14 de out de 2016

carlos lacerda tradutor


"fez-me um grande bem traduzir esse livro publicado com o pseudônimo de Luís Fontoura em 1936"

encontra-se aqui uma listagem (um tanto improvisada) de traduções feitas por carlos lacerda, que reproduzo abaixo:
1 - "Memórias de Uma esquizofrênica" de Sechehaye
2 - "O Bem Amado" - Peça levada à cena no Rio em 1963 no teatro Santa Rosa quando o tradutor era governador do Estado. Título original: "Come blow your Horn". Autor Neil Simon.
3 - "Como vencer na vida sem fazer força" (How to suceed in Business without Really Trying) - Consoante Foster Dulles esse hit do palco nova-iorquino foi traduzido por Lacerda na noite de 30 para 31 de Março de 1964 para relaxar da tensão decorrente da situação política deteriorada.
4 - "Jefferson” traduzido em parceria com Fernando Tude de Sousa para a editora Nacional (referido em Pedras e Rosas, 9º capítulo)
5 - "O homem transformado pelo homem" de Jean Bernard
6 - "O Herege" de Morris West
7 - "Por que corres Ulysses ? " de Antônio Gala
8 - "Deus existe" de Frossard
9 - "Minha Mocidade" de Winston Churchill, edição 1941 da Editora Norte Sul, Rio de Janeiro
10 - " O Limão" de Mohammed Mrabet - Do original magrebino (árabe do norte da África), traduzido e adaptado para o inglês por Paul Bowles em colaboração com o autor. Tradução para o português e apresentação de Carlos Lacerda, edição Nova Fronteira
11 - "O homem transformado pelo homem" de Jean Bernard.
12 - "Fevereiro sangrento: a revolução de 1934 na Áustria" de Ilya Eherenburg - Prefácio e tradução de Carlos Lacerda
13 - "O homem que fazia milagres" conto de H. Wells
14 - "O dia em que Lincoln morreu" de
15- "Pedro e Lúcia" de Romain Rolland. Tucano da Globo em 1946
16 - Prefácio para a tradução portuguesa do livro de John Kennedy - "Estratégia da Paz" (apud Roberto Campos, "A Lanterna na Popa - Memórias", editora Topbooks, página 818)
17 - "A Vida de Miguel Angelo", editora Leitura 1944, capa de Santa Rosa
18 - "Em Cima da Hora", de Suzanne Labin, tradução, Prefácio e Notas de Carlos Lacerda - editora Record, 1963,
19 -"Oração sobre a Acrópole" de Ernest Renan, transcrita no livro de crônicas - O Cão Negro (1971)
20 - "Caracteres" de La Bruyère ("fez-me um grande bem traduzir esse livro publicado com o pseudônimo de Luís Fontoura em 1936" Cf. Segundo Capítulo de " Rosas e Pedras de meu caminho"
21 - "Júlio César" de Shakespeare - "A vida de Miguel Ângelo" de Romain Rolland
22 - "Do Escambo à Escravidão - Relações Economias de Portugueses e Índios na Colonização do Brasil (1500-1580) - de Alexander Marchant - Tradução e Notas de Carlos Lacerda escritas para a primeira edição em 1943. 2a ed/INL/MEC em 1980 pela Cia. Editora Nacional. Volume 225 da Brasiliana)
23 - Um objetivo nacional para a Espanha" de Manoel Fraga Iribane
24 - "A dança da morte"de Augusto Strindberg
no mesmo site, encontra-se outra listagem, porém igualmente confusa e incompleta:
b) Apêndice 02 - Relação de Livros Traduzidos por Carlos Lacerda
1. "MINHA MOCIDADE" 1941 de Winston Spencer Churchill, Título original "My Early Life A Roving Comission". O prefácio é de 1930. Editora Norte-Sul.
2. "CARACTÈRES" 1936 - De La Bruyère. "Em Rosas e Pedras de Meu Caminho", 2º Capítulo, disse Lacerda: "fez-me um grande bem traduzir esse livro publicado com o pseudônimo de Luiz Fontoura."
