22 de mai de 2017

baudelaire no brasil - novas datações


Segundo pesquisadores da fortuna bibliográfica e da recepção literária de Baudelaire no Brasil, como Tavares Bastos, Ivan Junqueira, Glória Carneiro Pires e Ricardo Meirelles, as primeiras traduções de Baudelaire no Brasil teriam sido “Moesta et errabunda”, por Carlos Ferreira, e “O veneno”, por Luiz Delfino, ambas feitas em 1871.

As duas se mantiveram inéditas por um bom tempo, vindo a ser publicadas muitos anos depois: “Moesta” em 1881 (em livro) e “O veneno” somente em 1934 (em jornal) e 1941 (em livro). Como não foram publicadas na época de sua feitura, estes e outros estudiosos têm considerado que a primeira tradução vinda a público, em qualquer veículo impresso (livro, jornal ou revista), teria ocorrido apenas a partir de 1872, com a publicação de “Modulações” pelo mesmo Carlos Ferreira acima citado, em seu livro Alcyones.

Todavia, é possível constatar documentalmente que já em 1º. de setembro de 1871, à p. 3 do jornal paulistano Imprensa Acadêmica, Carlos Ferreira trouxe “Modulações” a público. Veja-se aqui.

E pode-se também constatar que nove dias depois, em 10 de setembro do mesmo ano, João Ribeiro de Campos Carvalho publicava no Correio Paulistano sua tradução de sete poemas em prosa: “O estrangeiro”, “Embriagai-vos”, “Um hemisfério nos cabelos”, “Fora do mundo”, “Vênus e o louco”, “Desejo de pintar” e “Epílogo”. Veja-se aqui.


Para a trajetória da baudelairiana brasileira, especificamente em livro, veja-se meu Baudelaire no Brasil, aqui.

2 comentários:

  1. Oi. Não encontrei outro lugar melhor, vou comentar aqui: sabe de algo sobre a tradução de Mamede de Souza Freitas da "História de Civilização - Nossa Herança Oriental" pela editora Record em comparação com a de Monteiro Lobato pela Companhia Editora Nacional? Abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olá, diego: não sei, não. o que sei é que gulnara de morais lobato, que foi quem traduziu o livro que vc cita (e não monteiro lobato, que era tio dela e apenas fez a revisão da tradução) foi iniciada no ofício de tradução pelo tio. deve ser uma tradução de início de carreira, pois ainda nem assinava sozinha e a revisão feita pelo ML consta abaixo do nome dela, como uma espécie de "garantia". mas gulnara veio a se tornar uma boa tradutora.

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.