5 de ago de 2015

robert louis stevenson no brasil (1961-2000)

quando se realiza o rastreamento da fortuna bibliográfica de um autor traduzido no brasil, é difícil ter certeza de que o levantamento está completo, pois sempre pode ocorrer algum lapso ou perda de dados sobre suas vicissitudes in terra brasilis. em todo caso, segue-se o que localizei até o momento sobre robert louis stevenson traduzido entre nós, de 1961 a 2000. para as publicações de 1933 a 1960, veja aqui.
  • A flecha negra. Trad. Alberto Denis. As Grandes Obras da Literatura. Brasil S/A, 1961. 178 p.
  • O médico e o monstro (contém também "Markheim" e "O demônio da garrafa"). Trad. Helena Pessoa. BUP, 1963. 192 p.

  • A ilha do tesouro. Trad. Maria Tostes Régis. Clássicos da Juventude, 9. Itatiaia, 1964. 250 p.

  • A ilha do tesouro. Trad. Maria Thereza Giacomo. Melhoramentos, 1964. 200 p.

  • A ilha do tesouro. Trad. Nair Lacerda. Saraiva, 1966. 232 p.

  • O dr. Jekyll e o monstro (contém também "Will do Moinho", "Markheim", "Janet do pescoço torcido" e "Ollala"). Trad. E. Jacy Monteiro. Paulinas, 1968. 

a tradução de jacy monteiro foi saqueada pela ed. martin claret desde 2000, como comento aqui
o volume das paulinas traz cinco contos: além de markheim e janet do pescoço torcido, contém a história que dá nome à coletânea, o doutor jekyll e o monstro, e ainda will do moinho e olallá. há uma introdução bem boazinha de eliseu sgarbossa, do qual não tenho outras referências. além de apresentar um painel da vida e obra de stevenson, a introdução comenta cada um dos cinco contos, aliás estendendo-se razoavelmente sobre olallá.
o volume da martin claret, por sua vez, traz o médico e o monstro, markheim e janet do pescoço torcido. então é muito engraçado ver a introdução de eliseu sgarbossa, devidamente creditada (mas duvido que autorizada), à guisa de posfácio na edição claretiana, conservando as referências a o doutor jekyll e o monstro, embora a edição claretiana use o título mais conhecido o médico e o monstro, e mantendo os comentários sobre will do moinho e olallá. fica realmente bizarro!
para uma comparação de "markheim" nas duas edições, ver aqui


  • A ilha do tesouro. ?. Tecnoprint, 1970. 206 p.
  • A armadilha. "Trad. especial" de Amaral Schmidt. Clube do Livro, 1970. 149 p. 

obs.: encontrei alguns registros avulsos dessa coletânea pelo clube do livro para os anos de 1944, 1961 e 1962, porém sem maiores corroborações. vale notar que a coletânea traz seis contos, sendo apenas quatro de stevenson: "a armadilha", "pousada por uma noite", "o demônio da garrafa" e "ilha dos feiticeiros". a editora já publicara "o demônio da garrafa" em 1951, com o nome de "a garrafa encantada" - ver aqui. os outros dois contos em a armadilha são "a traição", de prosper mérimée (com asterisco especificando que a tradução é de josé maria machado) e "o acidente", de jack london. ver aqui 
  • O médico e o monstro. Ed. Brasileira, s/d (encontrei apenas essa referência avulsa no acervo da ABI)
  • A ilha do tesouro. Clube do Livro, 1971.
  • A ilha do tesouro. Trad. Ecy de Aguiar Macedo. Clássicos da Literatura Juvenil, 1. Abril Cultural, 1972. 194 p.
  • As novas mil e uma noites. Trad. César Tozzi. Cedibra, 1972. 160 p.
  • Um conto que não consegui identificar em O demônio familiar, que consta em nosso acervo na FBN: 


