21 de jun de 2013

nobel no brasil

rodrigo conçole relembrou no facebook a listagem que o pessoal do excelente e extinto meia palavra tinha publicado, a qual felizmente se encontra abrigada, após a extinção do meia, no fórum valinor, aqui.

quanto às edições da delta, quem não lembra ou não conhece as graciosas capinhas brancas com ilustração de picasso? marcaram época! e havia excelentes traduções na coleção, algumas delas licenciadas das editoras que já as haviam publicado antes (talvez o que eu faça alguma hora é rastrear a data original da primeira edição dessas traduções e respectivas editoras).



Títulos publicados pela editora Delta nos anos 1960 (a partir de 1962), reeditados a partir de 1970 pela Opera Mundi (o asterisco indica tradução anterior ou mesma tradução publicada anteriormente):

1. Alfred Nobel - O homem e seus prêmios - livro de introdução – trad. Elias Davidovich
2. 1901 - Sully Prudhomme - Diário íntimo e pensamentos – trad. e notas de Mello Nóbrega
3. 1902 - Theodor Mommsen - História de Roma (excertos) – trad. Antônio Olinto
4. 1903 - Bjørnstjerne Bjørnson - Além das forças / Duas peças – trad. Guilherme Figueiredo
5. 1904 - Fredéric Mistral - Miréia – trad. Manuel Bandeira (1962)
6. 1904 - José Echegaray - Mancha que limpa e A morte nos lábios – trad. R. Magalhães Jr.
7. 1905 - Henryk Sienkiewicz - O faroleiro e outros contos – trad. Lúcia Benedetti
8. 1906 - Giosuè Carducci - Poesias escolhidas – trad. Jamil Almansur Haddad
9. 1907 - Rudyard Kipling - A luz que se apagou – trad. João Távora *
10. 1908 - Rudolf Eucken - O sentido e o valor da vida – trad. João Távora
11. 1909 - Selma Lagerlöf - De saga em saga – trad. Mário Teles
12. 1910 - Paul Heyse - Três novelas – trad. Herbert Caro
13. 1911 - Maurice Maeterlinck - O pássaro azul – trad. Carlos Drummond de Andrade
14. 1912 - Gerhart Hauptmann - O herege de Soana – trad. Augusto Meyer; e Michael Kramer - trad.                  Herbert Caro
15. 1913 - Rabindranath Tagore - Çaturanga – apresentação e trad. Cecília Meirelles
16. 1915 - Romain Rolland - Colas Breugnon – trad. Ivo Barroso
17. 1916 - Verner von Heidenstam - Os Carolinos: crônica de Carlos XII – trad. Rachel de Queiroz
18. 1917 - Karl Gjellerup - Minna – trad. Othon Moacyr Garcia
19. 1917 - Henrik Pontoppidan - O urso-polar e outras histórias – trad. Osman Lins
20. 1919 - Carl Spitteler - Prometeu e Epimeteu – trad. Manuel Bandeira
21. 1920 - Knut Hamsun - Fome – trad. Carlos Drummond de Andrade*
22. 1921 - Anatole France - O crime de Sylvestre Bonnard – trad. Álvaro Moreyra
23. 1922 - Jacinto Benavente - Os interesses criados / Rosas de outono – trad. R. Magalhães Jr.
24. 1923 - William Butler Yeats - Teatro – trad. Paulo Mendes Campos
25. 1924 - Wladyslaw Stanislaw Reymont - A lei do Cnute e outros contos – trad. Valdemar                                  Cavalcanti
26. 1925 - George Bernard Shaw - Santa Joana / Pigmalião – trad. Dinah Silveira de Queiroz, Miroel                  Silveira e Fausto Cunha*
27. 1926 - Grazia Deledda - Caniços ao vento – trad. Mario de Murtas
28. 1927 - Henri Bergson - A evolução criadora – trad. Adolfo Casais Monteiro
29. 1928 - Sigrid Undset - Primavera – trad. Juvenal Jacinto
30. 1929 - Thomas Mann - A morte em Veneza / Tristão / Gladius Dei – trad. Herbert Caro *
31. 1930 - Sinclair Lewis - Babbit – trad. Leonel Vallandro *
32. 1931 - Erik Axel Karlfeldt - Poesias – trad. Ivo Barroso
33. 1932 - John Galsworthy - O proprietário – trad. Rachel de Queiroz *
34. 1933 - Ivan Bunin - O amor de Mítia / O processo do tenente Ieláguin – trad. Boris Schnaiderman
35. 1934 - Luigi Pirandello - O finado Matias Pascal – trad. Helena Parente Cunha
36. 1936 - Eugene O'Neill - Quatro peças – trad. Luiz Drummond Navarro *
37. 1937 - Roger Martin du Gard - O drama de Jean Barois – trad. Vidal de Oliveira*
38. 1938 - Pearl S. Buck - A exilada – trad. Rachel de Queiroz *
39. 1939 - Frans Eemil Sillanpää - Santa miséria – trad. Bella Jozef
40. 1944 - Johannes Vilhelm Jensen - Histórias do Himmerland – trad. Guttorm Hanssen
41. 1945 - Gabriela Mistral - Poesias escolhidas – trad. Henriqueta Lisboa
42. 1946 - Hermann Hesse - Sidarta: um poema indiano - trad. Herbert Caro
43. 1947 - André Gide - O imoralista – trad. Theodomiro Tostes *
44. 1948 - T. S. Eliot - Crime na catedral / Quatro quartetos – trad. Maria da Saudade Cortesão e                          Oswaldino Marques
45. 1949 - William Faulkner - Paga de soldado – trad. Luiz Drummond Navarro
46. 1950 - Bertrand Russell - Ensaios céticos – trad. Wilson Velloso *
47. 1951 - Pär Lagerkvist - Barrabás – trad. Guttorm Hanssen *
48. 1952 - François Mauriac - O deserto do amor – trad. Rachel de Queiroz *
49. 1953 - Winston Churchill - Sangue suor e lágrimas vol. 1 – trad. Lya Cavalcanti *
50. 1953 - Winston Churchill - Sangue suor e lágrimas vol. 2 – trad. Lya Cavalcanti *
51. 1954 - Ernest Hemingway - Adeus às armas – trad. Monteiro Lobato *
52. 1955 - Halldór Laxness - A estação atômica – trad. Maria Jacintha
53. 1956 - Juan Ramón Jiménez - Platero e eu – trad. Athos Damasceno *
54. 1957 - Albert Camus - A peste – trad. Graciliano Ramos *
55. 1958 - Boris Pasternak - Ensaio de autobiografia – trad. Helena Parente Cunha
56. 1959 - Salvatore Quasimodo - Poesias escolhidas – trad. Sílvio Castro
57. 1960 - Saint-John Perse - Poesias - trad. Darcy Damasceno
58. 1961 - Ivo Andritch - O pátio maldito e outros contos – trad. Juvenal Jacinto
59. 1962 - John Steinbeck - Boêmios errantes – trad. Edison Carneiro
60. 1963 - Giorgos Seferis - Poemas – trad. Darcy Damasceno

