27 de mar de 2014

mein kampf no brasil

aproximando-se a data em que mein kampf ingressa em domínio público, saíram duas matérias na folha de s.paulo, "alemanha debate reeditar livro de hitler", aqui , e "brasileiro vende versão digital por dois dólares", aqui. em outro post, comentarei essa segunda matéria, sobre as fraudes e falcatruas rapidamente citadas pela jornalista.

por ora, eis as imagens de capa das edições publicadas no país, desde oitenta anos atrás:


livraria o globo, 1934, tradução de matos ibiapina (major júlio de) - 
em 1940 já tinha atingido sua quinta edição


editora mestre jou, 1962, retomando 
a tradução do major ibiapina de 1934 no que seria sua oitava edição
(essa edição foi logo a seguir proibida pelo ministério da justiça, cf. aqui)


editora moraes, 1983, sem créditos de tradução
(contrafação da de ibiapina)


editora pensamento (de portugal), 1987,
retomando a tradução de ibiapina


editora revisão, 1990 (em dois vols., até terceira edição),
com a tradução de matos ibiapina.
a revisão era uma editora de propaganda neonazista de porto alegre,
de siegfried ellwanger castan, que acabou preso e condenado por antissemitismo.


editora centauro, 2001, retomando a tradução de ibiapina
que saíra anônima por sua antecessora moraes, 
agora atribuindo-a a um fantasmagórico "klaus von puschen",
com reedições em 2004 e 2005, também tirada de circulação.


em suma, até onde me foi possível apurar, existe apenas uma tradução de mein kampf no brasil, a do major júlio de matos ibiapina, várias e várias vezes reeditada por várias casas publicadoras, desde 1934 até a última recolha em 2008, embora continue a circular livremente na rede.


12 comentários:

  1. Anônimo27.3.14

    Curiosidades sobre o tradutor: também foi secretário da fazenda do Ceará http://www.ceara.pro.br/acl/Academicosanteriores/JulioIbiapina.html e maçom http://anpuh.org/anais/wp-content/uploads/mp/pdf/ANPUH.S25.0279.pdf .

    Essa famigerada tradução será que falta muito para cair em domínio público? Não que falte isso para os neonazis fazerem a festa (haja visto as versões piratas web a fora), mas...

    ResponderExcluir
  2. prezado anônimo, como o ibiapina morreu em 1949, se não me engano, entraria em dp em 2019, se tiver herdeiros com a guarda da obra. se não tiver deixado sucessores, já entrou em dp, como obra órfã ou abandonada

    ResponderExcluir
  3. Anônimo28.3.14

    Tenho uma pequena editora, posso traduzir do alemão ou inglês sem problemas?

    ResponderExcluir
  4. não, anônimo, de maneira nenhuma. os direitos estão sob a guarda da baviera, que não autoriza nenhuma edição. leia as matérias acima linkadas.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo28.3.14

    Denise, realmente, eles tem os direitos autorais até 2016. Obrigado pela atenção e resposta rápido.

    ResponderExcluir
  6. Denise, boa noite.
    Anteontem (31/12/2015), encontrei na Livraria Leitura (BH Shopping) o livro da Editora Centauro, edição 2016, em tradução de Klaus von Punchen.
    A capa é a mesma postada por você logo acima.
    É brincadeira...
    Gladstone Marck
    Belo Horizonte MG

    ResponderExcluir
  7. Anônimo6.2.16

    Você teria alguma forma de confirmar se a versão da Revisão é a mesma das outras?

    ResponderExcluir
  8. Denise, boa noite.
    Obstante ao fato de um eventual plagio por Von Puschen (Centauro), esta seria uma versão de tradução crível?
    Obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. bom, é a única que existe no brasil. está disponível na internet

      Excluir
    2. Sim...
      De fato é a unica aqui no BR.
      E sim, tem para venda online.
      Novamente, obrigado!

      Excluir
  9. Denise, boa noite.
    Obstante ao fato de um eventual plagio por Von Puschen (Centauro), esta seria uma versão de tradução crível?
    Obrigado!

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.