19 de set de 2015

para não esquecer

tendo constatado dois dias atrás o que me parecem ser claros indícios apontando mais uma fraude de tradução (veja aqui), republico um artigo de anos atrás, com a devida atualização.

ainda que a coleção "obras-primas" da nova cultural tenha sido "descontinuada" a partir de nossas denúncias, livro não é produto perecível. devido às altas tiragens das edições (na faixa de 80 a 120 mil exemplares cada), bem como várias reedições dessas obras, são milhões de exemplares espúrios que continuam presentes em bibliotecas públicas e particulares, bem como à venda em inúmeros sebos. que a republicação desse antigo post possa ainda servir de alerta.


24 de set de 2009


imortais e obras-primas

parei um pouco de postar sobre as coleções de clássicos da literatura da editora nova cultural - não porque suas fraudes desapareceram, e sim porque dei por encerrada a pesquisa de seus títulos. conferi todos os títulos, e os casos de plágio comprovado foram apresentados um a um aqui no nãogosto. outras notícias referentes a essas fraudes na nova cultural foram igualmente divulgadas: ações judiciais de editoras lesadas, acordos extrajudiciais com tradutores lesados, matérias na imprensa, errata pública, republicação da obra legítima lesada etc. a quem interessar, o material está no arquivo classificado com o marcador "nova cultural".

por outro lado, graças ao alerta de um leitor, percebi que ficou um ponto meio confuso que quero esclarecer melhor: a nova cultural tem duas coleções literárias com problemas de contrafação - a saber, "imortais da literatura universal" e "obras-primas".

a coleção "imortais da literatura universal" é composta por 20 volumes, e foi publicada em 1995 e 1996 pela nova cultural/ círculo do livro. a coleção "obras-primas" é composta por 50 volumes, e foi publicada em 2002 e 2003 pela nova cultural/ suzano. ambas as coleções eram de alta tiragem, alguns títulos com várias reedições.

segue abaixo a relação das obras integrantes de cada coleção. quando a tradução é legítima, consta apenas o nome do tradutor sem destaque. quando a tradução é espúria, constam o nome do pretenso tradutor em destaque vermelho e o nome do tradutor legítimo em destaque verde. para ver o respectivo cotejo publicado aqui no blog, basta clicar na listinha dos cotejos disponíveis.


IMORTAIS DA LITERATURA UNIVERSAL
1. Dostoievski, Irmãos Karamázovi - Enrico Corvisieri (Natália Nunes, adapt. para o português do brasil por Oscar Mendes)
2. Emily Brontë, O morro dos ventos uivantes - Rachel de Queiroz
3. Honoré de Balzac, A mulher de 30 anosEnrico Corvisieri (José Maria Machado)
4. Tolstói, Ana Karênina - Mirtes Ugeda (João Gaspar Simões)
5. Choderlos de Laclos, Relações perigosas - Sérgio Milliet
6. Tchecov, As três irmãs - Maria Jacintha
7. Machado de Assis, Brás Cubas/ Dom Casmurro
8. Stendhal, O vermelho e o negroMaria Cristina F. da Silva (Luiz Costa Lima)
9. Ernest Hemingway, O sol também se levanta - Berenice Xavier
10. Émile Zola, Germinal Eduardo Nunes Fonseca (J. Martins); fraude oriunda da Hemus
11. Scott Fitzgerald, Suave é a noiteEnrico Corvisieri (Lygia Junqueira)
12. Charles Dickens, Conto de duas cidades - Sandra Luzia Couto
13. Sartre, A idade da razão - Sérgio Milliet
14. D. H. Lawrence, Mulheres apaixonadas - Cabral do Nascimento
15. Alexandre Dumas, Os três mosqueteirosMirtes Ugeda (Octavio Mendes Cajado)
16. Oscar Wilde, O retrato de Dorian GrayMaria Cristina F. da Silva (Oscar Mendes)
17. Boccaccio, DecamerãoTorrieri Guimarães (Raul de Polillo); fraude oriunda da Hemus
18. Eça de Queiroz, O primo Basílio
19. Jonathan Swift, Viagens de Gulliver - Therezinha Monteiro Deutsch
20. Daniel Defoe, Moll Flanders - Antônio Alves Cury