atualização em 06/082015: o conto de stevenson presente nessa coletânea é, com toda probabilidade, "markheim". agradeço a sérgio karam pela informação (vide comentários).
  • O médico e o monstro (contém também "O pavilhão à beira-mar" e "Pousada noturna"). Trad. César Tozzi. Coleção Trevo Negro, 29. Bruguera/Cedibra, c. 1972.
  • Raptado. Trad. Tatiane Belinky. Clássicos da Literatura Juvenil, 33. Abril Cultural, 1973. 200 p.
  • A praia selvagem. Trad. Mary Apocalipse (pseud. de Mary Ann Leitão Karam). Clube do Livro, 1973.
  • As novas mil e uma noites. Editora Três, 1974. 168 p. O livro reúne as histórias de "O clube dos suicidas" e de "O diamante do Rajá".
  • A estátua de mármore. Trad. Jacob Penteado. Clube do Livro, 1974. 160 p.


  • O médico e o monstro. Trad. Luzia Machado da Costa. Distr. Record, c. 1974.
  • O sequestro. "Trad." José Maria Machado. Clube do Livro, 1975. 158 p.
  • O Morgado de Ballantrae. Trad. Henrique de Araújo Mesquita. L&PM, 1985. 223 p.
  • O clube dos suicidas. Trad. Eliana Sabino. Coleção Novelas Imortais. Rocco, 1986.
  • A Ilha do Tesouro. Trad. Marco Guimarães e Sonia Verderese. Hemus, 1986. 189 p.
  • O médico e o monstro. Trad. Lígia Cademartori. Coleção Selo Negro. FTD, 1989.
  • Nos Mares do Sul – Autobiografia de um viajante. Trad. Heloísa Prieto. Iluminuras, 1992. 264 p.
  • O médico e o monstro. Trad. Rodrigo Lacerda. Nova Fronteira, 1992. 177 p.
  • O ladrão de cadáveres/ Janet aleijada/ Os alegres homens. Trad. Cristina Amorim (a partir do italiano). Coleção Clássicos Econômicos Newton. Newton Compton, 1993. 97 p.
  • Sequestrado. Trad. José Rubens Siqueira. Nova Alexandria, 1994. 207 p. [agradeço a informação sobre o tradutor a Mateus Cogo Araújo, nos comentários]
  • O médico e o monstro/ Dr. Jekyll e Mr. Hyde. Trad. Flávia Villas Boas. Paz & Terra, 1995. 100 p.
  • Dr. Jekyll e Mr. Hyde. Trad. Mario Fondelli (a partir do italiano). Coleção Clássicos Econômicos Newton. Newton Compton, 1996.
  • Um jardim de poemas infantis. Trad. Carmen Alica Saganfredo e A.S. Franckini. Sulina, 1999. 80 p.
  • O médico e o monstro (contém também "Markheim" e "Janet do pescoço torcido"). "Trad." Pietro Nassetti. Martin Claret, 2000. Reed. como "trad." de Alex Marins em 2010. Ver comentário acima, no verbete da edição da Paulinas em 1968. Em 2012, a editora finalmente apresenta o nome do verdadeiro tradutor de Dr. Jekyll and Mr. Hyde, espoliado ao longo dos anos: o português Cabral do Nascimento. 

a primeira parte deste levantamento, de 1933 a 1960, está aqui.

sobre a fortuna histórica de dr. jekyll e mr. hyde no brasil, ver o estudo de ana júlia perrotti-garcia, as transformações de dr. jekyll & mr. hyde: traduções, adaptações e demais refrações da obra prima de robert louis stevenson, disponível aqui.


3 comentários:

  1. Sérgio Karam6.8.15

    Oi, Denise: o conto do Stevenson na coletânea O demonio familiar (Bruguera, 1972) parece ser "Markheim", a julgar por esse item aqui, da Estante Virtual: http://www.estantevirtual.com.br/coresigma/Fanu-Stevenson-Crane-O-Demonio-Familiar-Cha-Verde-Markheim-o-Bote-a-Descoberto-59195345
    Abraços!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. caríssimo, que maravilha, com certeza! obrigada!!

      Excluir
  2. Olá, Denise. O tradutor de "Sequestrado", publicado pela Nova Alexandria em 1994 é o José Rubens Siqueira.
    Abraços e parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.