2 de dez de 2008

pernas pra que te quero


imagem: http://gfxb.smpgfx.com/Look-Inside/covers/2888778.jpg

na coluna à direita há uma listinha do bem, "eu não gosto de plágio".

hoje criei uma outra, que é uma listinha com vários livros e seus respectivos supostos pretensos ditos alegados tradutores.

é deles que eu fujo.

5 comentários:

  1. Oi D!

    Olha eu de novo! Não sei se vc conhece, mas como vi que na sua listinha negra tem uma tal de Pietro Nassetti, que se repete incrivelmente, dei um "search" nesse nome e encontrei esse outro blog com o seguinte: "Pietro Nassetti, quem é você?

    "Se esse cara trabalhasse 24 horas por dia durante 60 anos, não traduziria nem a décima parte disso"

    Ivo Barroso falando sobre Pietro Nassetti, nome que assina um bom número das traduções de obras clássicas publicadas pela Martin Claret, que está sendo acusada de plágio (matéria completa da Folha na extended entry, via Cisco Costa). Como (graças a Deus) o auto-respeito e o pudor de ser visto com uma porra daquelas na mão nunca permitiram que eu lesse uma das edições de bolso da Martin Claret―capas horrendas, paginação que avança sobre o texto, aquela introdução tão ridícula quanto onipresente, intitulada "Por que ler?"―, não pude desconfiar que se tratava de plágio, mas sempre achei que esse Pietro Nassetti era tão ficcional quanto a maioria das obras que ele dizia ter traduzido. Minha hipótese, porém, era a de que ele não passava de um nome aleatório batizando uma equipe de estagiários. Jesus, como fui ingênuo.


    São Paulo, domingo, 04 de novembro de 2007"

    O link do blog, chamdo "A vida de tiago a." é http://avidadetiago.apostos.com/2007/11/pietro_nassetti_quem_e_voce.html

    Mais um que não gosta de plágio!!

    Até a próxima e parabéns pela corajosa iniciativa!!


    RP

    ResponderExcluir
  2. ... mas, devemos dar o braço a torcer: o homem é um espanto!! Traduz até Machado de Assis para o Português!! Para O PORTUGUÊS!!! IMPRESSIONANTE o talento deste senhor Pietro !!!

    Me diz uma coisa só (mas não me decepcione, pois estamos perto do natal e há tempos, neste período, tive uma decepção grande quando soube da inexistência de um certo velhinho de barba branca e roupas vermelhas: Pietro Nassetti existe?

    ResponderExcluir
  3. :))
    obg pelo link.

    além de machado (quincas borba), no cadastro do ISBN na Fundação Biblioteca Nacional, nassetti consta como tradutor de o primo basílio do eça, marília de dirceu, sonetos de bocage, a carta de pero vaz de caminha (atribuindo a autoria da carta a jaime cortesão, que foi apenas quem estabeleceu o texto), a encarnação do josé de alencar, a farsa de inês pereira...
    já o machado de papéis avulsos foi traduzido para a claret por "marcellin talbot", que costuma aparecer como capista da claret na folha de créditos da editora.
    e o machado de ressurreição foi traduzido para a claret por alex marins.
    já o velho da horta, de gil vicente, foi traduzido para a claret por um tal juan gonçalves.

    são as informações que estão cadastradas, publicadas, divulgadas na fundação biblioteca nacional, agência do isbn....

    farei um post a respeito, com mais calma.

    ih, renato, quanto a seu natal, pelo que sei, a resposta é dupla: não, pietro nassetti não existe. sim, pietro nassetti existiu. consta que ele faleceu em janeiro ou fevereiro de 2005. era um sr. dentista de profissão e amigo pessoal de martin claret, o dono da "editora". consta também que nassetti retribuía o privilégio de ter seu nome estampado nas edições claretianas fazendo tratamento odontológico gratuito para o amigo claret. mas aí já é a fofoca de sarjeta, que não interessa muito.

    já alex marins e jean melville são peças de ficção, como vários outros nomes a que o sr. martin claret atribui a suposta tradução das obras plagiadas.

    ufa!

    ResponderExcluir
  4. D.
    Estava pensando:
    As editoras sérias não se manifestam?
    Não existe uma associação, uma ordem, um sindicato de autores e tradutores?? Não podem entrar com uma "ação conjunta" no ministério público?
    Minimamente promover manifestações nas próximas bienais do livro ou nas Festas Literárias de Parati??? Como se concede um ISBN à uma editora com este tipo de "perfil ético"??? Basta pagar pela licença e pronto??

    Ps. Reparei que a martin claret edita tbm os livros do "obscuro" (na minha opinião) Mestre DeRose..... tá explicado: mesma medida ética!

    ResponderExcluir
  5. prezado renato:
    - sim, várias editoras sérias se manifestaram, e algumas diretamente atingidas tomaram e estão tomando providências.
    - sim, existem associações e entidades que deram e dão apoio às denúncias.
    - sim, é possível entrar com ação coletiva no ministério público. o difícil é organizar essa ação e ter alguma entidade que tome a frente.
    - sim, tentamos participar da feira de porto alegre e da primavera dos livros da libre em sp. acabou não dando, mas a edit. crisálida conseguiu espaço na primavera dos livros da libre no rio. parece que foi boa a apresentação.
    - isbn: sim, basta pagar uma taxa e pronto (se não me engano, 9 reais ou algo assim). após o escândalo do cadastramento das traduções de machado, eça, josé de alencar etc. no isbn, o máximo que a fundação biblioteca nacional fez foi acrescentar uma ressalva nas fichas de cadastro, dizendo que as informações cadastradas são de responsabilidade exclusiva das editoras.

    este foi um trabalho que desenvolvi ao longo de 2008, publicando as pesquisas, notícias, informes etc. num blog coletivo chamado assinado-tradutores.
    por divergências internas com outros coordenadores, eu me afastei do dito blog uns dois meses atrás. muito deploravelmente, no começo de novembro o referido blog, com centenas e centenas de posts meus sobre estes vários aspectos do problema, restringiu o acesso apenas para seus convidados, e assim todas essas informações de interesse público acabaram subtraídas ao acesso amplo, livre e direto da sociedade.
    aos poucos vou retomar aqui alguns posts mais relevantes.

    obg!
    abç
    d.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.