8 de ago de 2015

blake no brasil

  • Núpcias do Céu e do Inferno. Trad. Oswaldino Marques. Civilização Brasileira, Philobiblion, Coleção Maldoror 7, 1956. Tiragem limitada de 300 exemplares, ilustrações de Blake e com xilogravura de capa de Manuel Segalá, edição feita em prelo manual. Reed. Francisco Alves, 1988.


  •  Escritos de William Blake. Tradução de Alberto Marsicano & Regina de Barros Carvalho.  Série Rebeldes Malditos, 7.  Porto Alegre: L&PM, 1984.


  • Poesia e Prosa Selecionadas. Tradução e prefácio de Paulo Vizioli. J.C. Ismael, 1984. Reed. Nova Alexandria, 1993. 

  • Canções da Inocência e da Experiência. Tradução e prefácio de Antonio de  Campos.  Palmares: Bagaço/Fundação Casa da Cultura Hermilo Borba Filho, 1987 - não localizei imagem de capa.
  • O Matrimônio do Céu e do Inferno / O Livro de Thel. Tradução de José Antônio Arantes. São Paulo: Iluminuras, 2000. 

  • Matrimônio do Céu e do Inferno. Tradução de Júlia Vidili. São Paulo: Madras, 2004.

  • Canções da Inocência e Canções da Experiência. Tradução de Gilberto Sorbini & Weimar de Carvalho. São Paulo: Disal, 2005. 


  • Canções da Inocência e da Experiência. Tradução, prefácio e notas de Mário Alves Coutinho & Leonardo Gonçalves. Belo Horizonte: Crisálida, 2005.

  • O Casamento do Céu e do Inferno & outros escritos. Seleção, tradução e apresentação de Alberto Marsicano. Revisão de John Milton. Porto Alegre: L&PM, 2007.

  • O Casamento do Céu e do Inferno. Tradução de Ivo Barroso. São Paulo: Hedra, 2008.

  • Tudo o que vive é sagrado – William Blake & D.H. Lawrence. Seleção, tradução e ensaios de Mário Alves Coutinho. 2ª edição. Belo Horizonte: Crisálida, 2010.

  • Jerusalém. Tradução de Saulo Alencastre. São Paulo: Hedra, 2010.

  • Canções de Inocência e Canções da Experiência. Tradução de Renato Suttana. 2005; 2011; aqui. Coleção Fúrias de Orfeu. Sol Negro, s/d. 
agradeço a indicação a ricardo araújo



  • Visões das filhas de Álbion. Tradução de Márcio Simões. Coleção Fúrias de Orfeu. Sol Negro, s/d.


em revistas:
  • O Matrimônio do Céu e do Inferno. Tradução de Dênis Urgal. In: Revista Rizoma, 2002. 
  • O Fantasma de Abel. Tradução de Ivan Schneider. In: Revista Lucifer Luciferax, 6. 2010.

grande parte dos dados bibliográficos foi extraída do estudo de juliana steil, aqui.


3 comentários:

  1. Boa tarde Denise, tdo bem?
    complementando a sua matéria, a tradução do Renato Suttana foi publicada pela Sol Negro Edições: solnegroeditora.blogspot.com.br

    Abçs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. opa, ricardo, obrigada! corrigindo.

      Excluir
  2. Denise, acompanho seu trabalho a pouco tempo, entretanto já sou um ávido leitor de seu blog, já que sempre o consulto para compra de livros estrangeiros. Já vi você comentando que não gosta de dar opinião no trabalho dos colegas de profissão. Mesmo assim, insisto: tenho a tradução da hedra, feita pelo Ivo Barroso. Não é questão de desconfiança, mas já vi traduções de outros livros com o Ivo, como o Lobo da Estepe, do Hesse, o que me fez perguntar: Será que ele é especialista tanto em inglês quanto em alemão? OU não estou entendendo nada? Se possível, gostaria de uma indicação de uma tradução o mais literal possível, do texto de O Casamento do Céu e do Inferno, do Blake. No mais, abraços e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.