5 de abr de 2010

(a) minha irmã e eu no brasil


my sister and i supostamente seria o último diário de nietzsche, escrito quando estava internado no manicômio em iena, do qual, após uma história repleta de percalços, teria restado apenas uma cópia em papel carbono da tradução feita do alemão para o inglês. em suma, é tida pelos especialistas como obra apócrifa.. 

como diz o prefácio da editora hiena, de portugal: "joguemos pela negativa admitindo que a minha irmã e eu é ficção e só pecaria ao fazer-se passar, mistificadoramente, por obra autobiográfica. pois dela sobra assim mesmo o bastante para nos rendermos a um grande fulgor literário. e chegaria lembrarmo-nos, por exemplo, do diário inventado de byron, que frederic prokosch escreveu (the missolonghi manuscript), ou das memórias de ovídio imaginadas por vintilia horia (dieu est né en exil) para nos parecer ... que não será injusto vergarmo-nos ao resultado deste cometimento, à efêmera e discreta aparição de um grande e anônimo talento".

a obra foi publicada em 1990, em tradução de pedro josé leal, pela editora hiena de portugal.

   


no brasil, a obra foi publicada inicialmente pela extinta editora moraes, em 1992, e depois por sua sucessora, a editora centauro (2006), com tradução atribuída, em ambos os casos, a rubens eduardo frias. 




sobre alguns títulos da editora centauro, ver aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.