13 de nov de 2012

tolstói no brasil, I

conversando com o crítico literário alfredo monte, topei um repto: levantar o que há de tolstói traduzido no brasil. só para começar, apresento aqui o levantamento que fiz até o final dos anos 1950: interessante notar a grande variedade de títulos e a quantidade de retraduções de algumas obras, sobretudo sonata a kreutzer, khadji-murat, ressurreição e guerra e paz.. vamos lá.

I. primórdios pouco identificados
  • aparentemente, tolstói chega a nós no final do século XIX, com a sonata de kreutzer, pela b.-l. garnier, em tradução de visconti coaracy. bruno gomide, aqui, dá como data provável o ano de 1895. temos um exemplar dessa obra na biblioteca nacional:
Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf,clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 1828-1910.
Título / Barra de autoria:A sonata de Kreutzer.
Imprenta:Rio de Janeiro : B. L. Garnier. 
Descrição física:317p.
Notas:Registro Pré-MARC
  • ainda segundo gomide, em 1905 a j. ribeiro dos santos publica uma nova edição da sonata. não sei o nome do tradutor.
  • em 1909, sai pela empreza romantica mais uma sonata a kreutzer. ignoro o tradutor.
  • ainda em 1909, sai o que eu penso da guerra, pela h. antunes. idem.
  • em 1913, ainda a sonata sai pela livraria teixeira. idem.

II. calmaria

em 1926, temos amo e creado pela livraria joão do rio, com tradução de um críptico "A.F.":


III. anos 1930

a década se inaugura com uma anna karenine pela sociedade impressora paulista, em 1930. tradutor? não sei.


há também um registro de anna karenine pela cia. editora nacional no mesmo ano:

Autor:Tolstoí, Lev Nikolaevich, graf,clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 1828-1910.
Título / Barra de autoria:Anna Karenine.
Imprenta:[S. Paulo] : Cia. Editora Nacional, 1930. 
Descrição física:710p.
Notas:Registro Pré-MARC

o ano de 1931 é prolífico:
  • sai a palavra de jesus pela h. antunes;
  • a americana publica resurreição, romance célebre em tradução de carlos cintra:
Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Resurreição, romance celebre.
Imprenta:Rio de Janeiro, Ed. Americana, 1931. 
Descrição física:452 p.
Notas:Registro Pré-MARC

essa tradução passa para a waissmann/guanabara em 1935.
  • pela cultura sai khadji-murat, em tradução de georges selzoff e allyrio meira wanderley, na coleção "bibliotheca de auctores russos", de iniciativa de georges selzoff (sobre selzoff, ver aqui):
  • na mesma "bibliotheca de auctores russos", temos padre sergio, também em tradução a quatro mãos de selzoff e allyrio wanderley: 

  • temos então os cossacos, pela livraria marisa:

em 1932, temos nova edição de os cossacos, agora pela sociedade impressora paulista.

em 1934, pela livraria marisa, sai o trabalho (com timoteo bondareff), em tradução de joão cabral:

Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:O trabalho.
Imprenta:Rio de Janeiro, Liv. Marisa, 1934. 
Descrição física:xxx, 241 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Assuntos:Trabalho e trabalhadores.clique aqui para ver as obras sob este assunto no Catálogo de Autoridades de Assuntos 
Entradas secundárias:Bondarev, Timofei.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Cabral, João, trad.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 

ainda em 1934, a civilização brasileira lança o diabo branco (khadji-murat), em tradução do português antónio sérgio:



a mesma obra sai pela edições e publicações brasil, apenas como o diabo branco, sem data, mas calculo também pelos anos 1930:  retificação em 05/04/13: certamente posterior, dos anos 1940 em diante, pois o preço de capa vem expresso em cruzeiros, não mais réis, e a grafia já segue a reforma ortográfica de 1942. trata-se de uma apropriação da tradução selzoff/allyrio, publicada na bibliotheca de auctores russos em 1931.




a adoção do título o diabo branco para khadji-murat certamente foi inspirada pelo filme der weisse teufel, de alexandre volkoff (1930), lançado no brasil no mesmo ano - com grande sucesso - e será retomado pela vecchi em 1949 (ver abaixo).







ressurreição sai também pela civilização brasileira, em dois volumes, em 1936. eis nosso exemplar na biblioteca nacional:

Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Ressurreição.
Imprenta:Rio de Janeiro, Civ. brasileira, 1936. 
Descrição física:2 v.
Notas:Registro Pré-MARC

há uma ressurreição sem data, pela cia. brasil, em "tradução revista por marina salles goulart de andrade". não tenho maiores informações.

em 1937, a civilização brasileira sai com uma fornadinha. primeiro a escravidão moderna, em sua colecção econômica, edições sip, vol. 50:


depois vêm os martyres do dinheiro [na floresta - novella (narrativa de um yunker) - 1854-1855], sip, vol. 56:


e ainda no mesmo ano, a civilização também publica o canto do cysne, sip., vol. 59. o difícil é saber quem traduziu...

