13 de mar de 2014

o desdouro de blasco ibañez

vários amigos me avisaram de uma recente matéria no jornal el país, "blasco ibáñez plagió como traductor obras de shakespeare y aristófanes".

ibánez era um dos donos da editora prometeo, de valencia, e então morava em paris. em 1916, escreveu ao sócio: "Estoy preparando los ‘Dramas completos de Shakespeare con prólogo de Victor Hugo’. Solo existen en castellano colecciones de dramas escogidos. (...) La primera edición española completa será la nuestra (…). Shakespeare escribió 36 y nosotros publicaremos todos (...). Esta será una obra que se venderá siempre: algo que acredita a una casa. Debemos dar golpes así”.

e continuava ele: eu, pegando de umas edições aqui e ali, principalmente antigas, estou com 33 traduções do shakespeare em espanhol, revisadas. aí ficam faltando só três de última hora, para o volume final.

de mais a mais, as traduções que ibañez garfou (que tinham sido publicadas por outra editora, nacente) eram feitas a partir do francês; para as três faltantes, "de última hora", ao que parece foi o sócio da prometeo que traduziu duas delas, também pelo francês, e ibañez revisou, sendo que a terceira foi surripiada a uma edição ainda anterior, de 1884.

toda essa chacalice foi publicada como sendo tradução de um solene desconhecido, "r. martínez lafuente", que nunca ninguém descobriu quem fosse, até a estudiosa 
inmaculada serón ordóñez, após quatro anos de pesquisas, desvendar toda a história - era um nome meramente inventado que blasco ibañez usou nas obras roubadas e publicou pela sua editora.

como se não bastasse, a prometeo lançou doze comédias de aristófanes em três volumes, no mesmo estilo de rapina, também em nome do fictício "r. martínez lafuente".

o artigo de inmaculada serón, muito sério e rigoroso, foi publicado em 1611 - revista de historia de la traducción, disponível aqui.

a matéria de 11/3/2014 no jornal el país, divulgando a questão, está aqui.


    
 página de rosto do quinto volume                                                           página de rosto do terceiro volume
                                     



Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.