26 de jan de 2009

esclarecimentos dos esclarecimentos

a afirmação dos drs. armando mendonça e gerson mendonça neto, em notificação enviada a mim e publicada aqui, de que são inverídicos os fatos narrados no blog, em que eu teria feito acusações levianas contra seus clientes e sem comprometimento com a verdade dos fatos, não procede.

pelas seguintes razões:

- as informações sobre o livro a arte da guerra, que consta no catálogo do grupo geração, foram extraídas do site geração online.

- as informações de que a geração editorial, em sociedade com a editora leitura, adquiriu 50% da antiga editora jardim dos livros, convertendo-a em selo do grupo geração, também foram extraídas do site geração online.

- as informações sobre a responsabilidade específica da editora geração pela parte editorial do grupo geração foram igualmente extraídas do mesmo comunicado no site geração online.

- as informações sobre a prática de plágio utilizada na obra a arte da guerra pela jardim dos livros foram extraídas da matéria "o pega-pega da arte da guerra", de adam sun, na revista piauí, n. 22.

- as informações sobre a manutenção da obra a arte da guerra no catálogo ativo do grupo geração foram extraídas do informativo publishnews.

- as datas de referência:
a. da formação do grupo geração, com a transformação da editora jardim dos livros em selo editorial do grupo e a definição da responsabilidade editorial específica a cargo da editora geração;
b. da denúncia de plágio da obra a arte da guerra, feita por adam sun;
c. da divulgação dos resultados comerciais do grupo geração para o ano de 2008, com destaque para a referida obra a arte da guerra,
são respectivamente os meses de março, julho e novembro de 2008.

- as informações referentes ao teor e à cronologia das datas acima citadas foram extraídas: a. do site geração online; b. da revista piauí; c. do site da publishnews.

- as informações sobre os números de isbns estampados na obra, seja em paperback ou em formato pocket, foram extraídas do site geração online, já mencionado, e do site da agência brasileira do isbn, na fundação biblioteca nacional, além de verificação adicional feita em consulta aos sites de várias livrarias, a saber, livraria cultura, fnac e curitiba (n/c). as discrepâncias apontadas no nãogostodeplágio resultaram das comparações entre essas fontes.

não posso crer que todas essas fontes sejam levianas ou inverídicas. meu trabalho de consulta e pesquisa se baseou nas referências acima citadas, que foram sistematicamente mencionadas neste blog. quanto às conclusões objetivas a partir de tais informações, parecem-me acima de qualquer margem de dúvida.

esclareço também que não é meu propósito levantar acusações contra quem quer que seja. não faço trabalho de promotoria; faço pesquisas editoriais - quando constato eventuais irregularidades, apropriações, fraudes e falsificações, venho a público e apresento os fatos.

por fim, quanto à conceituação utilizada neste blog para definir os casos de irregularidades comprovadas, ela se baseia em dois elementos:
a. a convicção implícita e explícita de que o livro é um bem cultural e social da máxima importância, regulamentado por leis e normas que devem ser acatadas e cumpridas pelas editoras e seus responsáveis;
b. as acepções dicionarizadas dos termos, aplicados aos casos pertinentes após análise cuidadosa dos fatos objetivos.

não sou diretora de consciência de ninguém - mas, como cidadã preocupada com a idoneidade editorial brasileira submetida a fortes abalos desde 1995, expresso constantemente meus votos de que as editoras envolvidas interrompam essas práticas lesivas e contribuam para a restauração da credibilidade do livro no país.
.

2 comentários:

  1. Denise,
    Talvez fosse o caso de dizer aos advogados para incluir meu nome na notificação. Não se trata de uma acusação isolada sua. Muita gente assina embaixo. Mesmo.

    ResponderExcluir
  2. obrigada, oséias. muito bonito. obrigada mesmo.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.