3. "A VIDA DE MIGUEL ÂNGELO" 1944 - Romain Rolland. Capa de Santa Rosa. Editora leitura.
4."JÚLIO CÉSAR" William Shakspeare.
5."PEDRO E LÚCIA" de Romain Rolland. Editora Tucano.
6."RÚSSIA DE STALIN PROGRAMA DO REGIME SOVIÉTICO" 1948 - Prefácio e Tradução dos Contos de Lacerda.
7."EM CIMA DA HORA. CONQUISTA SEM GUERRA" 1963 - Suzanne Labin, título original "I'est moins cinq". Prefácio de Carlos Lacerda Editora Record.
8."O BEM AMADO" Neil Simon, título original "Come Blow Your Horn". Peça levada à cena no Rio, em 1963, no Teatro Santa Rosa quando o tradutor era o Governador do Rio de Janeiro.
9."COMO VENCER NA VIDA SEM FAZER FORÇA" 1964, título original "How to suceed in Business without Really Trying". Consoante John Foster Dulles, esse "hit" do palco nova-iorquino foi traduzido por Carlos Lacerda na noite de 30 para 31 de março de 1964 para relaxar a tensão pelos acontecimentos políticos que ameaçavam o Palácio da Guanabara.
10."O LIMÃO" 1969 - Mohammed Mrabet. Adaptado do original magrebino (árabe do norte da África) por Paul Bowles, em colaboração com o autor. Tradução e apresentação por Carlos Lacerda. Editora Nova Fronteira.
11."JEFFERSON" Conforme referência em "Pedras e Rosas do Meu Caminho", Cap. 9º, a tradução foi feita em parceria com Fernando Tude de Souza.
12."O HOMEM TRANSFORMADO PELO HOMEM" Jean Bernard.
13."O HEREGE" - Morris West.
14."PORQUE CORRES ULISSES" Antônio Galla
15."DEUS EXISTE" André Frossard
16."FEVEREIRO SANGRENTO: A REVOLUÇÃO DE 1934 NA ÁUSTRIA" s/d Ilya Eherenburg. Tradução e prefácio. Editora Alba.
17."O HOMEM QUE FAZIA MILAGRES" H. Wells. Conto.
18."O DIA EM QUE LINCOLN MORREU" ou "Esta noite Vou matar Lincoln” de Jim Bishop. Editora Seleções.
19."ESTRATÉGIA DA PAZ" John Kennedy. Apenas o prefácio da tradução portuguesa é de Carlos Lacerda, conforme informação de Roberto Campos em "A Lanterna de Popa - Memórias". Editora Topbooks, pág. 818.
20."MEMÓRIAS DE UMA ESQUIZOFRÊNICA" M. A Sechehaye.
21. "O ESCAMBO E A ESCRAVIDÃO - RELAÇÕES ECONÔMICAS DE PORTUGUESES E ÍNDIOS NA COLONIZAÇÃO DO BRASIL (1500-1580)" Alexandre Marchand. Tradução e notas de Carlos Lacerda para a primeira edição de 1943. Editora Cia. Nacional, volume 225 da Brasiliana em 1980.
22."ORAÇÃO SOBRE A ACRÓPOLE" 1971 Ernest Renan. Transcrita no livro de crônicas "O Cão Negro"
23. "UM OBJETIVO NACIONAL PARA A ESPANHA" Manuel Fraga Iribane.
24. "A DANÇA DA MORTE" Augusto Strimberg.
25. "SUPERSTIÇÃO DA PSICANÁLISE" Pierre Debray-Ritzen. Com a colaboração de Maria Thereza Corrêa de Mello.
26. "O TRIUNFO" - 1968 Romance de John Kenneth Galbraith, título original: "The Triumph", Prefácio e tradução para a língua portuguesa por Carlos Lacerda. Edição Nova Fronteira
27. "Os Estados Unidos de ontem e de hoje", Roy F. Nichols e outros. Tradução de Carlos Lacerda e Fernando Tude de Sousa, Cia Editora Nacional, 1944
28 "Romeu e Julieta" de W. Shakespeare (citado por Antonio Dias Rebello Filho[1], "Carlos Lacerda Meu Amigo", editora Record, 1980, página 22.
29 "FBI de ontem e de hoje" de Don Withead, Biblioteca das Seleções (livro condensado).
30 "Eu sou uma esquizofrênica" - autor anônimo [1] O foi que encontrado sobre "Romeu e Julieta" é um artigo que chamou a atenção do escritor americano John Dos Passos e republicado no "Cão Negro", editora Nova Fronteira.

há também sua tradução de a morte de ivan ilitch (veja-se aqui).

