12 de mar de 2013

coleção "contos do mundo"

volta e meia, em meus levantamentos da história da tradução no brasil, cito as antologias da editora leitura, em sua coleção "contos do mundo". foram apenas três volumes - os russos: antigos e modernos (1944), os ingleses: antigos e modernos (1944) e os norte-americanos: antigos e modernos (1945), os dois primeiros com coordenação de rubem braga e o terceiro de vinícius de moraes, e um time de tradutores realmente admirável.

Devo a imagem de capa à enorme gentileza de Saulo von Randow Jr.


                    
 esta 
foto é da josélia aguiar, aqui



atualmente essas coletâneas estão no catálogo da ediouro e disponíveis para visualização parcial (mas bem ampla) no google books, com os títulos de contos russos: os clássicoscontos ingleses: os clássicos e  contos norte-americanos: os clássicos. hélio pólvora, aliás, dedicou uma resenha a esses relançamentos pela ediouro, situando as obras em seu quadro original na editora leitura. veja aqui.

mas pelo menos uma coisa bizarra há nessa bela antologia dos russos - e quem me chamou a atenção para ela foi gutemberg medeiros. a tradução d'os sete enforcados, de leonid andreiev, que consta apenas em nome de orígenes lessa, é aquela mesma que saiu em 1932 pela bibliotheca de auctores russos, de georges selzoff. a tradução foi feita a quatro mãos por georges selzoff e orígenes lessa, sendo que aquele traduzia diretamente do russo e este vazava em português escorreito. veja aqui. pena... além do ocultamento do fato, vetou-se ao leitor a informação de que se tratava de uma versão direta do russo, fato raro na época (e coisa que orígenes, ao se apresentar como único tradutor, não poderia dizer, pois não dominava o russo).

imagem gentilmente cedida por josé mota victor


8 comentários:

  1. Encontrei a referência dessa antologia de contos russos em jornais da década de 1940 (na realidade, eu pesquiso para uma tese de doutorado em História na Unicamp, onde trato da trajetória de Joel Silveira, projeto financiado pela FAPESP). Soube assim, que Joel Silveira traduziu um conto de Leskov. Algumas revistas, a exemplo de Vamos Ler! disponibilizavam para os leitores, contos franceses, russos e ingleses. A publicação seria resultado das revistas literárias? São boas as traduções, ou fica como a do seu comentário? Ótimo site. Obrigado pela indicação do livro on-line.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. olha, cleverton, li vários contos, parecem-me excelentes trabalhos. claro que não fiquei comparando com os originais, pois não é este meu intento, mas tudo o que li me pareceu de ótimo nível. não creio que as coletâneas fossem apenas apanhados de contos já publicados anteriormente em revistas. mas pode ser um tema de pesquisa bem interessante!

      Excluir
    2. Obrigado por responder-me. Abraço.

      Excluir
  2. Daniel Dago12.3.13

    Denise,

    não lembro de cabeça a fonte, mas sei que essa tradução do Vinícius de Moraes ("O capote", de Gógol) é direta do russo. Ele aprendeu essa língua na época em que era diplomata.

    Sei que não vem ao caso, mas não custa falar: esse ano vai sair pela Editora 34 uma nova tradução direta d'"Os sete enforcados", de Andrêiev, feita por Nivaldo dos Santos.

    Abraço

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. que interessante, daniel! mas aí deve haver talvez alguma coisa que não entendi bem, pois, até onde sei, vinícius começou sua carreira diplomática em 1946, nos eua, e essa publicação é de 1944. mas que seja... deve ter aprendido antes :-)

      e que ótima notícia a da 34!

      Excluir
    2. Daniel Dago12.3.13

      Então, Denise, eu tenho certeza de ter lido em algum lugar que a tradução do Vinicius é direta. Até me espantei quando li, pois não sabia que ele falava russo. Só que não lembro a fonte... Creio que foi em alguma matéria sobre essa nova edição da Ediouro, falando que era a "única" tradução direta da antologia.

      Excluir
    3. não sei, daniel, para afirmar qualquer coisa com mais segurança, teria de ver melhor. moacyr werneck de castro, p. ex., militante comunista desde os 17 anos de idade, notoriamente traduzia do russo - mas não sei dizer quando e onde ele aprendeu a língua. e por aí vai.

      Excluir
    4. daniel, na introdução ao volume, rubem braga comenta que apenas dois contos foram traduzidos a partir do russo, "os sete enforcados" e "o capote": "Ambos foram traduzidos por escritores brasileiros com a colaboração de sabedores do russo". orígenes lessa, sabemos que trabalhou com georges selzoff para a tradução dos "sete enforcados". quanto a "o capote", não sei quem foi o sabedor de russo que ajudou vinícius de moraes. de todo modo, acho que isso responde a nossas dúvidas, não?

      Excluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.