29 de mar de 2010

fala erwin theodor

Cara Denise: escreve-lhe o Erwin Theodor Rosenthal, aquele mesmo que há sessenta-e-quatro anos (aos 20 de idade!) levou 12 meses para completar seu primeiro projeto de tradução, a Origem da Tragédia! Por V. fiquei sabendo de sua disponibilização eletrônica e agradeço seus comentários lúcidos e justos. De minha parte acrescento uma passagem de autor que já foi conhecido, e que talvez divirta os inimigos do PLÁGIO. Escreve Egon Friedell numa "CARTA ABERTA" a um autorzinho de nome Anton Kuh, em 1931, de Viena:

"Prezado Senhor, foi surpresa verificar que V. resolveu publicar a minha humilde estória, O Imperador José e a Prostituta, tal como a escrevi, com o acréscimo das três palavras: 'Por Anton Kuh', na publicação Querschnitt. Honra-me sem dúvida o fato de sua escolha ter recaído na minha estorinha, quando toda a literatura mundial desde Homero se encontrava à sua disposição. Teria gostado de retribuir na mesma moeda, mas, depois de examinar toda a sua obra, não encontrei nada que tivesse vontade de subscrever. (ass) Egon Friedell."

Pergunto eu: que tal a obra do sr. Pugliese?

Cumprimentos cordiais, Erwin Theodor.

ver o caso a que se refere nosso mestre germanista em:

4 comentários:

  1. Anônimo29.3.10

    Deliciosa a historinha!

    Aproveito para um off-topic: por esses dias, precisei procurar, no site da Livraria Cultura, por todos os livros traduzidos por um certo tradutor. É impossível. Não seria o caso de fazer uma campanha para que as livrarias on-line tenham, nos seus mecanismos de busca avançada, uma linha para incluir o tradutor (ou a tradutora ou os tradutores)na busca, se desejado. Já deixei registrado no site da Cultura a minha sugestão.
    Obrigado.
    Tomaz Tadeu

    ResponderExcluir
  2. Muito semelhante, aliás, ao recente caso entre Olavo de Carvalho e Roberto Jefferson. Olavo disse:
    "Se alguma vez concordei em gênero, número e grau com alguma opinião do senhor Roberto Jefferson, foi no dia 19, ao ler nesta Folha o artigo "São ideológicos, por isso corrompem". Nada tenho a acrescentar ou a modificar, pela simples razão de que é um plágio do meu artigo "Pensem nisso", publicado pelo "Diário do Comércio" e reproduzido no meu site. Confiram e verão."

    Quanto à Livraria Cultura: já registrei a mesma sugestão no site (aliás como no da Estante Virtual). A Cultura disse que: "Informamos que alguns titulos listados em nosso site ainda estao com os dados incompletos, como por exemplo o nome do tradutor, mas sao itens que estamos trabalhando para complementar a informacao.
    Intensivamente - como rotina - solicitamos, pesquisamos e coletamos informa- coes sobre titulos junto as respectivas editoras. Alem de inserir os novos dados, tambem atualizamos os ja existentes."
    Mas certamente vale insistir.

    Joana

    ResponderExcluir
  3. não é mesmo encantadora, tomaz? achei uma graça!

    pois é, joana, certamente temos que ficar insistindo!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.