no inventário do fundo carlos lacerda, depositado na biblioteca central da unb, disponível aqui, encontra-se:
Subsérie: Tradução
Notação: PL05
Datas-Limite: 1960-1976
Quantificação: 0,13 metro linear de documentação textual
(aproximadamente, 780 folhas de documentos).
Conteúdo: dossiê contendo correspondências, artigos de recortes de
periódicos (jornais), comentários, declaração de compra de direitos de
tradução, folhetos de divulgação, textos manuscritos e datilografados das
traduções de Júlio César, Willian Shakespeare, Memórias de uma
esquizofrênica, de M. A. Séchehaye, Em cima da hora, de Suzanne Labin,
O limão, de Paul Bowles, Um objetivo nacional para a Espanha, de Manuel
Fraga Iribane, Superstições da Psicanálise, de Pierre Debray-Ritzen, Por
que corres, Ulisses, de Antonio Gala e A dança da morte, de Augusto
Strindberg. A subsérie contém um dossiê sobre a Associação Brasileira
de Tradutores.

5 de out de 2016

um artigo interessante

um artigo muito interessante de álvaro hattnher é "presença de autores afro-americanos no brasil: as traduções".
disponível aqui.



primeiro romance de um afro-americano a sair no brasil. escrito em 1940, foi lançado aqui em 1941.


3 de out de 2016

o caso de ferdinand lassalle



outro clássico do direito é o texto do famoso discurso que ferdinand lassalle apresentou em 1862, über verfassungswesen. o opúsculo foi inicialmente lançado entre nós pela edições e publicações brasil em 1933, com o título de que é uma constituição?, em tradução de walther stönner a partir da tradução em espanhol de 1931 (que és una constitución?). a tradução de stönner, devidamente creditada, é relançada em 1969 pela laemmert e a partir de 1985 pela liber juris (nesta editora, o título passa a ser a essência da constituição).

em 2005, a russell, editora campineira de livros jurídicos, publica o que é uma constituição, com tradução em nome de ricardo rodrigues gama, tendo diversas reedições em formato livro e ebook.

todavia, se compararmos a introdução da obra, sentimos dificuldade em escapar à impressão de que o texto publicado em nome de ricardo rodrigues gama, à exceção de três ou quatro pequeninos detalhes, reproduz fielmente a antiga tradução de walter stönner,


walther stönner, 1933:



ricardo rodrigues gama, 2005:



já mencionei o caso de a luta pelo direito de rudof von ihering, onde se constata uma bizarra identidade entre a antiga tradução de tavares bastos (1909) e a atribuída a ricardo rodrigues gama, publicada em 2004 também pela editora russell (ver aqui). comentei ainda um curioso enigma referente a arte do do direito, de francesco carnelutti, envolvendo a mesma editora e o mesmo dito tradutor, e que está por ser deslindado (ver aqui).

não tenho muita certeza se tais procedimentos poderiam ser incluídos entre as boas práticas do direito - e, afinal, quem sou eu para julgar? mas fiquem aqui registradas essas ocorrências.

1 de out de 2016

álvaro vieira pinto

ilustração de alexandre nascimento


por meio de ana cláudia romano ribeiro, vim a saber que álvaro vieira pinto traduziu bastante, e obras importantes, sob pseudônimo.

vieira pinto, o principal propositor do projeto nacional-desenvolvimentista à frente do iseb, esteve entre os primeiros alvos de perseguição após o golpe de 1964. já em junho tem seus direitos políticos cassados e em outubro sofre demissão de sua cátedra na universidade do brasil [atual ufrj]. parte para o exílio. primeiro foi para a iugoslávia, onde ficou um ano, e depois, por sugestão de paulo freire, foi para o chile. 

resolve voltar ao brasil em 1968, imaginem só. foi uma dificuldade tremenda.

vieira pinto era poliglota: dominava o latim, o grego, o inglês, o francês, o russo, o italiano, o espanhol e o alemão. em seu precoce retorno do exílio passou a se dedicar à tradução, basicamente para a editora vozes. 

então vivendo uma vida muito reclusa, quase que na clandestinidade, suas traduções logo passaram a sair com pseudônimo: francisco m. guimarães, de 1970 a 1973; floriano de souza fernandes, de 1973 a 1975; mariano ferreira, de 1975 a 1978.  

