23/01/2009

como funciona o voluntariado cívico-cultural


minha querida amiga joana canêdo é uma figura. não a conheço, mas adoro!

ela apareceu quando o assinado-tradutores já estava se desmilinguindo - tentou bravamente dar uma ordem razoável à pauta de pontos que eu havia montado para enviar ao fórum dos direitos autorais do minc.

e se a sheyla carvalho da abrates conseguiu fazer uma apresentação decente no seminário do minc, foi por mérito seu e sobretudo por mérito da joana, que até o último momento corrigiu, montou, botou as coisas em ordem, pôs em powerpoint minimamente inteligível.

que figura! que generosidade e espontaneidade e eficiência!

bom, perdemos contato por alguns meses. retomamos nesta semana.

eu estava aqui alucinando com os meandros do submundo editorial, com as tubaínas venenosas do livro, e tentando manter um certo foco. aí, revendo umas suspeitas conexões entre a nova cultural, via best-seller, e a jardim dos livros, topei com algo que me pareceu ser mais um ectoplasma das letras.

bom, hoje a joana me informa sobre suas pesquisas.

meu deus, como é bom sentir gente ao lado, batalhando junto, e como é bom saber que a gente não é louca e que tem outras pessoas que também não se conformam com os descalabros.

depois que passar a aflição de mais um desmascaramento da bandidagem editorial brasileira, postarei um cotejo detalhado.
na versão inicial deste post, eu tinha redigido uma informação errada, envolvendo a dpl/golden books, que retirei agora. este plágio a que me refiro é da jardim dos livros, selo da geração editorial.
imagem: matisse

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.