10 de fev de 2010

essa praga do plágio


à praga do plágio de traduções no país, que já adquiriu dimensões de calamidade, soma-se a participação do centro difusor de cultura, CEDIC, de belo horizonte.

como eu disse em moby dick, no brasil existem três traduções integrais do opus magnum de herman melville, além de incontáveis adaptações e condensações. há também um plágio grosseiro publicado pela editora martin claret desde 2004.

em 2005, a editora cedic de belo horizonte publicou o que supostamente seria uma tradução inédita, em nome de "leonor de medeiros".













ao consultá-la, porém, constato que é uma cópia literal, de fio a pavio, da edição espúria da martin claret.

a edição claretiana já era uma afronta não só à lei, ao leitor e à sociedade, mas também à gramática, misturando "Vá de Corlears Hook até Coenties Slip" com "Eis vossa insular cidade"; "Que vedes?" com "Mas veja"; "Pare para imaginar: você está no campo" com um dos mais famosos inícios de toda a literatura mundial, "Chamai-me Ismael".

a cedic, por seu lado, não se deu ao trabalho de atamancar ou desatamancar coisa alguma em sua edição. lá está a mesma mixórdia de tratamentos, lá estão as mesmas desfigurações claretianas impingidas à tradução legítima de péricles eugênio da silva ramos.

à esquerda, martin claret; à direita, cedic. 
clique nas imagens para ampliar.












rir para não chorar: em péricles eugênio consta, no período central do primeiro parágrafo: "[...] é preciso um sólido princípio moral para impedir-me de sair deliberadamente para a rua e metodicamente surrar as pessoas" - na cópia da ed. martin claret, ficou "medicamente surrar as pessoas", numa intervenção cirúrgica também adotada pela cedic.

epílogo, idem













entra ano, sai ano, nunca deixo de me assombrar com a desfaçatez e a iniquidade de tal procedimento. como explica o jurista josé carlos costa netto, trata-se da " 'modalidade de contrafação mais repulsiva' não só pelo furto intelectual, mas principalmente pelo processo de dissimulação utilizado pelo plagiário" (regime jurídico do plágio, pp. 9-10).

atualização em 16/2/12 - obs.: estes são apenas alguns exemplos a título ilustrativo, extraídos de um extenso cotejo feito entre as duas pretensas traduções, outras traduções e com o original.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.