10 de jun de 2017

moacir werneck de castro tradutor

moacir (às vezes grafado moacyr) werneck de castro (1915-2010):
  • o segredo do major thompson, de pierre daninos, difel, 1957
  • o jogador, de dostoiévski, civilização brasileira, 1976
  • notas do subterrâneo, dostoiévski, civilização brasileira, 1986
  • o eterno marido, dostoiévski, civilização brasileira, 1976
  • os campos de honra, de jean rouaud, círculo do livro, s/d (record, 1990)
  • o destino de um homem, somerset maugham, globo, 1956
  • a hora antes do amanhecer, somerset maugham, globo, 1943
  • o diabo no corpo, raymond radiguet, difel, 1958
  • eugénie grandet, honoré de balzac, difel, 1961*
  • a secreta mentira, sherwood anderson (com james amado), globo, 1950 (reed. pela cultrix em 1967 como a verdade de cada um e pela l&pm em 1987 como winesburg, ohio)
  • convergências – ensaios sobre arte e literatura, octavio paz, rocco, 1991
  • os três mosqueteiros, alexandre dumas, difel, 1960 
  • o general em seu labirinto, gabriel garcía márquez, record, 1989
  • do amor e outros demônios, gabriel garcía márquez, record, 1994
  • geração perdida, aldous huxley, livros do brasil, s/d
  • major bárbara e outros textos, bernard shaw, 1949
  • homem e super-homem, bernard shaw, melhoramentos, 1951
  • aventuras de uma negrinha que procurava deus, bernard shaw, globo, 1949
  • bernard shaw: uma biografia irreverente, frank harris, globo, 1947
  • vida e época de nero, carlo maria franzero (com geir campos), nacional, 1958
  • o mal negro, nina berberova, rocco, 1989
  • o monge negro, anton tchecov, rocco, 1987
  • medo de espelhos, tariq ali, record, 2000
  • misti, guy de maupassant, martins, 1955
  • monte oriol, guy de maupassant, martins, 1956
  • as irmãs rondoli, guy de maupassant, martins, 1953
  • as aventuras do barão de münchhausen, g. a. bürger, philobiblion, 1978; villa rica, 1990
  • teresa raquin, émile zola, pongetti, 1942
  • o crepúsculo do capitalismo, michael harrington, civilização brasileira, 1977
  • petróleo: a terceira guerra mundial, pierre péan, paz e terra, 1975
  • antimemórias, andré malraux, difel, 1968
  • "o despertar", isaac bábel, in os russos: antigos e modernos, leitura, 1944
  • stavisky: roteiro para o filme de alain resnais, jorge semprún, paz e terra, 1974
  • aquela rua em paris, elliot paul, globo, 1945
  • "os bandidos", ernest hemingway, in os norte-americanos: antigos e modernos, leitura, 1945
  • vida e morte de trelawny, margaret neilson armstrong, globo, 1943
  • os cinco filhos de addo, charles bonner, josé olympio, 1944
  • a casa dos mortos, edith wharton, globo, 1947 
  • ronda grotesca, aldous huxley, globo, 1948
  • china, 25 anos, 25 séculos, francis audrey, paz e terra, 1976
  • "profissão: latin americanist. richard morse e a historiografia norte-americana da américa latina", tenório trillo, in estudos históricos, fgv, v.2, n.3, 1989

* a tradução de moacir werneck de castro para eugênia grandet foi indevidamente apropriada pela editora martin claret, que a atribuiu a um fictício "alex marins". veja aqui

atualização: retirei da listagem o título os mortos permanecem jovens [e que dei erroneamente como os mortos permanecem mortos], de anna seghers. a tradução foi feita não por moacir, mas por maria werneck de castro. agradeço a mário frungillo e a gonçalo de andrés fernandez pela retificação.

2 comentários:

  1. Mário Luiz Frungillo11.9.17

    Oi, Denise. A primeira edição do romance de Anna Seghers, Os mortos permanecem jovens, é de 1956, Editorial Vitória, volume 19 da coleção "Romances do povo", dirigida por Jorge Amado. No verso da folha de rosto consta: Tradução de Maria Werneck de Castro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, mário, que legal, a cunhada dele, então!
      obrigada! abraço

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.