23 de abr de 2011

"a guerra das traduções"


john milton escreveu alguns anos atrás uma súmula circunstanciada do célebre bate-boca (difícil chamar de debate ou discussão) entre bruno tolentino e augusto de campos, "a guerra das traduções". embora o episódio tenha sido um tanto grotesco, vale o artigo de john milton para os arquivos da história lítero-tradutória no país: disponível aqui.

imagem: aqui
.

4 comentários:

  1. Essas e outras polêmicas truculentas do Brasil literário só me fazem lembrar uma expressão deliciosa que ouvi em BH faz tempo: "me inclua fora disso!"

    ResponderExcluir
  2. Anônimo17.7.11

    Neste artigo, http://breviario.org/beharren/2009/07/02/alexei-bueno-e-o-mitomano-bruno-tolentino/, Alexei Bueno parte de uma repulsa pela pessoa de Tolentino para depois desancar a obra.
    Da mesma forma, é impossível imaginar que seria louvado por Olavo de Carvalho e Pedro Sette-Câmara se não simbolizasse os ideais direitistas e cristãos que os mesmos defendem.
    Creio que, mais do que com Augusto, a apreciação (e rejeição) de Tolentino se dá por um viés notadamente ideológico. Mais do que a análise baseada em critérios artísticos, o que se vê é uma disputa entre extrema direita e esquerda.
    (fico anônimo para não atrair a antipatia de pessoas com quem posso vir a trabalhar posteriormente)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Anônimo14.11.12

      Essa resposta ao não oferecer nenhum argumento ao mesmo tempo que apresenta um julgamento apressado é, ela mesma, um exemplo de crítica ideológica.

      Concordar ou discordar faz parte do jogo. O importante é fornecer argumentos para sustentar o seu ponto de vista.

      Excluir
  3. obrigada, prezado anônimo. li o artigo no link que vc enviou: na verdade, acho isso tudo uma grande confusão, mais um telecatch ideológico, como vc bem diz, do que algo substancial. uma pena.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.