plágio!

    ResponderExcluir
  57. Anônimo26.2.10

    Se a editora ganhar o processo, vou enfiar um espanador no rabo e sair nas ruas fantasiado de Carmem Miranda..

    ResponderExcluir
  58. Genial a idéia!
    Minha linha de pesquisa é liberalização do direito autoral, porém, o plágio é a grande verdadeira sacanagem na área. Enquanto vários lucram com isso, uma pessoa não pode compartilhar músicas e vídeos com seus colegas de escola. O plágio é começo do direito autoral, onde vc verdadeiramente se vale de uma coisa de outro como se sua fosse, enquanto que o compartilhamento é a multiplicação de um bem infungível, aumentando a riqueza social e cultural.
    Suerte...

    ResponderExcluir
  59. Pow plágio é punk, k. Prefiro meu blog, rs,sou tradutor também!!!

    parra.rb@gmail.com

    ResponderExcluir
  60. Jorge Furtado27.2.10

    Parabéns pelo blog, excelente!

    Cheguei aqui em busca de texto de Ivo Barroso, de quem sou antigo fã e, recentemente, amigo e correspondente.

    Traduzi, com Liziane Kugland, “Aventuras de Alice no pais das maravilhas”, de Lewis Carroll, publicado pela editora Objetiva em 2007. Estamos terminando (três anos de serviço duro!) a tradução do segundo livro “Através do espelho e o que Alice encontrou lá”, se tudo der certo, o livro sai este ano.

    Escrevo para cumprimentá-los, para fazer duas perguntas:

    Primeira:

    Alguém conhece alguma tradução integral para o português de “Aventuras de Alice no pais das maravilhas”, além das constantes no link que segue?

    Alicenations, editado pela Lewis Carroll Society of Brazil:

    http://alicenations.blogspot.com/2009/09/edicoes-brasileiras-de-alice-maravilha.html

    (Tentei mandar a lista, mas excede o tamanho permitido no blog.)

    A quem souber de outras traduções (texto integral do livro de Carroll, não resumo e adaptações), por favor, manifeste-se ou me escreva: jfurtado@portoweb.com.br

    Desde já, agradeço.

    Segunda pergunta:

    Quem é Primavera das Neves?

    Sou fascinado pelo nome desta tradutora brasileira: Primavera das Neves. Tenho uma edição de sua tradução dos dois livros de Lewis Carroll, “Alice no país das maravilhas” e “Através do espelho”, muito boas, Editorial Bruguera, Rio de Janeiro, infelizmente sem data.

    Fui procurar mais informações sobre ela no Google e, pasmem, encontrei apenas uma referência, uma raridade. (Experimente. Nunca encontrei apenas uma referência a qualquer pessoa que procurei no Google, ou não há referência alguma – e talvez a pessoa não exista ou você escreveu o nome errado – ou há muitas referências. Só uma?)

    Pesquisa no Google, em 25.01.10:
    http://www.google.com.br/search?hl=pt-BR&source=hp&q="primavera+das+neves"&btnG=Pesquisa+Google&meta=&aq=f&oq=

    Viagem ao Centro da Terra, Julio Verne
    Tradutor: Primavera das Neves. Editora: Editorial Brugera, RJ. Ano: 1963. Nº de páginas: 256. Medidas: 13 x 19. Peso: 270 gramas. Encadernação: Capa dura ...

    http://www.traca.com.br/livro/70088/viagem-ao-centro-da-terra

    Quem foi Primavera das Neves, tradutora de Carroll e de Julio Verne? Seria um pseudônimo? Alguém já ouviu falar dela?

    Uma hipótese, colaboração de Giba Assis Brasil:
    Primavera das Neves seria um heterônimo eventual da tradutora Vera Neves Pedroso (esta, com 46.500 referências no Google).

    Quem souber, por favor, me avise.

    Mais uma vez, parabéns pelo blog.

