21 de fev de 2013

jorge amado tradutor, II




o romance doña barbara, do venezuelano rómulo gallegos, ao que afirma josélia aguiar, jornalista e biógrafa de jorge amado, foi a única obra traduzida por ele, a despeito das diversas traduções atribuídas a seu nome. veja aqui.

por meritória que tenha sido a iniciativa de jorge amado em divulgar a obra de gallegos, sua tradução não passou incontestada, segundo o que afirma gilfrancisco santos, do instituto geográfico e histórico da bahia e do instituto histórico e geográfico de sergipe, aqui:
Diz-se inclusive que o ex-presidente venezuelano tinha grande desgosto dessa edição brasileira. Ela não teria sido autorizada, logicamente não teria recebido os direitos autorais, ele a considerava uma das piores traduções feitas no Brasil, de escritores hispano-americanos. Por este motivo, Jorge Amado reeditou o livro, pela editora Record, em 1974, revisando e readaptando a tradução, além das notas esclarecedoras de rodapé.


(desnecessário dizer que nada disso traz qualquer desdouro à grande glória de jorge amado.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.