6 de out de 2010

enquanto isso...

.
teotônio simões, do ebooksbrasil, relata:


Todos os ebooks do eBooksBrasil fora do Scribd - Explicação:


A culpa é dos cupins. A ABDR, em seu trabalho incessante de proteger os interesses editoriais de seus mantenedores, já tinha solicitado ao Scribd a retirada de conteúdos legítimos, aproveitando-se do DMCA, como pode ser visto aqui. Dei todo o tempo do mundo para que a ABDR criasse vergonha e se retratasse, como pode ser visto aqui. Não só não se retratou, como voltou a atacar, solicitando ao Scribd a retirada de outro conteúdo legítimo, como pode ser visto aqui. Como cada vez constato, à abundância, o grau de pouca vergonha vigente, não estranho o comportamento dos térmitas da ABDR. Mas não estou com disposição de ficar brincando de notificações e contra-notificações, principalmente porque todos os livros que coloquei lá estão aqui. Assim, todos os ebooks colocados na estante do eBooksBrasil no Scribd foram retirados. Os autores e/ou tradutores, legítimos detentores dos direitos autorais, poderão, caso queiram, fazer a inclusão diretamente no Scribd. Este é mais um desserviço da ABDR à democratização da cultura em nosso país. Não reclamem comigo (http://www.ebooksbrasil.org/), nem com o Scribd (http://www.scribd.com/). Se quiserem reclamar com alguém, reclamem com a ABDR (http://www.abdr.org.br/).

http://www.ebooksbrasil.org/index2.html#abdr2
.

3 comentários:

  1. Anônimo15.10.10

    Apenas para complementação de sua informação: esse material que você colocou no tal site Ebooks Brasil era propriedade de quem? S.M.J. qualquer material que possua direitos de reprodução assegurado, ou cuja tradução tenha sido vendida às editoras, não pode mesmo ser disponibilizado online. Isso é roubo, ou apropriação ilegal do conteúdo, já que não há uma autorização expressa por parte dos detentores do Direito Autoral ou do Copyright.
    Poderia esclarecer melhor para que não paire dúvidas tanto sobre suas ações quanto sobre as ações da ABDR.
    Att.:

    Marcos José Silva Paranhos, adv.

    ResponderExcluir
  2. prezado dr. marcos josé: atendendo a seu pedido de esclarecimento, e conforme especificado no post, o texto acima é de autoria de teotônio simões e se encontra no site da ebooks.brasil, no respectivo link dado em negrito no final da postagem.

    quanto à sua pergunta: " esse material que você colocou no tal site Ebooks Brasil era propriedade de quem?", devo esclarecer que nunca coloquei nenhum material no referido site. creio que seria mais pertinente o sr. encaminhar diretamente ao site ebooks.brasil e seu respectivo titular as questões referentes à responsabilidade pela disponibilização de conteúdos.

    atenciosamente
    denise bottmann

    ResponderExcluir
  3. Meu caro Teotônio Simões,
    Estou começando a ler a "Ilíada", disponibilizada na Internet. Grande trabalho e excelente serviço para uma nação de pouco acesso à cultura. Muitos professores só poderão ler a obra clássica em seu trabalho. Parabéns.
    Mas como professora de Língua Portuguesa quero colaborar dando uma informação: o verbo de mesmo radical do substantivo "arreio" é "arrear". Verbos terminados em "ear", cujas formas têm a acentuação tônica no radical - rizotônicas -, como no substantivo, desenvolvem um "i", que não ocorre naquelas formas em que tal acentuação cai fora do radical, como em "arrear. Então "eu arreio", "tu arreias", "ele arreia","eles arreiam"; porém "nós arreamos", "vós arreais", sem o "i". O mesmo ocorre com "freio" e "frear", por exemplo.
    Eliane F.C.Lima (http://literaturaemvida2.blogspot.com)

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.