    Grande abraço

    Jorge Furtado

    ResponderExcluir
  61. prezado jorge, obrigada pelas palavras gentis.

    quando saiu a tradução do nicolau pela cosac, até fiquei curiosa em conhecer o histórico de suas trads. no brasil - desisti quando cheguei a 30.... mas a título de curiosidade vou dar uma espiada de novo.

    quanto à primavera das neves, muito interessante. escrevi a leonardo fróes, que era editor da bruguera no final dos anos 60, para ver se ele lembra. em todo caso, a sugestão de giba assis brasil é instigante.
    aliás, essa encrenca agora com a landmark envolve justamente uma tradução feita por vera pedroso para a bruguera, o morro dos ventos uivantes.
    qq novidade, entro em contato.
    obg por trazer considerações tão interessantes ao blog.

    ResponderExcluir
  62. olha, jorge, as que eu tinha visto constam todas no alicenations.
    vou ficar atenta; se souber de mais alguma, aviso.

    ResponderExcluir
  63. Martha Gouveia da Cruz27.2.10

    Cara Denise,

    Faço parte da comunidade de Tradutores 50302, do Orkut, e lá tomei conhecimento do que vem acontecendo com você e a Landmark.

    Quero transmitir a você o meu apoio e parabenizá-la por sua coragem e seu empenho em prol dos tradutores e da cultura no Brasil.

    Receba meu abraço fraterno,

    Martha

    ResponderExcluir
  64. Parabéns, e obrigado, pelo excelente serviço de utilidade pública!

    ResponderExcluir
  65. Não gosto de plágio e pelo jeito vou ter que comprar meus livros em Portugal?

    ResponderExcluir
  66. denise,
    se servir para algo, pode me colocar na lista. hoje postei sobre teus feitos tradutórios (http://anarusche.com/blog/?p=1868), fiquei muito feliz em notar que vários livros que possuo têm suas palavras.
    um abraço e força

    ResponderExcluir
  67. Anônimo1.3.10

    Denise, o Artilharia Cultural apóia sua briga contra as editoras. http://artilhariacultural.com/2010/03/02/tradutores-apoiam-briga-contra-editora/

    ResponderExcluir
  68. Anônimo2.3.10

    a martin claret plagiou a república de platão da edição da fundação calouste gulbenkian. até as notas de pé de página são idênticas. podem conferir, caso já não estejam sabendo.

    ResponderExcluir
  69. prezado anônimo: sim, o caso da república de platão foi noticiado pelo jornal opção de goiânia, a partir da constatação feita pelo prof. gonzalo armijos, em 2007. foi quando o problema das edições da martin claret começou a adquirir repercussão nacional.

    ResponderExcluir
  70. caro artilharia, o nãogosto agradece o apoio e a divulgação.

    ResponderExcluir
  71. ana rüsche, obrigada!

    ResponderExcluir
  72. luma, ainda bem que essas 15, 16 editoras aqui apresentadas são uma minoria entre o setor. não pode é deixar que a moda pegue ;-)

    ResponderExcluir
  73. Anônimo5.3.10

    Diversas pessoas condenam o download de livros e mencionam os direitos autorais como uma justifica contra tal prática. Serà que isso é pior do que o plágio?? As pessoas que conheço que fazem download não ganham dinheiro com isso e o fazem por não terem, muitas vezes, como arcar com os altos preços dos livros no Brasil.
    Não estou dizendo que sou a favor ou contra, mas plágio é pegar o que não é seu e ainda ganhar dinheiro com isso!!!
    Minhas idas às livrarias agora serão acompanhadas de uma lista com os nomes destas editoras e a Martin Claret (antes minha favorita em função dos preços atrativos) é a primeira da qual manterei distância.

    VAMOS DIVULGAR TAL ABSURDO!!!!!

    Carolina

    ResponderExcluir
  74. Anônimo5.3.10

    Na literatura o que vale é a criatividade. Não gosto de plágio.
    Lívio Oliveira

    ResponderExcluir
  75. Vc ganhou o Prêmio Plausível.

    drplausivel.blogspot.com/2010/03/as-plagas-do-plagio.html

    Abraço!

