5 de abr de 2010

irmãs gêmeas

em post anterior, apresentei capas, página de rosto e ficha catalográfica das edições de a minha irmã e eu, texto apócrifo atribuído a nietzsche, publicadas pela hiena em tradução de pedro josé leal (portugal, 1990) e pela moraes/ centauro em pretensa tradução de rubens eduardo frias (brasil, 1992/ 2006).*

*em breve exporei um rápido resumo das relações entre a extinta moraes e a atual centauro.

abaixo reproduzo alguns trechos para comparação entre a tradução portuguesa e a pretensa tradução brasileira.

pedro josé leal




 rubens eduardo frias:




pedro josé leal:



rubens eduardo frias:



cabe notar que esta tradução atribuída a rubens eduardo frias não consta em seu currículo lattes.

torço vivamente para que dr. rubens, membro do corpo docente da unesp de são josé do rio preto, tome ou já tenha tomado enérgicas providências em relação a este e demais casos de pseudotraduções que há tantos anos envolvem seu nome.


atualização em 16/2/12 - obs.: estes são apenas alguns exemplos a título ilustrativo, extraídos de um extenso cotejo feito entre as traduções, com outras traduções e com o original. veja aqui.





dê seu apoio à luta contra o plágio.
visite apoiodenise e assine o manifesto.

Um comentário:

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.