15 de jan de 2010

pedido de representação no ministério público


é direito de todo consumidor ter acesso às informações corretas que, por lei, devem obrigatoriamente constar em cada unidade de produto comercializado. o leitor, como consumidor do produto livro, tem o direito de saber quem é o autor da tradução da obra que pretende adquirir.

a editora tem o dever de incluir em suas edições a informação sobre a autoria da obra traduzida, conforme estipula a lei 9610/98.

conforme apresentado aqui e aqui, a editora fundamento educacional aparentemente se julga desobrigada de atender à lei e ao leitor. após vários contatos improfícuos com a empresa, e em vista dessa continuada lesão dos direitos de seus leitores, na semana passada entrei com pedido de representação no ministério público do paraná, solicitando as providências cabíveis.

imagem: nicepinheiro

2 comentários:

  1. Só há duas possibilidades para essa "opção" de não divulgar o nome do tradutor: ou há fraude deliberada; ou consideram o tradutor um reles, o que é de um jererequismo sem-fim.

    ResponderExcluir
  2. Olá Denise. Reparei nisso estes dias, fui fazer a resenha de um livro desta editora e sempre coloco o nome do tradutor, revirei o livro, o site deles e sites de livrairas pra ver se conseguia mas nada, mandei email pra editora e nada, ainda nem publiquei a resenha. Não sabia que era um problema generalizado. Corretíssimo da tua parte entrar com uma representação. Mais uma vez obrigada!
    estrelinhas coloridas...

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.