7 de set de 2013

ainda rastreando os primeiros kafka entre nós III

já indiquei os números da revista curitibana joaquim onde, a partir de 1947, foram publicados diversos excertos de kafka, aqui. reproduzo um trecho do post:
graças à tese de miguel sanches neto, aqui, descubro que em março de 1947, no nono número da célebre e efêmera revista curitibana joaquim, fundada por dalton trevisan e erasmo piloto, saíram as que agora creio serem as primeiríssimas traduções de kafka no brasil: um episódio de américa vertido por waltensir dutra,* e "um cruzamento", "o vizinho" e "parábolas", que não entendi bem se foram vertidos por waltensir ou por temístocles linhares.
no número 10 da joaquim, em maio de 1947, temos "o advogado novato" e "a aldeia mais próxima", em tradução de temístocles linhares.
no número 14, em outubro de 1947, temos "o só em kafka", trechos de seu diário traduzidos por georges wilhelm.
no número 18, em maio de 1948, temos uma tradução de wilson martins do episódio inicial d'"o processo", a partir da adaptação teatral feita por andré gide e jean-louis barrault.

bem, no mesmo letras e artes, o suplemento literário dominical do jornal carioca a manhã, encontrei na edição de 26 de agosto de 1947 algumas parábolas e aforismos selecionados e traduzidos por otto maria carpeaux. em nossa cronologia, viriam após o n. 10 da joaquim:







no caso de carpeaux, sem dúvida a tradução deve ter sido feita diretamente do original, imagina-se.

acompanhe a pesquisa sobre kafka no brasil aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.