30 de jun de 2016

rex stout, primórdios

rex stout chega com nero wolfe e archie goodwin ao brasil no ano de 1950. desembarca na editora globo, em sua coleção amarela, vol. 140, trazendo a caixa vermelha (the red box) em tradução de isaac soares:




mas é a editora mérito que, nos anos 1950, dedica maior atenção a stout e lança seis volumes seus. a partir de 1953, a mérito promove a criação do "clube de  novelas labirinto", que consistia na remessa mensal a seus assinantes de dois volumes de romances e novelas policiais selecionados pelo clube.



assim, essas edições traziam estampada na capa a chamada "uma seleção Labirinto", em referência, justamente, ao clube de novelas policiais patrocinado pela mérito. de rex stout foram lançados:

1. em 1953, quem matou a milionária? (in the best families), em tradução de b.a. prado:



2. em 1954, três portas para a morte (three doors to death), em tradução de leonor de aguiar:



3. também em 1954, a novela assassina, em tradução de - ora, vejam só - jacó guinsburg:




4. ainda em 1954, trilogia de mistério - três casos de nero wolfe, em tradução de olga biar laino:



5. em 1955, a cadeia de crimes (and be a villain), em tradução de olga biar laino:



6. também em 1955, a pista dos três alçapões (prisoner's base), em tradução de josé geraldo vieira:



finda essa sequência de wolfes pela mérito, apenas em 1968 surgirá outro volume de rex stout, pela edameris: um toque de campainha, em tradução de octavio mendes cajado (que será reeditada a partir dos anos 1980 pela abril, em sua série mistério e suspense):



a partir daí, stout se torna mais conhecido, com lançamentos pela record, francisco alves e principalmente companhia das letras, que nos anos 1990 lança vários volumes do autor. fiquem aqui registradas essas edições dos anos 1950, hoje em dia praticamente esquecidas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.