3 de mar de 2010

a bem da verdade

a sra. gislene cavalheiro, da editora cedic, foi muito gentil em ceder um bom tempo de sua agenda para conversarmos sobre os problemas apontados na coleção "projeto ler - literatura universal", e se prontificou a corrigi-los imediatamente.

de minha parte, continuarei com os cotejos de outros títulos problemáticos dessa coleção da cedic, apenas com a finalidade de documentar os fatos para a informação do leitor.

o importante é que a editora retirou a coleção de catálogo e de circulação. agora, em seu site consta o aviso: "Estamos reformulando os títulos da coleção Literatura Universal", conforme se pode ver aqui e aqui.

a sra. gislene cavalheiro também assumiu o compromisso de substituir as edições copiadas por traduções legítimas ou proceder ao licenciamento das obras de tradução junto a seus autores, dando os devidos créditos a quem pertencem de direito.

quanto às instituições e leitores lesados com as edições espúrias que eventualmente tenham adquirido, minha sugestão é que entrem em contato diretamente com a editora e a sra. gislene - pela disposição franca e muito positiva da editora, tenho a impressão de que serão prontamente atendidos.

sobre outros cotejos da cedic e a história complicada envolvendo as editoras matos peixoto, paumape, germape e cedic, ver aqui.

7 comentários:

  1. Palmas para a CEDIC e para a Gislaine.

    ResponderExcluir
  2. palmas para a denise, a cedic e a gislaine.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado por ter lutado e conquistado esta vitória para nós, Denise.

    ResponderExcluir
  4. Muito bem! Prova de que a Cedic, através da sra. Gisleine, circula no parâmetro da urbanidade. Ah, se todas as editoras fossem iguais a você...

    ResponderExcluir
  5. Palmas para Denise. A Cedic não fez mas do que sua obrigação. Infelizmente neste país isto acaba sendo muito..

    ResponderExcluir
  6. Apesar de não fazer mais do que a obrigação, pelo menos foi uma atitude digna, ao contrário da outra editora, que processa em vez de corrigir o erro.

    ResponderExcluir
  7. Anônimo30.7.12

    Mais do que a obrigação.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.