OBRAS-PRIMAS
1. Miguel de Cervantes, Dom Quixote - Viscondes de Castilho e Azevedo
2. Victor Hugo, Os trabalhadores do mar - Machado de Assis
3. Dante Alighieri, A divina comédia - Fábio M. Alberti (Hernâni Donato)*
4. Dostoievski, Crime e castigo - não consta tradutor (Natália Nunes)
5. Edmond Rostand, Cyrano de Bergerac - Fábio M. Alberti (Carlos Porto Carreiro)
6. Stendhal, O vermelho e o negro - Maria Cristina F. da Silva (Luiz Costa Lima)*
7. Flaubert, Madame Bovary - Enrico Corvisieri (Araújo Nabuco)
8. Jane Austen, Razão e sensibilidade - Therezinha Deutsch 
9. Leon Tolstoi, Ana Karênina - Mirtes Ugeda Coscodai (João Gaspar Simões)
10. Homero, Odisséia - Antônio Pinto de Carvalho
11. Tommaso di Lampedusa, O leopardo - Leonardo Codignoto (Rui Cabeçadas)
12. Charles Dickens, Um conto de duas cidades - Sandra Luzia Couto 
13. Bram Stoker, Drácula - Vera M. Renoldi 
14. Euclides da Cunha, Os sertões
15. Franz Kafka, A metamorfose - Calvin Carruthers (não dou um figo seco por essa edição, mas não localizei a fonte)
16. Mark Twain, As aventuras de Tom Sawyer - Luísa Derouet
17. Choderlos de Laclos, Relações perigosas - Sérgio Milliet
18. Sinclair Lewis, Babbitt - Leonel Vallandro
19. Camões, Os Lusíadas
20. Goethe, Fausto e Werther - Alberto Maximiliano (Silvio Meira e Galeão Coutinho, respectivamente)
21. Voltaire, Contos - Roberto Domenico Proença (Mário Quintana)
22. Tchecov, As três irmãs - Maria Jacintha
23. Herman Melville, Moby Dick - Péricles Eugênio da Silva Ramos
24. Emily Brontë, O morro dos ventos uivantes - Silvana Laplace (Oscar Mendes)
25. Machado de Assis, Memorial de Aires e Esaú e Jacó
26. Daniel Defoe, Moll Flanders - Antônio Alves Cury
27. Eça de Queiroz, A cidade e as serras
28. Gogol, Almas mortas - Tatiana Belinky
29. Boccaccio, Decamerão - Torrieri Guimarães (Raul de Polillo); fraude oriunda da Hemus
30. Pirandello, O falecido Mattia Pascal e Seis personagens à procura de autor - Fernando Corrêa Fonseca (Mário da Silva e Brutus Pedreira respectivamente)
31. Louisa May Alcott, Mulherzinhas - Vera Maria Marques Martins**
32. Virgílio, Eneida - Tassilo Orpheu Spalding
33. Alexandre Dumas Filho, A dama das camélias - Therezinha Deutsch 
34. Henry Fielding, Tom Jones - Jorge Pádua Conceição (Octavio Mendes Cajado)
35. Émile Zola, Naná - Roberto Valeriano (Eugênio Vieira)
36. Shakespeare, Tragédias - Beatriz Viéga-Farias
37. Oscar Wilde, O retrato de Dorian Gray - Enrico Corvisieri (Oscar Mendes)
38. Honoré de Balzac, A mulher de trinta anos - Gisele Donat Soares (José Maria Machado)
39. Edgar Allan Poe, Histórias extraordinárias - Brenno Silveira e outros
40. Jules Verne, A volta ao mundo em oitenta dias - Therezinha Monteiro Deutsch
41. Jonathan Swift, 
As viagens de Gulliver - Therezinha Deutsch 
42. Alexandre Dumas, Os três mosqueteiros - Mirtes Ugeda Coscodai (Octavio Mendes Cajado)
43. Ibsen, A casa de bonecas - Cecil Thiré
44. Joseph Conrad, Lord Jim - Carmen Lia Lomonaco (Mário Quintana)
45. Henry James, Lady Barberina e A outra volta do parafuso - Leônidas Gontijo e Brenno Silveira respectivamente
46. Raul Pompéia, O ateneu
47. Guy de Maupassant, Uma vida - Roberto Domenico Proença (Ascendino Leite)
48. Scott Fitzgerald, Suave é a noite - Enrico Corvisieri (Lígia Junqueira)
49. D. H. Lawrence, Mulheres apaixonadas - Cabral do Nascimento
50. Walter Scott, Ivanhoé - Roberto Nunes Whitaker (Brenno Silveira)

* nos casos da divina comédia e de o vermelho e o negro, os tradutores lesados foram ressarcidos, mas não houve nenhum recall ou substituição dos exemplares espúrios adquiridos pelos leitores e instituições públicas e privadas. em todo caso, a nova cultural retirou de catálogo os 20 títulos das "Obras-Primas" com plágio comprovado.

** atualização em 19/09/2015: constatei que páginas e mais páginas desta tradução de mulherzinhas  em nome de vera maria marques martins se afiguram como mera cópia, com ínfimas alterações de um ou outro termo, da tradução de marcos bagno (melhoramentos, 1998). vide aqui.


Um comentário:

  1. O volume dos Lusíadas contém notas explicativas ao final. Não há nenhuma menção a qual é a edição dos Lusíadas em que se baseou a edição da Nova Cultural. Não há nome do autor das notas explicativas, não há números referenciais quem liguem cada nota ao ponto exato onde está o verbete no poema que está sendo explicado. Por tudo isso, fica a impressão de que foi tudo feito de forma a omitir propositadamente a origem e autoria destas notas.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.