27 de jul de 2016

turguêniev no brasil, 1900-1950


Turguêniev, Ivan (Ivã, Turgenev, Turgenov, Turguenev, Turguenef, Turguenieff)


“A aventura do tenente Yergunov”. In: Os mais belos contos russos dos mais famosos autores.
2ª. série. Tradução de Galvão de Queiroz. Rio de Janeiro: Vecchi, 1945.



Águas da primavera. Tradução de Brito Broca e Georges Selzoff.
Bibliotheca de Auctores Russos. São Paulo: Cultura, 1932.


Ássia. Contém também Decadência. Tradução anônima.
Coleção Volga. São Paulo: Unitas, 1933.


“Ássia”. In: Contos russos. Tradução anônima. Edições Colête, vol. 7.
 São Paulo: A Bolsa do Livro, 1944.



“Biriuk”. In: Os mais belos contos russos dos mais famosos autores. 
Tradução de Manuel R. da Silva. Rio de Janeiro: Vecchi, 1944.



Fumaça. Tradução de Jorge Moreira Nunes. Coleção As 100 Obras-Primas da Literatura Universal.
Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti, 1945.



Ninho de fidalgos. Tradução de Elsie Lessa e Georges Selzoff.
Bibliotheca de Auctores Russos. São Paulo: Cultura, 1932.



“O encontro”. In: Os russos: antigos e modernos. Tradução de Lauro Escorel.
Coleção Contos do Mundo. Rio de Janeiro: Leitura, 1944.



“O médico do distrito”. In: Os colossos do conto da velha e da nova Rússia. 
Tradução de Frederico dos Reys Coutinho. Rio de Janeiro: Mundo Latino, 1944.



O primeiro amor, O mêdo, Birouck. Tradução de Brito Broca.
Rio de Janeiro: José Olympio, 1949.



Paes e filhos. Tradução de Ivan Emilianovitch. São Paulo: Cultura Brasileira, 1935.
Reed. São Paulo: Martins, 1941. Reed. Pais e filhos. São Paulo: Clube do Livro, 1943.


Primeiro Amor e Assia. Tradução de Edy Maria Dutra da Costa. São Paulo: Assunção, 1946.


Roudine. Tradução de Elias Davidovich.
Collecção Benjamin Costallat. Rio de Janeiro: Flores e Mano, 1932.



Rudine. Tradução revista por Marques Rebelo. Rio de Janeiro: Irmãos Pongetti, 1943.
Provável retomada da tradução de E. Davidovich *1932).



Rudine. Tradução anônima. São Paulo: Clube do Livro, 1947.


Sinaida. Tradução anônima. Coleção Azul. Rio de Janeiro: Aurora, c.1946.



Terra virgem. Tradução de Jorge Moreira Nunes. Rio de Janeiro: Panamericana, 1944.


Um búlgaro – romance. Tradução anônima. Rio de Janeiro: Universal, 1933.

A título de curiosidade, vale notar que Um búlgaro, na tradução portuguesa de Lourenço Cayolla, foi uma das primeiras obras russas publicadas em livro no Brasil. Saiu em 1897 em nada menos que três editoras: pela Laemmert carioca e pelas pelotenses Echenique & Irmão (Livraria Universal) e Americana (de Carlos Pinto). Não me parece improvável que essa tradução anônima lançada pela Livraria Universal carioca em 1933 retome a mesma tradução de Cayolla.


Ver Bibliografia russa traduzida no Brasil (1900-1950), aqui.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.