24 de ago de 2010

confissões, santo agostinho 1

.
e por fim, entre esses livros que demorei para localizar a tradução que serviu de base para a cópia, estão as confissões de santo agostinho.

a tradução de frederico ozanam pessoa de barros - que aparenta ter sido feita a partir do francês - foi inicialmente publicada em 1961 pela editora das américas (edameris). mais tarde, foi reeditada pela ediouro (em meu volume não consta a data, mas parece ser por volta dos anos 80), naquela coleção de clássicos de bolso que, só de olhar, descolam da lombada, se desmancham e soltam as páginas. 


essa tradução de frederico ozanam (o qual, aliás, também fez uma bela tradução d'a cidade antiga, de fustel de coulanges, autorizando generosamente sua disponibilização no site booksbrasil), aparentemente serviu de base para o volume publicado pela editora martin claret em 2002.




a tradução de ozanam, que aqui reaparece com algumas pitadas de ambrósio de pina, s.j., consta em nome de um fantasmagórico "alex marins". essa edição, aliás, traz entre seus "revisores" o mais incansável trabalhador das letras, pietro nassetti.


o respectivo cotejo será publicado nesses próximos dias. devido a excesso de trabalho, o cronograma do blog se atrasou e estou devendo ainda os exemplos de infiltração em escolas, bibliotecas, artigos e teses das edições espúrias de um jogador de dostoiévski e d'as viagens de marco polo, além do caso da monarquia de dante.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.