2 de jan de 2009

a ver

o problema dos plágios da nova cultural na coleção obras-primas, publicada em parceria com a suzano celulose, havia sido encaminhado ao departamento jurídico do instituto ecofuturo. o instituto ecofuturo é a ong beneficiária de 1% do faturamento com as vendas da referida coleção, verba esta que seria aplicada na campanha "ler é preciso" do dito instituto.



como não se trata de dinheiro 100% lícito, o ecofuturo e a campanha "ler é preciso" se viram em posição delicada, tanto mais que o padrinho da iniciativa, o bibliófilo josé mindlin, havia se manifestado contra a prática de plágio.

[relatei esses contatos com a ecofuturo aqui.]

agora recebo informação da diretoria da entidade: foi enviada carta à nova cultural solicitando esclarecimentos. em resposta, a editora entrou em contato com a ong para marcar uma reunião.

a ver.


imagens: http://www.obrasprimas.com.br/; smiley, rolleyes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.