7 de set de 2013

kafka, a colônia penal, l.e.l.

no luminoso artigo de sousa, brito e santos, "a recepção da obra de franz kafka no brasil", publicado no periódico pandaemonium germanicum, n. 9 (2005), disponível aqui, encontramos a seguinte passagem:
A antologia A colônia penal, de Torrieri Guimarães (1965) é a grande responsável pela publicação dos textos mais curtos de Kafka. Nela vários títulos famosos e imprescindíveis do autor marcam presença: Das Urteil (A sentença), Ein Landarzt (Um médico rural), Vor dem Gesetz (Diante da Lei), In der Strafkolonie (Na colônia penal), Einhungerkünstler (Um artista da fome), Erstes Leid (Um artista do trapézio), Die Verwandlung (A metamorfose) e Josefine, die Sängerin oder das Volk der Mäuse (Josefina, a cantora ou a cidade dos ratos) são bons exemplos da excelente seleção que reúne 39 títulos. [...] Um problema a ser levantado é o fato de Torrieri Guimarães referir-se à antologia como se fosse do próprio Kafka. Em nenhum momento, é esclarecido ao leitor que os textos não foram reunidos e dispostos daquela forma pelo autor (fato relevante, uma vez que se conhece a preocupação de Kafka com essa questão). Também não são indicados os critérios para a seleção dos textos.



bem, não há muito mistério: trata-se da organização feita por max brod para os escritos reunidos de kafka, gesammelte schriften, correspondendo a seu primeiro volume, erzählungen und kleine prosa, publicado em berlim pela schocken em 1935.



faço aqui um breve reparo a um equívoco que se repete com frequência no artigo de sousa, brito e santos: segundo os pesquisadores, torrieri guimarães teria feito sua tradução a partir do francês. não, a língua de interposição foi o espanhol e a tradução de base utilizada por ele para a colônia penal foi a de juan rodolfo wilcock, publicada pela emecé em 1952, com o título de la condena.






há, porém, algumas diferenças de conteúdo: primeiro, a omissão de "descrição de uma luta", que foi publicada no volume d'a muralha da china, também em tradução de torrieri guimarães; segundo, e muito interessante, a inclusão de "a metamorfose", "um artista da fome" e "um artista do trapézio", contos para os quais torrieri recorreu às pretensas traduções de jorge luis borges, estrambótica novela que já comentei extensamente em posts anteriores.




veja também:
  • kafka no brasil: inglês, francês, espanhol..., aqui
  • kafka borgiano, aqui
  • kafka em espanhol, aqui
  • kafka anônimo-borgiano, aqui
  • kafka anônimo-borgiano-torrieriano, aqui
  • kafka anônimo-borgiano-torrieriano II, aqui

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.