em nossa biblioteca nacional, temos um exemplar de a tortura da carne pela civilização brasileira, sem data. não me parece impossível que fizesse parte dessa fornadinha dos anos 30:

Autor:Tolstoi, Leão, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:A tortura da carne.
Imprenta:[Rio de Janeiro] Civilização brasileira. 
Descrição física:157 p.
Notas:Registro Pré-MARC


IV. anos 1940; aumenta o fôlego

em 1940, temos o quinhão da mulher, em tradução de joão cabral:

Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf. 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:O quinhão da mulher, impressionante relato da propria heroina.
Imprenta:Rio de Janeiro, Coeditora brasilica, 1940. 
Descrição física:xii, 151 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Assuntos:Cabral, João, trad.clique aqui para ver as obras sob este assunto no Catálogo de Autoridades de Assuntos 

em 1942, a globo lança guerra e paz em dois volumes, em sua "biblioteca dos séculos", com tradução de gustavo nonnenberg:


ainda em 1942, a josé olympio publica os cossacos em tradução de almir de andrade:


em 1943, a pongetti publica ana karenina, numa daquelas suas malandrices habituais com "tradução revista por marques rebelo". difícil saber o tradutor verdadeiro. aqui em capa da edição de 1958:


também em 1943, a mesma pongetti publica homens e escravos na coleção "as 100 obras-primas da literatura universal", em tradução de cira neri:


essa tradução é relançada em 1961 pela pongetti, na coletânea três novelas russas.

ainda em 1943, a josé olympio lança sua ana karênina em tradução de lúcio cardoso:



também em 1943, saem os diários íntimos com sofia tolstoi, pela vecchi, em tradução de frederico dos reys coutinho. aqui em capa de 1953:



outro ano especialmente prolífico é 1944, quando saem:
  • polikuchka pela editora vitória, em tradução de henrique cordeiro:
Autor:Tolstoi, Lév. Nikolaevich, graf. 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Polikuchka.
Imprenta:Rio de Janeiro, Ed. vitoria, 1944. 
Descrição física:x, 204 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Entradas secundárias:Cordeiro, Henrique, trad.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 
  • sebastopol pela livraria martins, em sua coleção excelsior:

  • suas memórias (infância, adolescência e juventude), em tradução de rachel de queiroz, pela josé olympio:
  • três novelas da rússia, com "o violinista alberto", "um animal como poucos" e "romance inacabado", pela editora nosso livro. há um exemplar em nosso acervo:
Autor:Tolstoi, Lév. Nikolaevich, graf. 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Três novelas da Russia. Nosso livro, ed.
Imprenta:[194 ]. 
Descrição física:180 p.
Notas:Registro Pré-MARC
  • "a morte de ivan ilitch", em tradução de marques rebelo; "alexis - o pote", em tradução de joracy camargo; "os três staretzi", em tradução de alfredo mesquita, na antologia os russos: antigos e modernos, da editora leitura:
  • sai alguma coisa em os mais belos contos russos dos mais famosos autores, pela vecchi. constam vários tradutores na imprenta, entre eles frederico dos reys coutinho, responsável por algumas traduções de tolstói. quando localizar o conteúdo, atualizarei aqui:
  • c.1944 sai katia em tradução de lêdo ivo (deve ter sido uma de suas primeiras!), pela panamericana:
Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf. 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Katia.
Imprenta:Rio de Janeiro, Ed. Panamericana, [1944?]. 
Descrição física:161 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Entradas secundárias:Ivo, Lêdo, 1924-, trad.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes 
  • o clube do livro começa suas garfadas de traduções alheias com os cossacos:

a tortura da carne [de onde viria o castigo?] sai em 1945, pela bolsa do livro. não sei se é uma retomada da tradução lançada pela civilização brasileira (c. anos 1930, ver acima).

Autor:Tolstoi, Lev Nikolaevich, graf. 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:A tortura da carne [De onde viria o castigo?]
Imprenta:[São Paulo] A bôlsa do livro [1945] 
Descrição física:147 p.
Notas:Registro Pré-MARC

em 1945, sai ressurreição pela josé olympio, em tradução de valdemar cavalcanti:


em 1945, sai a segunda série d'os mais belos contos russos dos mais famosos autores, pela vecchi, com mais alguma coisa de tolstói. atualizarei quando obtiver a informação do conteúdo:


em c.1946, sai senhor e servo pela aurora. não localizei outros dados além do que consta em nosso acervo:

Autor:Tolstoi, Leão, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:Senhor e servo.
Imprenta:Rio, Ed. Aurora [1946?] 
Descrição física:167 p.
Notas:Registro Pré-MARC



não acho impossível que a ediçãozinha mequetrefe do clube do livro em 1953 seja uma garfada da edição da aurora.







em 1947, a w. m. jackson publica "khadji-murat" em três novelas russas em sua coleção "grandes romances universais". a jackson também era bastante fã de usar "traduções revistas".


também em 1947, sai a verdadeira vida pela vecchi, em tradução de rossini tavares de lima. não localizei imagem de capa, mas temos um exemplar em nosso acervo nacional:

