14 de ago de 2015

goethe traduzido no brasil II: werther

após os primórdios e os faustos, aqui, passemos à sua outra mais célebre obra, die leiden des jungen werthers.
  • sua primeira tradução brasileira sai em 1932, por elias davidovich, acompanhada por estudo de sainte-beuve, pela editora guanabara, em sua "collecção benjamin costallat":



dez anos depois, em 1942, a tradução de davidovich foi parar ilicitamente na pongetti, em sua coleção "as 100 obras-primas da literatura universal", "revista" por marques rebelo, iniciativa espúria que teve algumas reedições posteriores. ver aqui.


  • em meados dos anos 1940, numa edição sem data, sai a tradução de galeão coutinho pela livraria martins editora, em sua "coleção excelsior". foi reeditada pela abril cultural (1971-; em volume duplo com fausto, 1983), círculo do livro (idem,1995), itatiaia (2014):


a tradução de galeão coutinho foi fraudada pela editora martin claret que, com algumas alterações cosméticas, publicou-a em nome de pietro nassetti e o título de os sofrimentos do jovem werther, com várias reedições desde o ano de 2000 até 2014. além disso, essa tradução, tal como ocorrera com o fausto traduzido por silvio meira, sofreu grotesca apropriação pela nova cultural em 2002, publicando-a em sua coleção "obras-primas" em nome de "alberto maximiliano".

  • em 1957, temos mais um werther pela organização simões, mas não consegui localizar o nome do tradutor:


  • em 1965, temos a tradução de ary de mesquita, com o título de os sofrimentos de werther, lançada pela tecnoprint em 1965, em sua coleção "clássicos de bolso". reed. pela nova fronteira, coleção "saraiva de bolso" (2014):


  • em 1988, o clube do livro publica os sofrimentos do jovem werther em tradução de erlon josé paschoal, a primeira a usar, finalmente, o título completo da obra. foi reeditada em 1999 pela estação liberdade:

  • em 1994, sai a tradução de marion fleischer, pela martins fontes, em sua coleção "clássicos: literatura", 3:

  • em 1999, temos a tradução de leonardo césar lack pela nova alexandria, reeditada pelas clássicos abril (2010):

  • em 2001, a l&pm publica os sofrimentos do jovem werther na tradução de marcelo backes:

  • apenas no final de 2014, a editora martin claret se dispõe a substituir sua edição espúria em nome de pietro nassetti, em circulação desde 2000, por uma nova tradução, agora de cláudia cavalcanti:


por fim, a título de curiosidade, fique registrado que a editora hedra publicou em 2007 uma tradução portuguesa anônima de 1821.


Um comentário:

  1. Parabéns pelo blog! Para quem gosta de saber a qualidade daquilo que está lendo, é um prato cheio.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.