18 de mar de 2013

evelyn waugh no brasil

um autor que tem algumas coisas que realmente aprecio: evelyn waugh (1903-1966). a obra dele é bem extensa; apenas uma pequena parte foi traduzida entre nós. certamente deve haver mais coisas, alguns contos, algum ensaio, que não localizei.



em 1944 temos "a festa de bella fleace", in os ingleses: antigos e modernos, pela editora leitura, em tradução de pascoal carlos magno. uma pena que não consegui imagem de capa, apenas em sua reedição pela ediouro em 2004, com o título de contos ingleses: os clássicos, disponível para leitura aqui.







em 1958 sai outra vez "o baile de anabela fleace", in maravilhas do conto inglês, cultrix, utilizando a tradução de ersílio cardoso (gleba, portugal, 1945) - sem créditos, claro, como era costume na cultrix.










o bem amado sai pela civilização brasileira em 1961, em tradução de wilson velloso.









em 1963, também pela civilização brasileira, sai malícia negra em tradução de helena pessoa.









em 1965, temos aquela maravilha que é brideshead revisited, que saiu com o título de a volta à velha mansão e o subtítulo de memórias sagradas e profanas do cap. charles ryder, em tradução de maria alice azevedo, pela agir. foi publicada também pelo círculo do livro em 1985, com uma capinha horrorosa, e em 1991 pela companhia das letras, agora com o título de memórias de brideshead.



passam-se mais de vinte anos sem outros lançamentos. e aí parece se instaurar uma espécie de ciclo de três novas obras por editora. veja-se só, primeiro pela companhia das letras:
  • em 1987, aquela outra coisa maravilhosa que é um punhado de pó, em tradução de diogo mainardi
  • em 1989, furo! uma história de jornalistas, em tradução de roberto perosa
  • em 1997, declínio e queda, em tradução de s. duarte


depois vêm, pela globo:
  • em 2002, a provação de gilbert pinfold: um fragmento de conversa, em tradução de maria cristina cupertino
  • em 2003, nova tradução de malícia negra, agora de cid knipel
  • em 2003, o ente querido: uma tragédia anglo-americana, também em nova tradução de cid knipel


aí, pela nova fronteira, sai a trilogia a espada de honra, em tradução de antônio sepúlveda:
  • em 2007, homens em armas
  • em 2007, oficiais e gentlemen
  • em 2008, rendição incondicional


atualização em 28/4/2014: em c. 1972, saiu pela bruguera o conto "o homem que gostava de dickens", em tradução de rebecca naslausky, na coletânea as melhores histórias insólitas.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.