Autor:Tolstoi, Leão, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:A verdadeira vida.
Imprenta:Rio de Janeiro, Ed. Vecchi [1947] 
Descrição física:123 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Assuntos:Lima, Rossini Tavares de, trad.clique aqui para ver as obras sob este assunto no Catálogo de Autoridades de Assuntos 

ainda em 1947, a editora a noite publica uma coletânea de três novelas russas, com dostoiévski, garin e tolstói, em tradução de lúcio cardoso. a novela de tolstói é "ivan, o imbecil".

em 1948, a saraiva lança a morte de ivan ilitch, trazendo no mesmo volume amo e servidor, em tradução de gulnara lobato de morais. aqui em capa de 1963:


aliás, essas duas traduções de gulnara foram apropriadas pela martin claret, que agora alardeia deter os direitos sobre elas. duvido e faço pouco. ver aqui.




também em 1948, nossa biblioteca nacional registra mais uma sonata a kreutzer. não localizei imagem de capa:

Autor:Tolstoi, Leão, graf, 1828-1910.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes
Título / Barra de autoria:A sonata a Kreutzer (romance)
Imprenta:[Rio de Janeiro] Ed. miniatura [1948] 
Descrição física:127 p.
Notas:Registro Pré-MARC
Entradas secundárias:Vaz, Vicente, trad.clique aqui para ver as obras deste autor no Catálogo de Autoridades de Nomes

em 1949, a vecchi publica o diabo branco em tradução de boris solomonov (isto é, boris schnaiderman), em sua coleção "os maiores êxitos da tela".


V. anos 50: algumas novidades

em 1950, sai ana karênina em dois volumes, pela cia. gráfica lux, em tradução por rui lemos de brito (anunciada direta do russo).

em 1952, temos o pensamento vivo de tolstói, com vários excertos de sua obra em seleção e apresentação de stefan zweig, com tradução de ligia autran rodrigues pereira, pela martins:


em 1955, temos "as três palavras divinas" em obras-primas do conto universal, pela livraria martins, com seleção e tradução de almiro rolmes e edgard cavalheiro, aqui em capa de 1957:


em 1956, a melhoramentos publica o enforcado, em tradução de gália e otto schneider:


em 1957, sai guerra e paz em tradução de oscar mendes, em quatro volumes, pela livraria martins. aqui falta imagem de capa do primeiro volume:


essa tradução de oscar mendes sai também pela itatiaia, no mesmo ano.

também em 1957, a edições e publicações brasil lança guerra e paz em três volumes, em tradução de alberto denis, dada como direta do russo; reeditada em 1958 pela edigraf:



ainda em 1957, sai ressurreição pela martins, em tradução de ilza neves e heloísa penteado:


claro que a cultrix não ia deixar passar um tolstoi em suas maravilhas do conto russo: lá temos "deus vê a verdade, mas espera", em "tradução revista por t. booker washington", de 1958.


encerrando a década, em 1959 sai uma seleta com três novelas, a saber, "a felicidade conjugal", "a morte de ivã ilitch" e "sonata a kreutzer", em tradução de boris schnaiderman, pela editora boa leitura:



7 comentários:

  1. Nossa, quanta coisa eu nem fazia ideia, como essa edição da Edigraf! Obrigado Denise. Esse vai ser para degustar aos poucos.
    Abração, Alfredo Monte

    ResponderExcluir
  2. Anônimo26.3.13

    PARABÉNS PELO TRABALHO! É TÃO DIFÍCIL ENCONTRAR COISAS SOBRE TOLSTÓI...

    ResponderExcluir
  3. Anônimo6.8.13

    Traduções de Boris Schnaiderman costumam ser diretamente do russo. Será o também o caso dessas "Três novelas" da editora Boa leitura?

    ResponderExcluir
  4. olá, anônimo, sim, com toda a certeza, bem como as traduções de georges selzoff e as de rui lemos de brito. a de alberto denis, embora assim anunciada, não sei dizer com certeza.

    ResponderExcluir
  5. Olá, obrigada pelo estudo postado! Gostaria de pedir uma indicação sobre as traduções de Ana Karenina. Tenho em mãos a de Sérgio Lozar (Editora Itatiaia, 2007), a de Lúcio Cardoso, mas posso tentar conseguir outra. Afinalidade é fazer uma gravação da leitura para disponibilizar numa biblioteca digital.

    ResponderExcluir
  6. olá, elisabeth. traduções de ana karênina diretas do russo, temos duas: a de rui lemos de brito, pela lux, em 1950, e - mais recente - a de rubens figueiredo, pela cosac naify, em 2005, a qual tem sido muito elogiada. aí teria de ver licença de direito de uso junto à editora, imagino eu.

    ResponderExcluir
  7. Olá, parabéns pelo blog. Quero muito ler o livro Guerra e Paz, porém não encontro a edição da Cosac Naify. Que outra tradução vc me indicaria? A de Oscar Mendes?

    Joab Belizário

    ResponderExcluir

comentários anônimos, apócrifos e ofensivos não serão liberados.