11/01/2009

de te fabula narratur


escrevi uma cartinha singela, mais singela impossível, e estou mandando para professores do brasil afora. ei-la:

prezado docente:
colabore na campanha contra o plágio de traduções no país.
em suas ementas e bibliografias de curso, evite indicar livros de editoras suspeitas e edições fraudadas.
consulte uma lista preliminar de plágios e obras sob suspeita, disponível em http://naogostodeplagio.blogspot.com/2009/01/para-fugir.html
atenciosamente,
denise bottmann

receando que o apelo possa passar meio em brancas nuvens, gostaria de colocar duas coisas:

- até por determinações socioculturais, às vezes pode acontecer que alguns professores achem esses assuntos um tanto vulgares em termos intelectuais. só que existe uma quantidade descomunal de teses, estudos e artigos de professores e alunos da usp, da unicamp, da unesp, da puc-sp, da ufsc, da ufrgs, da ufba, da ufpb, da ufrn, e de todas as ufs e pucs que se possam imaginar, usando as referências fraudulentas claretianas e novaculturalianas de uma maneira não propriamente elegante do ponto de vista intelectual.

- existe também uma quantidade descomunal de ementas de curso em que inúmeros professores recomendam essas fraudes em suas bibliografias, o que é tanto mais lamentável se lembrarmos acacianamente que a função precípua da docência é ensinar os alunos.

então, caro docente, antes de descartar o assunto, peço que reflita nisso também: de te fabula narratur.

imagem: http://www.kunsthaus.adlerstrasse.de/

10 comentários:

  1. manifestações:

    Prezada Denise
    É espantoso ver que esta picaretagem assumiu dimensões tão gigantescas. Parabéns pelo trabalho de denúncia.
    Luiz Barros Montez

    ResponderExcluir
  2. Denise, herdei uma quantidade de livros e enciclopédias, que estou tratando de limpar e guardar para meu sobrinho. Consultei minha irmã e ela concorda comigo: o menino deve crescer e montar um texto no futuro lendo e apreendendo textos de referência, e no papel.

    Se depender dos pais e da tia, o bichinho não fará trabalhos de escola na base do copia-e-cola, e terá redação, avaliação e pensamentos próprios; por mais que seus professores considerem isso uma atividade normal, aquela coisa de passar de ano pá-buf.

    ResponderExcluir
  3. Denise
    fico aqui torcendo todos os dedinhos para que comece a fazer efeito!

    ResponderExcluir
  4. Denise,

    Seria cômico se não fosse trágico : “Quid rides? Mutato nomine, de te fabula narratur” (“Por que ris? A anedota fala de ti, só que com outro nome”) - Horácio (Sátiras).

    Posso enviar a sua cartinha para as universidades e faculdades locais ?

    Abraços,

    Saulo

    ResponderExcluir
  5. prezado saulo, agradeço muitíssimo se puderes enviar.

    e obg pela citação completa :)

    abç
    denise

    ResponderExcluir
  6. agradeço também a mauricio, rogério, cássia e wladir que avisaram que vão repassar a cartinha a seus contatos.

    ResponderExcluir
  7. obrigada tb a eleonora.

    ResponderExcluir
  8. obrigada tb a andré, que sugeriu uma ótima iniciativa: além de repassar para seus contatos, pedir aos destinatários que passem em frente.
    a primeira corrente do antiplágio, viva!

    ResponderExcluir
  9. Denise,

    Sempre atenta, é muito bom tê-la à frente de iniciativas belas como essa. Vou espalhar o caso.

    Abraço

    ResponderExcluir
  10. Anônimo13.1.09

    Ficarei feliz em poder ajudar!

    Abraços
    Bruno Figueiredo

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.