24 de mar de 2013

bibliotheca de auctores russos

apresento abaixo a relação consolidada das obras publicadas pela coleção "bibliotheca dos auctores russos" pela georges selzoff, editor, na ordem cronológica que pude apurar.

I. catálogo
  • Maximo Gorki, Konovaloff, contendo também “A feira”, “Kirilka” e “Uma vez, no outomno”. [Sem créditos de tradução.] 1930. 156 p.
  • Anton Tchecoff, Os inimigos, trazendo também os seguintes contos: "Delírio (Gussieff)", "Algazarra em família", "No carro (O caminho da mestre-escola)", "Verotchka", "Estudante”, “Lenda sueca (O conto do jardineiro chefe)", "Zinotchka" e "Uma noite atroz". [Sem créditos de tradução.] 1930? 178 p.
  • Anton Tchecoff, O pavilhão n. 6, contendo também “A desgraça”, “A felicidade”, “A obra de arte” e “Os simuladores” (edição ilustrada). [Sem créditos de tradução.] 1931. 187 p.
  • Leon Tolstoi, Khadji Murat (edição ilustrada). [Sem créditos de tradução, porém elementos indicam tradução a quatro mãos com Allyrio M. Wanderley.] 1931. 173 p.
  • Feodor Dostoievski, Um jogador (das notas de um rapaz). Igrok. [Sem créditos de tradução, porém elementos indicam tradução a quatro mãos com Allyrio M. Wanderley.] 1931. 170 p.
  • Leon Tolstoi, Padre Sergio (vinhetas e ilustrações de M. Barychnikoff). [Sem créditos de tradução, porém elementos indicam tradução a quatro mãos com Allyrio M. Wanderley.] 1931. 176 p.
  • Leonide Andreieff, Judas Iscariotes (capa e ilustração de M. Barychnikoff).  [Sem créditos de tradução, porém elementos indicam tradução a quatro mãos com Allyrio M. Wanderley.] 1931. 141 p.
  • Leonide Andreieff, Os sete enforcados. Traducção integral do original russo por Georges Selzoff e Orígenes Lessa. 1931-32. 150 p.
  • Ivan Turguenieff, Ninho de fidalgos (ilustrações de Inne Zueff). Traducção integral do original russo por Georges Selzoff e Elsie Lessa. 1932. 184 p.
  • Ivan Turguenieff, Águas da primavera. Traducção integral do original russo por Georges Selzoff e Brito Broca. 1932. 201 p.


II. destino ulterior
  • os sete enforcados foi reeditado na antologia organizada por rubem braga, os russos: antigos e modernos, editora leitura, 1944. essa antologia se encontra atualmente no catálogo da ediouro, com o título de contos russos: os clássicos. a tradução, porém, vem atribuída apenas a orígenes lessa. em seu prefácio, rubem braga se limita a dizer: Alegro-me pelo fato de poder apresentar em tradução direta do russo duas obras-primas: "O capote" e "Os sete enforcados". Ambos foram traduzidos por escritores brasileiros em colaboração com sabedores de russo.
  • destino mais triste teve os sete enforcados na coleção "grandes romances universais", da w. m. jackson, volume 7, com várias reedições a partir de 1947. não consta nenhum crédito de tradução nem a origem editorial do texto. no verso da página de rosto, diz-se apenas "Tradução revista e adaptada para esta Coleção pelo Departamento Editorial de W. M. Jackson Inc.".
  • destino igualmente infame, no mesmo volume da mesma coleção da w. m. jackson, teve khadji murat, também apresentada como "Tradução revista e adaptada para esta Coleção pelo Departamento Editorial de W. M. Jackson Inc.". 
  • a única tradução do catálogo da georges selzoff a ter sobrevivência minimamente decente foi  águas da primavera, reeditada algumas vezes pela melhoramentos nos anos 1950. na página de rosto consta "tradução revista por marina stepanenko"; no verso da página de rosto, constam os devidos créditos: "Esta obra foi, inicialmente, publicada na Biblioteca de Autores Russos de Georges Selzoff, em tradução de Brito Broca e Georges Selzoff". 
observação: a partir de 1957, a cultrix criou uma coleção chamada maravilhas do conto universal, que sistematicamente debulhava catálogos alheios e respigava, sem créditos, traduções de contos que lhe interessavam. no volume de maravilhas do conto russo, há "a obra de arte", de tchecov. não sei se a origem foi a "bibliotheca de auctores russos". caberia pesquisar.

creio que seria muito útil para a memória da bibliografia russa traduzida no brasil a digitalização das obras publicadas pela bibliotheca de auctores russos, da georges selzoff & cia. ltda.

acompanhe a crônica de selzoff aqui.

para essa reconstituição, devo várias informações a gutemberg medeiros, josé mota victor e bruno gomide.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.