14 de jan de 2013

os prêmios da fbn 2012, I

este blog já havia entrado de férias quando surgiram alguns episódios desconcertantes no prêmio de literatura da fundação biblioteca nacional.

em 12 de dezembro, porém, eu havia divulgado a lista das inscrições habilitadas e inabilitadas e já comentara a surpresa com a quantidade de inabilitações devido a irregularidades no isbn. veja aqui.

por um lado, achei extremamente saudável que a fundação biblioteca nacional começasse a checar a regularidade no uso de isbns. venho tratando faz tempo desse problema, e os interessados podem consultar vários posts incluídos no marcador fbn/isbn, aqui.

por outro lado, espantou-me que as irregularidades se concentrassem em títulos publicados pelo grupo record: nada menos de 74 inscrições recusadas por inexistência de cadastro dos isbns usados nas edições! ora, o uso do isbn é obrigatório desde 2003, pela lei n. 10753, a chamada lei do livro, que instituiu a politica nacional do livro, e a única entidade que pode atribuí-lo aos interessados é a agência brasileira do isbn, abrigada na fundação biblioteca nacional.

a jornalista raquel cozer publicou no sábado passado, dia 12 de janeiro, uma notícia assombrosa, numa matéria chamada "os sem cadastro", aqui. transcrevo uma parte:
OS SEM CADASTRO Não à toa 74 títulos da Record inscritos no Prêmio de Literatura da Fundação Biblioteca Nacional, no fim de 2012, foram inabilitados por "insuficiência de ISBN". Desde 2007, quando a versão brasileira do código internacional que identifica livros passou a ter 13 dígitos, em vez de dez, a editora praticamente não cadastra obras na agência nacional do International Standard Book Number. Assim como as outras cinco primeiras casas a aderir ao sistema no país, em 1978, a Record teve por anos o direito de autoatribuir seus códigos, sem ter de pagar. Com a mudança de 2007, as pioneiras perderam o privilégio. A Record continuou atribuindo seus códigos por conta - cada ISBN inclui um número da editora e outro da publicação -, sem cadastrá-los na agência.
ISBN FECHA O CERCO
Em anos anteriores, títulos da Record levaram o prêmio da FBN, mas isso porque a instituição, que representa o ISBN no Brasil, ainda não eliminava concorrentes por irregularidades no cadastro.
A inabilitação no último prêmio foi um movimento da agência para que editoras se regularizem. 
de fato, é hora de nossas instituições e entidades do livro começarem a pôr um pouco de ordem no mundo do livro e a coibir tanta prepotência e arbitrariedade.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.