9 de jun de 2010

cuidado com a tampa!



tenho o maior respeito pelas instituições do país. quanto à academia brasileira de letras, considero-a uma veneranda entidade de enorme ressonância pública, que abriga em seu variegado quadro muitas pessoas de grande relevância na vida intelectual brasileira. 

e a tradução, como elemento formador da cultura nacional, nunca foi estranha à abl, desde sua fundação: basta lembrar machado de assis tradutor.

aliás, fiquei muito feliz que a vaga de josé mindlin foi ocupada por geraldo de holanda cavalcanti, um dos grandes tradutores literários do brasil. no atual quadro, há vários imortais conhecidos também por suas traduções, por exemplo: ana maria machado, carlos heitor cony, carlos nejar, celso lafer, ivan junqueira, lêdo ivo, moacyr scliar, sergio paulo rouanet...

a abl, diga-se de passagem, também deu apoio a essa nossa luta, com uma vigorosa moção de repúdio ao plágio de tradução.

então tudo isso me faz acompanhar com muito interesse suas iniciativas de fomento à tradução, entre elas o prêmio anual "odorico mendes" para a melhor tradução literária.

devo, porém, confessar minha perplexidade com a notícia de que a obra escolhida neste ano pela comissão julgadora - composta pelos imortais evanildo bechara, carlos nejar e ivan junqueira - foi pequenas traduções de grandes poetas, por milton lins.

creio não ser abusado atrevimento de minha parte indagar quais teriam sido os critérios utilizados para essa premiação.

queixa do esquecimento dos mortos, de jules laforgue (p. 167):

Grand-papa se penchait,
Là, le doigt sur la tempe,
Soeur faisait le crochet,
Mère montait la lampe.

Vovô como bebê,
Com o dedo na tampa,
A mana no crochê,
Mamãe trocando a lamp'a.

ou ainda, à mesma página:

Les morts
C'est discret,
Ça dort
Trop au frais. 

 
No morto,
Sem ressalto,
Conforto
O frete alto. 

imagens: a tampacusto do frete

5 comentários:

  1. Meu Deus! Como é possível alguém publicar isso? Como pode ainda por cima alguém premiar isso?!
    Só pode ser uma piada!

    ResponderExcluir
  2. quem dera fosse, merö, quem dera fosse...

    ResponderExcluir
  3. Mauro Pinheiro14.6.10

    Mais uma garimpada de mestra, Denise. Traduções ruins existem aos montes no Brasil (são ruins porque pagam mal ou são mal pagas porque são ruins?)Vá saber. Mas esse premio dado pela ABL, infelizmente, é um assombro. Como não duvidar de um compadrio quando pessoas de saber notório se prestam a recomendar obras que sequer leram? Ou pior ainda, se leram não entenderam nada.
    Abraço

    Mauro

    ResponderExcluir
  4. Anônimo17.6.10

    E desde quando "tempe" é tampa? Sempre vi como têmpora. E essa lamp'a, faça-me o favor. Gu, gu, gu.
    Antes morrer ignorado do que escrever uma coisas dessas.
    Stella Machado

    ResponderExcluir
  5. A ABL não cuida nem do nosso idioma!
    Lançou um dicionário e um vocabulário (pelo novo acordo ortográfico), um contradizendo o outro em muitas palavras.
    Publicou, em seu site, uma correção capenga desse vocabulário e elaborou um aditamento contendo mais erros. (Ex: Pedia para incluir: bem-fazer)
    O que se pode esperar?

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.