Só pela Opera Mundi:
61. 1965 - Mikail Cholokov - Don silencioso vol. 1 – trad. Lígia Junqueira; parte poética Agnaldo                        Junqueira Filho *
62. 1965 - Mikail Cholokov - Don silencioso vol. 2 – trad. Lígia Junqueira; parte poética Agnaldo                        Junqueira Filho *
63. 1966 - Samuel Agnon - Noivado e outros contos – trad. Rachel de Queiroz
64. 1966 - Nelly Sachs - Poesias - trad. Paulo Quintela
65. 1967 - Miguel Ángel Asturias - O senhor presidente – trad. Antonieta Dias de Morais *
66. 1968 - Yasunari Kawabata - Nuvem de pássaros brancos – trad. Paulo Hecker Filho *
67. 1969 - Samuel Beckett - Malone Morre / Dias Felizes – trad. Roberto Ballalai
68. 1970 - Aleksandr Isaevic Solzenicyn - O pavilhão de cancerosos – trad. Áurea Weissenberg


7 comentários:

  1. olá denise, acabo d terminar a leitura do purgatório d dante pela ed. 34 q traz mtas referências a metamorfoses, d ovídio. alguma sugestão d tradução p essa obra? obrigado e abraços.

    ResponderExcluir
  2. ih, fico devendo, jefferson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. dboa, é q a tradução q + me interessou é a da hedra, mas vi q é o mesmo tradutor da martin claret, 1 português. ou seja, mifu.

      Excluir
  3. bom, é a do bocage, um clássico por si só - creio que interessa mais pelo valor histórico do que por qualquer outra coisa.

    ResponderExcluir
  4. Anônimo18.5.14

    Domingis Lucas, portuguesa, bilingue.

    ResponderExcluir
  5. Anônimo17.8.16

    Oi Denise, vou continuar contribuindo como anônimo pois você tem o meu email e eu não tenho o seu, que seria mais fácil para contribuir. Então não publique o post (aliás, discordo sobre a questão do anonimato pois quando não ocorre prejuízo não é necessário punição). Veja essa edição da Opera mundi http://produto.mercadolivre.com.br/MLB-714661990-livro-gerhart-hauptmann-o-herege-de-soana-e-michael-kramer-_JM

    ResponderExcluir
  6. prezado anônimo, não faço ideia de quem você é. meu e-mail, disponível no perfil no alto da página, à direita (em "perfil completo") é dbottmann@gmail.com.

    obrigada pela contribuição!


    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.