21 de jun de 2013

nobel no brasil

rodrigo conçole relembrou no facebook a listagem que o pessoal do excelente e extinto meia palavra tinha publicado, a qual felizmente se encontra abrigada, após a extinção do meia, no fórum valinor, aqui.

quanto às edições da delta, quem não lembra ou não conhece as graciosas capinhas brancas com ilustração de picasso? marcaram época! e havia excelentes traduções na coleção, algumas delas licenciadas das editoras que já as haviam publicado antes (talvez o que eu faça alguma hora é rastrear a data original da primeira edição dessas traduções e respectivas editoras).



Títulos publicados pela editora Delta nos anos 1960 (a partir de 1962), reeditados a partir de 1970 pela Opera Mundi (o asterisco indica tradução anterior ou mesma tradução publicada anteriormente):

1. Alfred Nobel - O homem e seus prêmios - livro de introdução – trad. Elias Davidovich
2. 1901 - Sully Prudhomme - Diário íntimo e pensamentos – trad. e notas de Mello Nóbrega
3. 1902 - Theodor Mommsen - História de Roma (excertos) – trad. Antônio Olinto
4. 1903 - Bjørnstjerne Bjørnson - Além das forças / Duas peças – trad. Guilherme Figueiredo
5. 1904 - Fredéric Mistral - Miréia – trad. Manuel Bandeira (1962)
6. 1904 - José Echegaray - Mancha que limpa e A morte nos lábios – trad. R. Magalhães Jr.
7. 1905 - Henryk Sienkiewicz - O faroleiro e outros contos – trad. Lúcia Benedetti
8. 1906 - Giosuè Carducci - Poesias escolhidas – trad. Jamil Almansur Haddad
9. 1907 - Rudyard Kipling - A luz que se apagou – trad. João Távora *
10. 1908 - Rudolf Eucken - O sentido e o valor da vida – trad. João Távora
11. 1909 - Selma Lagerlöf - De saga em saga – trad. Mário Teles
12. 1910 - Paul Heyse - Três novelas – trad. Herbert Caro
13. 1911 - Maurice Maeterlinck - O pássaro azul – trad. Carlos Drummond de Andrade
14. 1912 - Gerhart Hauptmann - O herege de Soana – trad. Augusto Meyer
15. 1913 - Rabindranath Tagore - Çaturanga – apresentação e trad. Cecília Meirelles
16. 1915 - Romain Rolland - Colas Breugnon – trad. Ivo Barroso
17. 1916 - Verner von Heidenstam - Os Carolinos: crônica de Carlos XII – trad. Rachel de Queiroz
18. 1917 - Karl Gjellerup - Minna – trad. Othon Moacyr Garcia
19. 1917 - Henrik Pontoppidan - O urso-polar e outras histórias – trad. Osman Lins
20. 1919 - Carl Spitteler - Prometeu e Epimeteu – trad. Manuel Bandeira
21. 1920 - Knut Hamsun - Fome – trad. Carlos Drummond de Andrade*
22. 1921 - Anatole France - O crime de Sylvestre Bonnard – trad. Álvaro Moreyra
23. 1922 - Jacinto Benavente - Os interesses criados / Rosas de outono – trad. R. Magalhães Jr.
24. 1923 - William Butler Yeats - Teatro – trad. Paulo Mendes Campos
25. 1924 - Wladyslaw Stanislaw Reymont - A lei do Cnute e outros contos – trad. Valdemar Cavalcanti
26. 1925 - George Bernard Shaw - Santa Joana / Pigmalião – trad. Dinah Silveira de Queiroz, Miroel Silveira e Fausto Cunha*
27. 1926 - Grazia Deledda - Caniços ao vento – trad. Mario de Murtas
28. 1927 - Henri Bergson - A evolução criadora – trad. Adolfo Casais Monteiro
29. 1928 - Sigrid Undset - Primavera – trad. Juvenal Jacinto
30. 1929 - Thomas Mann - A morte em Veneza / Tristão / Gladius Dei – trad. Herbert Caro *
31. 1930 - Sinclair Lewis - Babbit – trad. Leonel Vallandro *
32. 1931 - Erik Axel Karlfeldt - Poesias – trad. Ivo Barroso
33. 1932 - John Galsworthy - O proprietário – trad. Rachel de Queiroz *
34. 1933 - Ivan Bunin - O amor de Mítia / O processo do tenente Ieláguin – trad. Boris Schnaiderman
35. 1934 - Luigi Pirandello - O finado Matias Pascal – trad. Helena Parente Cunha
36. 1936 - Eugene O'Neill - Quatro peças – trad. Luiz Drummond Navarro *
37. 1937 - Roger Martin du Gard - O drama de Jean Barois – trad. Vidal de Oliveira*
38. 1938 - Pearl S. Buck - A exilada – trad. Rachel de Queiroz *
39. 1939 - Frans Eemil Sillanpää - Santa miséria – trad. Bella Jozef
40. 1944 - Johannes Vilhelm Jensen - Histórias do Himmerland – trad. Guttorm Hanssen
41. 1945 - Gabriela Mistral - Poesias escolhidas – trad. Henriqueta Lisboa
42. 1946 - Hermann Hesse - Sidarta: um poema indiano - trad. Herbert Caro
43. 1947 - André Gide - O imoralista – trad. Theodomiro Tostes *
44. 1948 - T. S. Eliot - Crime na catedral / Quatro quartetos – trad. Maria da Saudade Cortesão e Oswaldino Marques
45. 1949 - William Faulkner - Paga de soldado – trad. Luiz Drummond Navarro
46. 1950 - Bertrand Russell - Ensaios céticos – trad. Wilson Velloso *
47. 1951 - Pär Lagerkvist - Barrabás – trad. Guttorm Hanssen *
48. 1952 - François Mauriac - O deserto do amor – trad. Rachel de Queiroz *
49. 1953 - Winston Churchill - Sangue suor e lágrimas vol. 1 – trad. Lya Cavalcanti *
50. 1953 - Winston Churchill - Sangue suor e lágrimas vol. 2 – trad. Lya Cavalcanti *
51. 1954 - Ernest Hemingway - Adeus às armas – trad. Monteiro Lobato *
52. 1955 - Halldór Laxness - A estação atômica – trad. Maria Jacintha
53. 1956 - Juan Ramón Jiménez - Platero e eu – trad. Athos Damasceno *
54. 1957 - Albert Camus - A peste – trad. Graciliano Ramos *
55. 1958 - Boris Pasternak - Ensaio de autobiografia – trad. Helena Parente Cunha
56. 1959 - Salvatore Quasimodo - Poesias escolhidas – trad. Sílvio Castro
57. 1960 - Saint-John Perse - Poesias - trad. Darcy Damasceno
58. 1961 - Ivo Andritch - O pátio maldito e outros contos – trad. Juvenal Jacinto
59. 1962 - John Steinbeck - Boêmios errantes – trad. Edison Carneiro
60. 1963 - Giorgos Seferis - Poemas – trad. Darcy Damasceno

