3 de out de 2016

o caso de ferdinand lassalle



outro clássico do direito é o texto do famoso discurso que ferdinand lassalle apresentou em 1862, über verfassungswesen. o opúsculo foi inicialmente lançado entre nós pela edições e publicações brasil em 1933, com o título de que é uma constituição?, em tradução de walther stönner a partir da tradução em espanhol de 1931 (que és una constitución?). a tradução de stönner, devidamente creditada, é relançada em 1969 pela laemmert e a partir de 1985 pela liber juris (nesta editora, o título passa a ser a essência da constituição).

em 2005, a russell, editora campineira de livros jurídicos, publica o que é uma constituição, com tradução em nome de ricardo rodrigues gama, tendo diversas reedições em formato livro e ebook.

todavia, se compararmos a introdução da obra, sentimos dificuldade em escapar à impressão de que o texto publicado em nome de ricardo rodrigues gama, à exceção de três ou quatro pequeninos detalhes, reproduz fielmente a antiga tradução de walter stönner,


walther stönner, 1933:



ricardo rodrigues gama, 2005:



já mencionei o caso de a luta pelo direito de rudof von ihering, onde se constata uma bizarra identidade entre a antiga tradução de tavares bastos (1909) e a atribuída a ricardo rodrigues gama, publicada em 2004 também pela editora russell (ver aqui). comentei ainda um curioso enigma referente a arte do do direito, de francesco carnelutti, envolvendo a mesma editora e o mesmo dito tradutor, e que está por ser deslindado (ver aqui).

não tenho muita certeza se tais procedimentos poderiam ser incluídos entre as boas práticas do direito - e, afinal, quem sou eu para julgar? mas fiquem aqui registradas essas ocorrências.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.