3 de jun de 2013

tolstói, depois do baile

além d'a morte de ivan ilitch (veja aqui), outro tremendo sucesso de tolstói no brasil, a considerar pela quantidade de traduções publicadas em cinquenta e poucos anos, é o conto "posle bala", "depois do baile".


são seis traduções lançadas entre 1957 e 2011. interessante notar que, a partir de 1962, todas são diretas do russo:
  • a primeira delas sai na coletânea titãs do amor, em tradução de silvia de assis falcão. são paulo: el ateneo do brasil, 1957
  • depois temos no mar de histórias, v. 3, org. e trad. aurélio buarque de hollanda e paulo rónai. rio de janeiro: josé olympio, 1958 [reeditado pelas edições de ouro, c.1974; nova fronteira, 1981; ediouro, 1987]
  • a seguir, a tradução de oscar mendes na obra completa publicada pela josé aguilar em 1960-61
  • aí o conto sai na antologia do conto russo, vol. iv (dedicado a tolstói), em tradução de tatiana belinky. rio de janeiro: lux, 1962, reed. paulinas, 1988 
  • sai em o diabo e outras histórias, a coletânea organizada por paulo bezerra, em tradução de beatriz ricci. são paulo: cosac naify, 2000 
  • por fim, temos a tradução de graziela schneider, na nova antologia do conto russo (1792-1998), organizada por bruno barretto gomide. são paulo: 34, 2011 

agradeço a gutemberg de medeiros pela informação sobre a tradução da lux; a alfredo monte sobre a da cosac; a daniel dago e a bruno costelini sobre a da nova antologia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.