    ResponderExcluir
  76. Gostaria de manifestar meu apoio ao site e me manifestar contra os plagiadores.

    Bruno Drago
    Advogado

    ResponderExcluir
  77. Não gosto de plágio. Como poeta, duvido que alguém se interessaria em plagiar o meu trabalho. Mas como tradutor, desconfio já ter sido plagiado. E não gostei. Além disso, sou livreiro há quase 15 anos e sempre me causou mal estar vender livros que, visivelmente, não respeitam o leitor. Inclui meu nome aí, Denise.

    ResponderExcluir
  78. dá uma iida em
    http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/donna/19,206,2837581,Jorge-Furtado-compara-traducoes-brasileiras-de-Alice-no-Pais-das-Maravilhas.html

    abraços,
    artur vaz

    ResponderExcluir
  79. olá, artur, que ótimo, obrigada pelo toque!

    ResponderExcluir
  80. e mai eu, odeio plágio!
    Sávio Resende

    ResponderExcluir
  81. Prezados senhores, também não sou a favor de plágio. Com todo o respeito que tenho pela postura de vocês, gostaria de deixar algumas considerações.

    Sou uma das organizadoras da Feira de Livros com 50% de desconto da USP campus Leste. Pelo que devem imaginar, dá um pouquinho de trabalho contatar mais de 70 editoras, fazer a divulgação... Tudo isso, a gente acredita que contribui com a ampliação do acesso à informação, como vcs também o fazem...

    No ano passado, vcs criticaram o evento, por conta da participação de uma das editoras que está respondendo a um processo no MP. Mas existem outras grandes que também participam desse tipo de evento e que por ter maior aceitação do público acadêmico, não sofrem esse problema.

    O que queria dizer é que os organizadores preferiram não fazer 2 pesos e 2 medidas. Decidimos que assim como as grandes editoras com o mesmo problema participariam da feira de livros com 50% de desconto, as pequenas também teriam o mesmo direito.

    Aproveitamos para convidar os respeitáveis participantes desse blog para a III Feira de Livros da USP campus Leste que em 2010 acontece nos dias 13, 14 e 15 de abril das 9h às 21h. O campus fica na Av. Arlindo Béttio, 1000, da estação USP Leste (linha safora Bras-Calmon Vianna), há uma passarela que liga ao campus.

    Saudações e sucesso.

    ResponderExcluir
  82. prezado mundo de macbeth: parabenizo vocês por mais uma edição da feira de livros da usp campus leste.
    gostaria de fazer uma pequena retificação: em momento algum critiquei o evento, muito pelo contrário. considero-o excelente, da maior importância, e até por isso não merece ter sua qualidade empanada pela participação de editoras que não primam por total idoneidade em seus títulos.

    se lhes interessar, a lista de livros e respectivas editoras que apresentam problemas de plágio e contrafação se encontra na coluna da direita deste blog.

    ResponderExcluir
  83. Não gosto de plágio.

    ResponderExcluir
  84. Rafaela Toledo1.4.10

    Comentário interessante que vi no site da Folha. O que acha?

    http://comentarios.folha.com.br/comentarios?comment=19511

    ResponderExcluir
  85. obrigada por avisar, rafaela. na verdade, o leitor confundiu dois casos, o do sr. martin claret e o da landmark. são coisas muito diferentes.

    ResponderExcluir
  86. rafaela, postei um comentário no link que vc indicou, a título de esclarecimento. obrigada de novo.

    ResponderExcluir
  87. Li uma matéria a seu respeito na Folha de São Paulo (Folha Online), fiquei maravilhado com o seu trabalho, feito a partir de um simples blog. Parabéns pela causa e pelo interesse em proteger aos que escrevem ou adquirem direito sobre as obras.

    ResponderExcluir
  88. muito obrigada, wellington!

    ResponderExcluir
  89. eu, que nao gosto de plágio, gosto muito da maneira como vc escreve, e me sinto identificado com essa forma leve. agora já nao estou só...ótimo!, somos dois. abraço.

    ResponderExcluir
  90. ora, zeca, que belo elogio, obg!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.