24 de ago de 2015

o casamento do pequeno burguês, de bertolt brecht

O casamento do pequeno burguês, de Bertolt Brecht

A MÃE trazendo um prato – Aqui está o bacalhau!
Murmúrios de elogios.
O PAI – Isso me faz lembrar de uma história!
A NOIVA – Come papai! O senhor sempre perde a vez!
O PAI – Primeiro a história. No dia da minha confirmação o seu falecido tio estava... não, essa já é uma outra história... Bem, todos nós estávamos comendo peixe, todos juntos, quando de repente, ele se engasgou com uma espinha. Vocês devem tomar muito cuidado com estas malditas espinhas! Bem, então ele engasgou e começou a sacudir os braços e as pernas, como se estivesse remando... A
MÃE – Jakob, o rabo é seu!
O PAI – ... como se estivesse remando e a ficar azul como uma carpa e derrubou um copo de vinho! Nos pregou um susto o desgraçado! Aí bateram nas costas dele como se ele fosse um tambor e ele vomitou tudo por cima da mesa. Não se podia comer mais ali – nós ficamos contentes porque fomos comer tudo lá fora, sozinhos, afinal era a minha confirmação – então vomitou tudo por cima da mesa e quando nós conseguimos deixar ele em forma de novo, ele disse com uma voz bem profunda e feliz, ele era ótimo baixo e cantava no coral, sobre isso também tem uma história ótima, então ele disse...
A MÃE – Meu peixe está bom? Por que ninguém diz nada?
O PAI – Hum, delicioso! Então ele disse...
A MÃE – Mas você ainda nem provou!
O PAI – Eu vou comer agora! Então ele disse...
A MÃE – Jakob, come mais um pedaço.
O NOIVO – Mamãe, meu sogro está contando uma história!
O PAI – Muito obrigado, Jakob. Então, o bacalhau... Ah, sim, ele disse: “Crianças, eu quase me engasguei!” E a comida ficou toda estragada.
Risos.
O NOIVO – Muito bem!
O MOÇO – Ele fala como um livro!
A IRMÃ – Ai, agora eu não quero mais comer peixe!
O NOIVO – Claro, as franguinhas não comem peixe, são vegetarianas.
A MADAME – A luz elétrica ficou pronta?
A NOIVA – Ina! Não se usa faca para comer peixe!
O MARIDO – Luz elétrica é de mau gosto, assim como está é bem melhor.
A IRMÃ – É muito mais romântico.

disponível aqui. embora não constem os créditos, creio tratar-se da tradução de luís antônio martinez corrêa com a colaboração de wilma rodrigues (1972)

tradução em nome de césar santos, editora deriva, 2012:





acompanhe o caso da editora deriva aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.