  1. O Poema de Parmênides: Tradução literal sobre o texto grego, segundo Mullach. In: Diretório Acadêmico da Faculdade Nacional de Filosofia da Universidade do Brasil, Rio de Janeiro, mar. 1951. p.11–15.
  2. JASPERS, Karl. Razão e anti-razão em nosso tempo. Tradução por Álvaro Vieira Pinto. Rio de Janeiro: Instituto Superior de Estudos Brasileiros (ISEB), 1958. (Coleção Textos de Filosofia Contemporânea, 1)
  3. LENIN, Vladimir Ilitch. Obras Escolhidas de Lenin. Tradução por Álvaro Vieira Pinto. 3 vol. Rio de Janeiro: Editora Civilização Brasileira, 1970.
  4. CLARKE, Arthur C. Perfil do Futuro. Tradução por Álvaro Borges Vieira Pinto. Petrópolis, RJ: Vozes, 1970. (Coleção Presença do Futuro, 4)
  5. RAPP, Hans Reinhard. Cibernética e Teologia: O Homem, Deus e o Número. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1970.
  6. TOYNBEE, Arnold Joseph. Experiências: ensaio autobiográfico de um dos maiores historiadores do século XX. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1970. 
  7. SMULEVICH, Boleslav IAkovlevich. Críticas de las teorías y la política burguesas de la población. Tradução por Álvaro Vieira Pinto, 1971. (Série E, 7)
  8. CHURCHMAN, C. West. Introdução à Teoria Dos Sistemas. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1971. (Coleção Teoria Dos Sistemas, 1)
  9. CHOMSKY, Noam. Linguagem e Pensamento. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). 2ª ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 1971. (Coleção Perspectivas Linguísticas, 3)
  10. CHOMSKY, Noam. Lingüística Cartesiana: um Capítulo da História do Pensamento Racionalista. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1972. (Coleção Perspectivas Linguísticas, 4)
  11. POSTGATE, John Raymond. Os Micróbios e o Homem. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1971. (Coleção Ciência Atual, 1)
  12. DAJOZ, Roger. Ecologia Geral. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1972.
  13. BERTALANFFY, Ludwig Von. Teoria Geral Dos Sistemas. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1972. (Coleção Teoria Dos Sistemas, 2)
  14. GÉRARD, Pierre. Introdução Ao Marketing. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. (Coleção Administração de Empresas)
  15. APTER, M. J. Cibernética e Psicologia. Tradução de Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973.
  16. MALINOWSKI, Bronislaw. Sexo e Repressão na Sociedade Selvagem. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. (Coleção Antropologia, 4)
  17. LAWRENCE, Paul R.; LORSCH, Jay William. As Empresas e o Ambiente: diferenciação e integração administrativas. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. (Coleção Administração de Empresas, 9)
  18. PIAGET, Jean. Biologia e Conhecimento: ensaio sobre as relações entre as regulações orgânicas e os processos cognoscitivos. Tradução por Francisco M. Guimarães (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. (Coleção Psicologia da Inteligência, 1)
  19. BERGER, Peter L.; LUCKMANN, Thomas. A Construção Social da Realidade: Tratado de Sociologia Do Conhecimento. Tradução por Floriano de Souza Fernandes (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1973. (Coleção Antropologia, 5)
  20. KANT, Immanuel. Textos seletos. Tradução de Floriano de Sousa Fernandes (pseudônimo) e Raimundo Vier. Petrópolis: Vozes, 1974.
  21. ROGIER, L. J.; BERTIER DE SAUVIGNY, L. B. F. de. Nova História da Igreja. Volume 5: A igreja na sociedade liberal e no mundo moderno. Tradução de Almir Ribeiro Guimarães; Floriano de Souza Fernandes (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1975.
  22. LOURAU, René. A Análise Institucional. Petrópolis, RJ: Vozes. Tradução por Mariano Ferreira (pseudônimo), 1975. (Coleção Psicanálise, 12).
  23. LÉVI-STRAUSS, Claude. As Estruturas Elementares do Parentesco. Roberto Augusto da Matta (Editor). Tradução por Mariano Ferreira (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1976. (Coleção Antropologia, 9).
  24. VAN GENNEP, Artur. Os Ritos de Passagem. Tradução por Mariano Ferreira (pseudônimo). Petrópolis, RJ: Vozes, 1978. (Coleção Antropologia, 11).

listagem extraída do centro de estudos sobre álvaro vieira pinto, aqui.
vide comentário de luiz ernesto merkle, abaixo.