Só pela Opera Mundi:
61. 1965 - Mikail Cholokov - Don silencioso vol. 1 – trad. Lígia Junqueira; parte poética Agnaldo Junqueira Filho *
62. 1965 - Mikail Cholokov - Don silencioso vol. 2 – trad. Lígia Junqueira; parte poética Agnaldo Junqueira Filho *
63. 1966 - Samuel Agnon - Noivado e outros contos – trad. Rachel de Queiroz
64. 1966 - Nelly Sachs - Poesias - trad. Paulo Quintela
65. 1967 - Miguel Ángel Asturias - O senhor presidente – trad. Antonieta Dias de Morais *
66. 1968 - Yasunari Kawabata - Nuvem de pássaros brancos – trad. Paulo Hecker Filho *
67. 1969 - Samuel Beckett - Malone Morre / Dias Felizes – trad. Roberto Ballalai
68. 1970 - Aleksandr Isaevic Solzenicyn - O pavilhão de cancerosos – trad. Áurea Weissenberg


5 comentários:

  1. olá denise, acabo d terminar a leitura do purgatório d dante pela ed. 34 q traz mtas referências a metamorfoses, d ovídio. alguma sugestão d tradução p essa obra? obrigado e abraços.

    ResponderExcluir
  2. ih, fico devendo, jefferson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dboa, é q a tradução q + me interessou é a da hedra, mas vi q é o mesmo tradutor da martin claret, 1 português. ou seja, mifu.

      Excluir
  3. bom, é a do bocage, um clássico por si só - creio que interessa mais pelo valor histórico do que por qualquer outra coisa.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo18.5.14

    Domingis Lucas, portuguesa, bilingue.

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.