9 de set de 2010

impunidade

.

o impressionante é a falta de instrumentos legais que protejam os leitores contra obras espúrias. mesmo com ações instauradas por determinação do ministério público, centenas de obras ilegais continuam à venda, totalizando milhões de exemplares a sujar o mercado e engordar os lucros oriundos de práticas ilícitas.

torço para que logo o comércio, a legislação e o poder judiciário se compenetrem plenamente de que livro não é apenas um bem imaterial. ele é um produto material e comercial - portanto, deve obedecer às mesmas leis que protegem os consumidores das fraudes, e as ilicitudes devem ser penalizadas com as mesmas sanções que penalizam, por exemplo, as fraudes da indústria alimentícia ou farmacêutica.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.