29 de jun de 2010

ABL: o que andam comentando

Folha de S. Paulo: Tradutores veem erros em obras do vencedor de Prêmio da ABL
Folha de S. Paulo: Acadêmicos não se lembram dos outros indicados (link para assinantes uol/fsp)
Autores e Livros: Premiação imoral na ABL
Petê Rissatti: E a qualidade?
Às moscas: A marrequinha dança na ABL
O Povo: Prêmio da ABL é questionado
Sopa de Poesia: Prêmio da ABL para tradutor sob suspeita
ClickPB: Tradutores veem erros
Publishnews: Acadêmicos não se lembram dos outros indicados
Publishnews: Prêmio em debate
Publishnews: Tradutores veem erros
O Globo, Prêmio em debate
Livros e Afins: ABL dá prêmio a tradução com sérios problemas
Alessandrolândia: O famoso QI
Tradutores/Intérpretes BR: Absurdo consumado

atualizado em 6/7/10:
Rascunho, Fiofó exposto


Pedro du Bois: É o que chamo de política em que "uma mão suja a outra".
Luiz Costa Lima: Seria interessante exigir dos responsáveis pelo prêmio que explicassem sua decisão diante da acusação das gralhas cometidas.
Tuca Abbate: Um verdadeiro E-S-C-Â-N-D-A-L-O!
Synn-Kliss: Seriam "coisas da vida" se não flagrassem o descambo social decorrente de favorecimentos e usurpações absurdas.
Roberto Grey: É uma sopa de letrinhas!
Sergio Flaksman: Alguém aí ainda respeita a Academia Brasileira de Letras depois de tudo?
Randerson Azevedo: Você ainda respeita a ABL? Eu já perdi a paciência...
Paulo da Luz Moreira: Que esse pessoal agora em diante trate a tradução com o respeito que ela merece.
Anônimo: Uma vez meu pai me disse que há situações que ficam abaixo da crítica. Acho que esta é uma delas.
Jander: Penso que não é só porque a Academia seja economicamente privada que ela não deva prestar contas, ao menos contas intelectuais, à sociedade.
Dedalus: O mundo das editoras brasileiras parece ser povoado por pessoas da nossa "elite" intelectual, que, em geral, é provinciana.
Guto: Parece que este senhor lançou-se na "tradução" antes mesmo de compreender o que estava a traduzir! Realmente espantoso.
Artur Ataíde: Não é descaso demais para com um prêmio tão importante?
Jander: É uma falta de respeito com todos, sobretudo com aqueles que não possuem o domínio da língua francesa. Acho que estes últimos não merecem ser apresentados a poemas tão bonitos e importantes dessa forma tão grotesca.
Thiago Corrêa: Não compreendo nada da língua, portanto, não consigo compreender o absurdo da tradução.
Iza: Nem Freud explica os atos falhos deste tipo!
Marcia Martins: Acho essa discussão muito saudável, na medida em que chama a atenção para as questões envolvidas na tradução em geral e nos próprios critérios das premiações.
Josemar: A ABL não cuida nem do nosso idioma!
Bruno Figueiredo: Marmelada!
Sérgio de Castro Pinto: a "tradução" do premiado é simplesmente ridícula.
Jorio Dauster: São sandices completas.
Joana Canêdo: "Aberrantes".
José Ignacio: Não por coincidência, entre os imorais que concederam o prêmio a essa excrescência literária estão alguns dos que acharam por bem forçar uma mudança inútil e prejudicial da ortografia da língua portuguesa com o único intuito de vender seus livros de "atualização".
Teoblog: Que tal sugerir à ABL que na próxima dê o prêmio ao "google translator"?
Julio Jeha: Estou pensando seriamente em comprar o livro, pois tenho me divertido muito com os trechos pinçados por você.
Mauro: a premiação pela ABL dessas Pequenas traduções de grandes poetas, pelas informações que venho tendo, é mais um escândalo de incompetência e/ou canalhice...
Fernando Severo: Ele foi até bem moderninho, fiofó e Rimbaud, tudo a ver.
Graf Rèllum: Que gente abnegada, esses nossos imorríveis -- Fizeram uma vaquinha e tanto pra homenagear o amigo.
Jander: o resultado de tudo isso foi 'puro' lodo...
Marcos Lima: Absurdo! A ABL deve achar que tradução é qualquer coisa mesmo, lamentável!!!
Coringa: Isso é absurdo.
Grandes Filmes: não há como negar que lodo é, por vias tortas, a palavra correta para as tais "pequenas traduções"...

atualizado em 13/07/10


acompanhe o caso do Prêmio ABL de Tradução 2010


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.